As fake news sobre 7 de setembro estão aí, cai quem quer

De mensagens falsamente atribuídas a pessoas influentes e bravatas sobre o que vai ocorrer no dia 7 de setembro, informações falsas na internet visam insuflar manifestações em defesa de Bolsonaro no Dia da Independência. Esse é o tema do texto de Edgard Matsuki, editor do Boatos.org, no A Semana em Fakes.

Ainda faltam cerca de dez dias para as manifestações a favor de Bolsonaro no dia 7 de setembro, mas podemos listar uma série de coisas que não vão ocorrer (ao contrário de mensagens que circulam por aí): 1) O STF não será fechado. 2) Ministros do STF não serão depostos. 3) Não haverá fechamento do Congresso. 4) Não haverá motim de caminhoneiros. 5) Não haverá fechamento de rodovias por tempo indeterminado. 6) Não haverá intervenção militar. 7) Bolsonaro não será proclamado “rei do Brasil”, “rei do mundo” ou, ainda, “rei do universo”.

O que há é uma organização de uma manifestação que, de certa forma, servirá para o próprio presidente da República “medir” o quanto de apoio ele terá para as eleições de 2022 e, claro, render vídeos e fotos em redes sociais bolsonaristas. Uma manifestação política, nada mais. Estaria tudo, como o próprio presidente diz, “dentro das quatro linhas da Constituição”, se não fosse uma manifestação que está sendo promovida com diversas informações falsas.

Nos últimos dias, o Boatos.org desmentiu nada menos do que nove notícias falsas que, de certa forma, visavam promover as manifestações do Dia da Independência. As informações falsas estão, basicamente, divididas em duas categorias: textos (ou áudios) falsamente atribuídos a pessoas influentes e mensagens que apontam que o 7 de setembro será o dia D para um golpe no Brasil.

Nos últimos dias, o Boatos.org desmentiu falas de promoção a atos no dia 7 de setembro atribuídos ao jornalista Alexandre Garcia, ao jurista Ives Gandra Martins, a Michelle Bolsonaro, ao general Braga Netto e a Sérgio Reis (neste caso, o boato era uma carta falsamente atribuída a ele). Na semana anterior já havíamos desmentido boatos semelhantes atribuídos à ministra Tereza Cristina e ao vice-presidente Hamilton Mourão.

Esse tipo de fake news tem dois objetivos claros. O primeiro e mais óbvio é motivar (de forma fraudulenta, por sinal) simpatizantes ao presidente Jair Bolsonaro a saírem de casa para as manifestações por meio de mensagens “colocadas na boca de pessoas influentes”. O segundo é “criar um fato novo” (mesmo que com informações falsas) para manter o tema aquecido em grupos do WhatsApp.

Com intenções muito similares, mensagens que apontam que “patriotas”, “as Forças Armadas” e “o povo” vão tornar o 7 de setembro o “Dia D” para um golpe no Brasil também têm circulado e confundido as pessoas. Neste sentido, desmentimos fake news sobre “fuga de ministros do STF do país”, “paralisação de rodovias até a intervenção militar”, “afronta à bandeira do Brasil” e “uma possível batalha entre patriotas e indígenas”.

As mensagens que descrevem o que “vai ocorrer em 7 de setembro” seriam dignas de uma obra de García Márquez (se não fossem tão mal escritas, claro) e só servem para hiperdimensionar algo que, na prática, terá menos impacto político do que, só para citar alguns exemplos, a CPI da Pandemia, a vacinação no Brasil ou a iminência da crise energética (temas que, provavelmente, serão ignorados).

Com certeza, a semana terá mais notícias falsas deste naipe. E, cada vez mais, as notícias falsas sobre o assunto serão difíceis de acreditar (e fáceis de desmentir). Mesmo assim, é possível que ajudem na promoção das manifestações a favor do presidente e na promoção de ideias de radicais lunáticos. Mas, como diria o poeta de zapzap, “o golpe tá aí, cai quem quer”.

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos sete dias foram, em ordem crescente, Sérgio Reis, Sergio reis, Lula, Eike Batista, 7 de setembro, Eike Batista, Criança com câncer no sangue, Sergio Reis, Tribunal constitucional militar, Caio coppola.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos 7 dias foram, em ordem crescente, sobre a ameaça de que 229 missionários seriam mortos no Afeganistão, que Eike Batista pagou propina a ministros do STF, que Wagner Moura “assumiu” um namoro com Jean Wyllys, que Braga Netto convidou Sérgio Reis para as manifestações de 7 de setembro e que Sérgio Reis escreveu uma carta para o Diário de São Paulo.

No Twitter a matéria com o maior engajamento era o que desmentia que Eike Batista havia denunciado ministros do STF. No Facebook, o conteúdo mais compartilhado era o que desmentia que o STF havia “censurado” Caio Coppolla. No Instagram, o conteúdo mais curtido foi o que desmentia a “paralisação de rodovias” no dia 7 de setembro. No Telegram, o conteúdo mais lido foi o A Semana em Fakes da semana passada (sobre manifestações e Afeganistão). No YouTube, o conteúdo maior engajamento na semana foi o que desmentia que 229 seriam mortos no Afeganistão.

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles, Portal T5 e Conexão Marília (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet