As fake news que sempre circulam após tragédias como a de Marília Mendonça

Sempre que uma tragédia que causa comoção nacional ocorre (como no caso da morte da cantora Marília Mendonça), alguns tipos de notícias falsas sempre circula. É esse o tema do A Semana em Fakes, com Edgard Matsuki, editor do Boatos.org.

Foi assim no desastre com integrantes da Chapecoense, foi assim no desastre de Brumadinho, na morte de Cristiano Araújo e está sendo assim nos desdobramentos da queda do avião que vitimou a cantora Marília Mendonça e mais quatro pessoas. A cobertura intensa do caso, a curiosidade das pessoas e atitudes que são difíceis de nominar sempre começam a circular na internet. Vamos falar de algumas delas.

Vídeos, áudio e fotos fora de contexto

Em 2016, quando o avião da Chapecoense caiu na Colômbia, imagens horríveis que seriam da foto dos corpos dos jogadores começaram a circular na internet. Na realidade, as imagens eram do acidente com o avião da Gol em 2006.

Algo parecido ocorreu no caso Marília Mendonça. Um vídeo atribuído ao acidente não demorou a viralizar na internet logo após a tragédia. Só havia um detalhe: o vídeo era de 2012 de um acidente em Jundiaí. O Boatos.org desmentiu em texto e vídeo essa fake news.

Outro arquivo falso que viralizou na internet é um suposto áudio de um diálogo entre o piloto e co-piloto do avião de Marília Mendonça. Mais uma vez, tratava-se de um áudio de outra situação (no caso do desastre da Gol em 2006).

Previsões e correlações (espúrias) sobrenaturais

Quando o desastre de Brumadinho aconteceu, vídeos que apontavam que “vítimas” haviam previsto a morte e se pronunciado sobre a morte no dia da tragédia (temos exemplos aqui e aqui). O mesmo ocorreu com o caso de Marília Mendonça.

Tuítes antigos de Marília Mendonça foram recuperados e mostrados como novos e de “valor informativo”. Não eram (como é possível ver aqui) mais do que, por assim dizer, “encheção de linguiça”. Só que o “pior nesta categoria” ainda estava por vir.

Um sujeito que sempre diz que prevê tragédias e envia cartas para as pessoas se manifestou e disse que havia previsto a morte de Marília Mendonça e enviado uma carta para ela. O mesmo sujeito disse que fez o mesmo em outros casos (como na morte de Cristiano Araújo e Eduardo Campos). O “único problema” é que a previsão surge apenas após a morte e que não é possível mostrar qualquer prova de que a carta foi escrita anteriormente e outros “probleminhas” já denunciados em diversos veículos de mídia.

Uso político e ideológico da tragédia

Não poderia faltar o uso político da tragédia. No caso “Marília Mendonça”, duas fake news circularam até o momento e chegaram ao nosso radar. Uma delas falava que Felipe Neto teria feito uma publicação culpando Bolsonaro pela morte da cantora (o que é falso e foi desmentido por ele mesmo).

Outra consegue ter a proeza de relacionar a vacina contra a Covid-19 com a tragédia. Uma “denúncia” apontava que o piloto havia se vacinado e, baseado em uma mentira já refutada, relacionou a queda a um efeito colateral do imunizante. Não é nem preciso dizer que a informação não passa de uma fake news.

O que está por vir (ou não)

Histórias como a de Marília Mendonça também trouxeram outras fake news como golpes usando o acidente como isca, teorias conspiratórias de que ele foi assassinada por grupos como Illuminatis e falácias de que ela havia provocado Deus e por isso morreu. Esperamos que, neste caso, este tipo de história não cresça. Se isso ocorrer, podemos dizer que, pelo menos em termos de fake news, já somos melhores do que antes.

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, China solta pássaros, Ifood, China, Pfizer, Lula, Mulher mata marido com 100 machadadas, Fiat, Bolsonaro, Papa Francisco e Salah.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, sobre a notícia falsa que apontava para o vídeo do momento do acidente de Marília Mendonça, que desmentia que a China havia soltado milhares de pássaros criados em laboratório no mar, que a Fiat da Itália havia pedido explicações para a Fiat do Brasil sobre o caso Maurício Souza, que o cantor Thiaguinho havia iniciado um relacionamento com o jogador de vôlei Bruninho e que Lula havia sido acusado como traficante nos EUA.

No Facebook, o conteúdo com maior engajamento era o que falava que a Fiat da Itália havia defendido Maurício Souza. No Instagram, o conteúdo mais curtido era o que desmentia que argentinos haviam saqueado um depósito de gás de cozinha. No Telegram, a notícia mais lida foi a que desmentia que um vídeo mostrava que um avião passou por baixo de uma ponte no Recife. Por fim, no YouTube e no Twitter, o conteúdo com maior engajamento era o que desmentia que um vídeo mostrava o momento do acidente de Marília Mendonça.

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles, Portal T5, Conexão Marília e O Anhanguera (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet