Mulher mata marido com 100 machadadas após ele abusar de filha #boato

Boato – Após flagrar marido abusando de sua filha de apenas 5 anos, mulher decide matar homem com 100 machadadas na Bolívia.

O abuso sexual é um tema que, infelizmente, ainda necessita de mais atenção para seu combate. Nos últimos anos, as denúncias têm aumentado (o que significa não só um crescimento de casos, mas também de registros). Apesar disso, ainda existe um número bastante expressivo de subnotificações, seja pela vergonha, pela falta de acesso ou até pelo desestímulo das autoridades. E infelizmente, muitos desses casos têm como vítimas crianças e adolescentes.

De acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, uma mulher teria decidido fazer justiça com as próprias mãos. Segundo a publicação, isso teria acontecido após ela descobrir que seu marido teria abusado de sua filha. Ainda de acordo com a história, a mulher teria matado o homem com 100 machadadas. Confira:

Versão 1: “ALERTA GATILHO: Mulher mata seu próprio marido com 100 machadadas após o flagrar ele estuprando sua filha de 5 anos. Suzana chegou mais cedo do trabalho e ouviu os gritos de dores de sua filha, ao chegar no local seu marido ainda teria chamado ela para fazer sexo a 3!”. Versão 2: “Mulher mata marido a machadadas após o flagrar estuprando sua filha de 5 anos. Uma mulher de 36 anos, matou seu esposo com 100 machadadas pois o mesmo foi flagrado por ela, na cama estuprando sua filha de apenas 5 anos. O caso aconteceu na tarde de sexta-feira (22), na cidade de  Tarija, cidade ao sul da Bolívia”.

Versão 3: “Uma mulher de 36 anos matou o seu companheiro a machadadas após flagrá-lo abusando sexualmente da sua filha, de apenas 5 anos. O caso aconteceu na última sexta-feira (22), na cidade de Tarija, no sul da Bolívia. Segundo a mulher, identificada como Suzana, ao chegar um pouco mais cedo do trabalho encontrou o seu marido na cama estuprando sua filha”.

Mulher mata marido com 100 machadadas após ele abusar de filha?

A informação causou revolta nas redes sociais, em especial, no Twitter e deixou muita gente indignada. Apesar disso, a história não é real. E a explicação fica por conta da origem das imagens e das múltiplas versões da história.

Ao procurar pela história em espanhol (já que ela cita a cidade de Tarija, na Bolívia), encontramos o mesmo relato, mas com algumas informações diferentes. A história que circula no Brasil aponta que o caso teria ocorrido na Bolívia. Entretanto, descobrimos que, na América Latina, temos outras versões para a história. Nessa, o relato aponta que a situação ocorreu na Guatemala (outras apontam que a situação ocorreu na Bolívia, no México e no Peru).

Além disso, na versão brasileira, a história afirma que o homem morreu no local, após ser atacado pela mulher. Já nas versões latinoamericanas, a história indica que o homem chegou a ser socorrido e morreu, minutos depois, no hospital. Na versão que circula no Brasil, o texto aponta que a mulher se chama Suzana. Na América Latina, os textos indicam duas opções: no primeiro, aponta que o nome da mulher é Susana, já no outro, o texto indica Soledad.

Ao procurar por mais informações, descobrimos que a história foi desmentida em um site da Guatemala. O site Soy 502 apontou todas as contradições das versões latinoamericanas, como os locais, os nomes e as idades diferentes.

Se isso não bastasse, as fotos utilizadas na história também são falsas. A imagem que mostra o chão cheio de sangue, na verdade, foi retirada do arquivo pessoal do técnico forense Josh Marsden. Em 2017, ele compartilhou um pouco de sua experiência profissional em uma reportagem do site Daily Mail, da Austrália. A foto em questão mostra como ficou uma casa, após um usuário de metanfetamina invadir o local, se cortar e sair correndo pela casa.

Já na imagem da mulher é possível perceber que a policial que aparece na foto usa um uniforme bastante parecido com a da Polícia Nacional Civil da Guatemala (PNC). De acordo com o site Soy 502, a imagem foi retirada de uma publicação da PNC, no Facebook. A foto foi publicada em 19 de outubro de 2017 e mostra uma mulher sendo presa, após roubar a moto de um vizinho, em Jalapa, na Guatemala.

Em resumo: a história que diz que uma mulher matou seu próprio marido, com 100 machadadas, após flagrar o homem abusando de sua filha é falsa! A história possui diversas versões: na Guatemala, na Bolívia, no México, no Peru etc. As informações variam de acordo com o lugar. Temos nomes, idades e detalhes diferentes em cada texto. Além disso, descobrimos que as fotos utilizadas nas histórias não possuem nenhuma relação com o suposto caso. Uma delas foi retirada de uma reportagem do site Daily Mail, da Austrália, e a outra do Facebook da Polícia Nacional Civil da Guatemala. Ambas foram publicadas em 2017. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso