CEO da Pfizer, Albert Bourla, foi preso por fraude em testes com vacina #boato

Boato – A polícia prendeu, hoje de manhã, o CEO da Pfizer, Albert Bourla. Empresa é acusada de fraudar exames de testes de vacina.

Hoje, 5 de novembro de 2021, o mundo deu mais um passo para se livrar deste “pandemônio” chamado Covid-19. Um remédio da farmacêutica norte-americana Pfizer se mostrou, de acordo com estudos ainda não revisados por pares, quase 90% de eficácia contra hospitalizações e mortes pela doença. Justamente neste dia, grupos antivacinas resolveram compartilhar outra história sobre a empresa.

Textos que circulam em sites conspiracionistas no exterior e chegaram ao Brasil por meio de negacionistas e sites do mesmo “naipe” apontam que o CEO da Pfizer, Albert Bourla, foi preso hoje nos Estados Unidos sob a acusação de “fraudar resultados de testes” com a vacina contra o novo coronavírus. Leia trechos do texto publicado em uma das fontes:

Confira o desmentido em vídeo:

BOMBA: CEO da Pfizer preso, acusado de fraude – A Pfizer é acusada de pagar aos governos e à grande mídia para ficarem calados. O CEO da Pfizer, Albert Bourla, foi preso alegadamente com várias acusações de fraude. Por que ele está preso? […]

O CEO foi preso em sua casa no subúrbio afluente de Scarsdale, Nova York, na manhã de sexta-feira pelo FBI e acusado de várias acusações de fraude. Bourla está detido enquanto aguarda a audiência de fiança. Agentes federais estão executando um mandado de busca em sua casa e em várias outras propriedades que ele possui em todo o país.

Albert Bourla enfrenta acusações de fraude por seu papel em enganar os clientes sobre a eficácia da “vacina” COVID-19. A Pfizer é acusada de falsificar dados e pagar grandes subornos. De acordo com um agente do FBI que falou com o Castor Conservador , a Pfizer mentiu sobre a eficácia das vacinas e enganou os clientes sobre os graves efeitos colaterais que as vacinas podem produzir. A Pfizer é acusada de pagar aos governos e à grande mídia para ficarem calados.

CEO da Pfizer, Albert Bourla, foi preso por fraude em testes com vacina?

A história deixou muitos antivacinas em polvorosa nas redes sociais. Só que assim como as vacinas funcionam contra a Covid-19 (ao contrário do que acreditam esses fanáticos), a história da prisão de Albert Bourla é falsa.

O histórico de boatos sobre a vacina da Pfizer (novo alvo de quem é contra a vacinação aqui no Brasil por contra a aprovação para uso em adolescentes) é vasto. Tanto que fizemos, na semana passada, uma lista com dez fake news relacionadas ao imunizante. Confira aqui neste link.

Com um histórico assim, já dá para ficar desconfiado da veracidade da informação. Desconfianças que viraram verdade com apenas uma busca. Vamos raciocinar: se a informação da prisão fosse real, viraria notícia em tudo que é veículo de mídia mundo afora e seria um grande escândalo. Porém, nada encontramos sobre o assunto em qualquer fonte confiável

Ao buscar pela fonte da informação (inclusive citada por sites no Brasil) chegamos a uma página chamada “Conservative Beaver”. O site “engana-trouxa conservador” tem outras fake news como da prisão de Alec Baldwin, que Democratas queriam mudar regras de eleições e outras coisas. Ou seja, a fonte não é nada confiável.

Para jogar a última pá de cal: além de a notícia não estar em fontes confiáveis e vir de uma fonte não-confiável, o próprio Albert Bourla fez uma aparição pública no momento em que, de acordo com a “notícia”, deveria estar preso. O CEO da Pfizer deu uma entrevista para a CNBC depois mesmo da notícia ter sido publicada.

A história também já foi desmentida por sites norte-americanos de fact-checking. O Lead Stories, por exemplo, falou que os endereços contidos na matéria simplesmente estão errados. O Snopes citou que Albert Bourla também apareceu ao vivo na CNN dos EUA depois da publicação do conteúdo. 

Vale apontar que não paira sobre as pesquisas da vacina da Pfizer nenhuma desconfiança. Além de os testes terem cumprido todas as etapas de pesquisas e terem sido revisados por pares, os números em diversos países (inclusive o Brasil) provam que as vacinas funcionam contra a Covid-19.

Resumindo: é falsa a história que aponta que o CEO da Pfizer, Albert Bourla, foi preso por uma fraude nos testes com vacinas. Trata-se de uma notícia falsa que surgiu em um site que lançou “outras brabas” e que foi desmentida, inclusive, pela aparição pública do presidente da Pfizer.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet