Não é coincidência teoria do Ratanabá viralizar na mesma semana da morte de Dom Phillips e Bruno

Na semana em que o assassinato de Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira foi a principal notícia na mídia, não foi coincidência a viralização da teoria sem embasamento sobre o Ratanabá. O processo é o tema do A Semana em Fakes, com Edgard Matsuki, editor do Boatos.org.

Nos últimos sete dias (como vocês podem ver nos nossos Trends da Semana), o termo mais buscado no Boatos.org foi “Ratanabá”. Isso ocorreu porque muita procurou a nossa análise sobre a teoria que aponta que existiu uma cidade chamada Ratanabá há 600 milhões de anos na Amazônia.

O fato de a teoria (que vai contra qualquer senso científico e não procede) se espalhar na semana do desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira não é mera coincidência. Há anos, os “pesquisadores” que defendem a tese da existência do tal povoado falam sobre o Ratanabá (assim como falam sobre a Terra não ser redonda e que o ET Bilú existe). Ela viralizar na última semana é mais do que conveniente para alguns grupos políticos.

Há quem defenda que a tese maluca serviu (assim como tantas outras coisas servem) como um balão de ensaio para “disfarçar” a notícia sobre Bruno e Dom. Por alguns dias (principalmente no início da semana), muitas pessoas em redes sociais ficaram falando sobre isso e preocupadas em desmentir a balela (infelizmente se fez necessário). Neste caso, pelo menos, não acreditamos nisso. No nosso entendimento, a estratégia foi outra.

Com um pouco de malabarismo (nada muito complicado para quem espalha fake news), a história que aponta para a existência da terra perdida pode ser utilizada politicamente. E isso explica a explosão do conteúdo.

A tal teoria só emergiu nesta semana porque se encaixa por completo em duas teses defendidas por grupos simpáticos a Bolsonaro. 1) Que os estrangeiros estão de olho em riquezas subterrâneas da Amazônia. 2) Porque reforça o argumento que Dom Phillips e Bruno “partiram em uma aventura”. E aí não temos uma, temos três falácias.

Não é verdade que grupos de defesa do meio ambiente considerem que a Amazônia é importante por “riquezas subterrâneas”. Na realidade, a Amazônia tem um papel muito mais importante do que isso. A preservação da floresta é uma das ferramentas para que se frear o aquecimento global.

A tese da aventura também é uma falácia. Dom Phillips estava a trabalho na Amazônia. Ele morreu no exercício da profissão. Ele não foi se aventurar (ou buscar por emoção). Ele foi para lá para contar histórias e jogar luz para um problema. Além disso, reconhecer que o local é violento significa que o poder público falhou em sua missão: garantir a segurança das pessoas. Feito o parêntese, voltamos a Ratanabá (pelo menos no texto).

Caso você não tenha lido os tantos desmentidos que surgiram na internet (inclusive do Boatos.org), não há como existir uma civilização de 600 milhões de anos na Amazônia. Na época, não existia vida humana e os “estudos” apresentados não são embasados por nenhuma fonte científica confiável (o mínimo que deveria acontecer em um caso como esse).

Agora que a tese foi derrubada, nos cabe esperar se, no próximo escândalo envolvendo a Amazônia (que infelizmente não deve demorar a ocorrer), a teoria vai ressurgir ou se será substituída por outro factoide. Por enquanto, deixamos um conselho: não acredite em tudo que você lê na internet. Seja no Brasil ou em Ratanabá.

Trends da semana

Palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias

  1. Ratanaba (Confira detalhes aqui)
  2. Ivermectina (Confira detalhes aqui)
  3. Lula (Confira detalhes aqui)
  4. Ratanabá (Confira detalhes aqui)
  5. Café a vácuo é misturado com sangue de boi (Confira detalhes aqui)
  6. Anita (Confira detalhes aqui)
  7. Washington Post (Confira detalhes aqui)
  8. Bolsonaro (Confira detalhes aqui)
  9. Anitta (Confira detalhes aqui)
  10. Fenômeno aphelion (Confira detalhes aqui)

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias

  1. Fake news que aponta que Anitta foi vaiada e hostilizada em show por falar mal de Bolsonaro (Confira detalhes aqui)
  2. Informação falsa que aponta para existência da cidade de Ratanabá (Confira detalhes aqui)
  3. Fake news que aponta que Sergio Pérez dedicou vitória na Fórmula 1 a Bolsonaro (Confira detalhes aqui)
  4. Tese errada que aponta que Bruno Araújo Pereira e Dom Phillips eram extremistas e estavam de forma ilegal na Amazônia (Confira detalhes aqui)
  5. Fake news que aponta que homem andou sobre as águas em Londres (Confira detalhes aqui)

Destaques nas redes sociais


Desde o início de 2021, o Boatos.org promove a seção “A Semana em Fakes”, com análises sobre assuntos relacionados a fake news. O conteúdo é aberto para republicação em veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Jorn., Portal MetrópolesPortal T5, Conexão Marília, O Anhanguera e RP10 (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet