Fake news de situações envolvendo Bolsonaro mostram que ninguém está livre da desinformação

Nesta semana, o presidente foi a figura que mais se destacou como vítima de fake news. Movimento mostra que ninguém está livre de ser vítima de boatos na internet e que bolsonaristas também podem “provar” do veneno da desinformação.

Em termos de fake news, a semana de pessoas simpáticas ao presidente Jair Bolsonaro foi um pouco atípica. Apesar de, como sempre, não faltar informações falsas favoráveis ao presidente em redes sociais (a semana teve de “prova da eficácia da cloroquina” até “funcionária do TSE denunciando urnas”), dois boatos contra o presidente foram os que mais chamaram atenção.

Curiosamente, as duas informações falsas que viralizaram por aí tiveram como origem eventos que ocorrem no último domingo (7). Uma das histórias se utilizou de um vídeo de pessoas xingando Bolsonaro para apontar que ele havia sido “expulso” de uma churrascaria em São Paulo. A informação não procedia. Apesar das vaias (que foram menores que os aplausos no local), Bolsonaro não foi expulso. Ele deixou o local tranquilamente.

A segunda história também remonta o dia 7, mas viralizou na última sexta-feira (12). Depois de uma foto de Michelle Bolsonaro com a esposa de Guilherme de Pádua circular online, publicações davam conta de que Bolsonaro havia “almoçado” com o assassino de Daniella Perez em Minas Gerais. A informação foi desmentida por todos envolvidos, circulou sem provas (e com muita ilação) e não bate com outros pontos (como o fato de Bolsonaro ter almoçado em São Paulo).

Os episódios nos fazem chegar a algumas conclusões. A primeira é que, assim como bolsonaristas se deixam levar por histórias favoráveis ao presidente e não fazem a checagem devida, opositores também o fazem se a informação lhe interessa. Mais do que nunca, o conceito de pós-verdade continua vivo, firme e forte.

A segunda é que não é só as fake news pró-Bolsonaro que cumprem o “objetivo” de desviar o debate público. Um monte de gente ficou por duas ocasiões discutindo em cima de informações que se mostraram erradas.

A terceira é que até bolsonaristas podem ser vítimas de fake news. E ao contrário do que muitos imaginam, nem sempre eles levam vantagem neste terreno de “vale tudo” no debate. Seria uma ótima oportunidade para quem espalha fake news pró-presidente repensar a prática, mas sabemos que isso é pedir demais.

Trends da semana

Palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias

  1. Bolsonaro (Confira detalhes aqui)
  2. Nubank (Confira detalhes aqui)
  3. Lula (Confira detalhes aqui)
  4. Cpfl (Confira detalhes aqui)
  5. Ibge (Confira detalhes aqui)
  6. Funcionário do Ibge (Confira detalhes aqui)
  7. Fernando Catta Preta (Confira detalhes aqui)
  8. IBGE (Confira detalhes aqui)
  9. Leroy Merlin (Confira detalhes aqui)
  10. Voto parcial (Confira detalhes aqui)

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias

  1. Fake news que aponta que Nubank está dando R$ 50 de Pix do Dia dos Pais (Confira detalhes aqui)
  2. História falsa que aponta que Bolsonaro foi expulso da churrascaria em São Paulo (Confira detalhes aqui)
  3. Informação falsa que aponta que boneca envenenada com entorpecente está sendo utilizada em assaltos (Confira detalhes aqui)
  4. Fake news que aponta que militantes chamaram Lula de ladrão durante comício (Confira detalhes aqui)
  5. Fake news que aponta que funcionário falso do IBGE está realizando assaltos (Confira detalhes aqui)

Destaques nas redes sociais

Desde o início de 2021, o Boatos.org promove a seção “A Semana em Fakes”, com análises sobre assuntos relacionados a fake news. O conteúdo é aberto para republicação em veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Jorn., Portal MetrópolesPortal T5, Conexão Marília, O Anhanguera e RP10 (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet