Os cinco desmentidos de fake news mais lidos de 2018 no Boatos.org

Seguindo a nossa retrospectiva sobre as fake news de 2018, confira os cinco textos mais lidos do ano no Boatos.org.

Vocês já viram a escolha de todos os integrantes da equipe do Boatos.org em relação às principais fake news de 2018. Para fechar o nosso balanço do ano, vamos trazer agora as cinco notícias mais lidas do site em 2018.

Veja também: Equipe do Boatos.org escolhe os boatos que mais marcaram o ano (com vídeo):

Na nossa lista, teve dica falsa de saúde, Pabllo Vittar, ameaça da internet, eleições e greve dos caminhoneiros. Apesar de muito “tema representativo” ter ficado fora do top 5 (como fraudes nas urnas eletrônicas e kit gay), os textos mais lidos do ano mostram um pouco como foi o 2018 em termos de fake news.

5)  Os ovos de plástico da China

Em junho deste ano, diversos vídeos “denunciando” que ovos da China estavam sendo feitos de plástico e vendidos como reais começaram a pipocar na internet. Muita gente começou a se apavorar a até a falar que os ovos falsos haviam chegado ao Brasil. Só tinha um detalhe, era uma fake news.

As imagens que circularam online eram de fabricação de ovos de brinquedo e de ovos com a validade expirada. No Brasil, tudo não passava de paranoia mesmo. Em maio a isso, o nosso desmentido teve mais de 460 mil visualizações. A versão “ovos chegaram ao Brasil” teve mais 170 mil visualizações.

4) Momo, o demônio e ameaça da internet

Em 2017, uma história falsa se tornou um problema real na internet: o jogo da Baleia Azul. Graças à mídia sensacionalista e a curiosidade dos adolescentes, um jogo que só existia no imaginário ficou perto de se tornar real. Em 2018, o mesmo aconteceu. Só que a ameaça atendia pelo nome de “Momo”.

Uma fanfic (história fictícia) dava conta de que um “demônio” estava usando o WhatsApp e fazendo ameaça às pessoas. Como “patinhos”, adolescentes estavam enviando a mensagem para o número citado (do Japão). Poucos dias depois, novos “Momos” começaram a surgir e muita gente começou a revelar dados pessoais.

Quando a história começou a crescer, fizemos um artigo mostrando por que a lenda não procedia (a foto nada mais era do que uma escultura de uma exposição) e que era perigoso sair enviando mensagens para desconhecidos. Também diversos que desmentir histórias que só assustavam e aumentavam o fascínio pelo caso (como a morte de uma menina).

No fim, o texto resultado em mais de 540 mil visualizações (a da morte da menina teve mais 60 mil) e nossos números do WhatsApp entupidos de mensagens de adolescentes e crianças sem lá muito juízo.

3) Pabllo Vittar namora com jogador do Corinthians

Essa história juntou entretenimento e esporte em um mesmo lugar. Pabllo Vittar (figurinha carimbada em fake news) virou protagonista de um print falso do portal G1 que apontava que ela seria namorada de Renê Júnior (jogador do Corinthians).

A história (bem prosaica, por sinal), bombou em março de 2018 e teve nada menos do que 570 mil visualizações de página. Dois detalhes corroboraram para o sucesso do texto: só o Boatos.org desmentiu o causo e a história chegou a entrar entre as sugestões do Google (o que fez muita gente clicar por curiosidade). Quem clicou descobriu que a pessoa da foto não era jogador do Corinthians nem “namorado” da cantora.

2) Bolsonaro forjou o próprio atentado

Na lista de buscas internas no Boatos.org, o nome de Bolsonaro foi o mais procurado. Dentre todas as fake news envolvendo o presidente eleito em 2018, o que mais foi lido foi a “tese” de que ele teria forjado o próprio atentado. O texto, que nada mais era do que mais uma versão da fake news do “escândalo que todo mundo suspeitava”, foi lido por mais 590 mil pessoas.

Após esse texto (muito nonsense, por sinal), surgiram outros tópicos relacionados ao tema: o do sangue falso (com mais de 140 mil visualizações), do áudio dele admitindo o “teatro” (320 mil visualizações) e até que o motivo de se forjar era um “câncer” (30 mil visualizações). Não é nem preciso dizer que a tese, além de estapafúrdia, foi descartada pela polícia.

1) A greve dos caminhoneiros vai voltar

Em maio de 2018, a greve dos caminhoneiros deixou muita gente preocupada. Depois de cerca de uma semana parados, integrantes da categoria conseguiram ser ouvidos pelo governo e resolveram voltar ao trabalho. Durante a greve, não falou fake news. Mas foi após o fim da paralisação que surgiu a mais lida de 2018.

Áudios começavam a dar conta que uma nova greve iria se iniciar no Brasil. Ao nos deparar com o conteúdo, percebemos que a história vinha de caminhoneiros que tinham pouca representatividade no movimento ou de pessoas ligadas a grupo políticos que só “queriam tocar o terror”. Analisamos, desmentimos e, não demorou muito para as pessoas descobrirem que a “nova greve” era boato.

Ao todo, o texto teve mais de 720 mil visualizações. A “ameaça de nova greve” (usando os mesmos áudios) voltou a aparecer em junho (nosso desmentido teve mais de 180 mil visualizações), em setembro (mais de 40 mil) e em dezembro (aí nem nos demos ao trabalho de desmentir).

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)