Nova greve dos caminhoneiros vai acontecer após o feriado #boato

Boato – Áudios no WhatsApp apontam que caminhoneiros irão realizar nova uma greve após o feriado. Nota de entidade reforça a informação. Abasteça os carros e estoquem comida!

Dentre tantos momentos de ebulição ocorridos no ano de 2018, um dos maiores deles aconteceu durante a greve dos caminhoneiros em maio. Teve gente desesperada para comprar gasolina, desabastecimento, inflação de produtos e muita boataria. A coisa foi tão traumática que, mesmo após o fim da greve, surgiram boatos sobre a “volta da greve dos caminhoneiros” em duas oportunidades (desmentidos aqui e aqui). Pois bem, temos um terceiro boato agora.

Circulam no WhatsApp áudios que recomendam que as pessoas abasteçam os veículos, “comprem ovo” e não saiam com os veículos para as estradas porque a manifestação seria mais violenta (quase como uma guerra). Em uma versão, é dito que a greve vai acontecer “na segunda-feira após o feriado”. Em outra versão, é dito que vai acontecer domingo.

Mas a coisa não para por aí. Também circulou na internet uma “nota” que seria assinada pela UDC (União dos Caminhoneiros do Brasil). De acordo com a mensagem, a associação estaria comunicando que faria “em dez dias” uma paralisação por tempo indeterminado. A exigência seria a dissolução da diretoria da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Escute os áudios (retirado de um vídeo do Youtube) e leia a nota aqui.

Nova greve dos caminhoneiros vai acontecer após o feriado?

A informação de que os caminhoneiros poderiam parar após o feriado fez com que muita gente ficasse em pânico (e fez alguns oportunistas se darem bem). Teve postos de gasolina lotados, aumento do preço dos combustíveis e muita gente se manifestando a respeito da tal greve. Mas será que está certo que os caminhoneiros farão uma greve, como diz o áudio no WhatsApp, “após o feriado”? A resposta é não. Para vocês entenderem tudo, vamos aos fatos.

Vamos começar desmentindo os materiais completamente falsos que estão se espalhando por aí: os áudios. Você deve ter notado que, durante todo o nosso texto, não fizemos uma única referência a datas. Não falamos que este texto está sendo escrito em setembro de 2018 e que a “ameaça” que circula online é para depois do dia 7 de setembro de 2018. Fizemos isso propositalmente para que você se atente que nenhum dos áudios que viralizaram como atuais são datados (eles falam sempre em domingo, segunda-feira ou “após o feriado”). Mais do que isso, todos os áudios são antigos.

As gravações foram, invariavelmente, feitas na ocasião do primeiro boato de que a greve dos caminhoneiros voltaria. Na época, a ameaça era de que a greve voltaria estava “marcada” para após o feriado de Corpus Christi. Como o Boatos.org antecipou na época, a informação não procedia. Não é preciso nem dizer que áudios antigos e falsos não merecem ser levados a sério.

Segundo ponto: a nota da UDC. É fato que a categoria dos caminhoneiros (que descobriu que tem uma enorme arma de negociação nas mãos) não ficou satisfeita com o aumento do diesel em 13%. Só para relembrar, o preço estava congelado (como havia sido acertado entre o governo e a categoria) desde o fim da última greve. E foi em meio a reclamações da categoria que surgiu a nota da UDC falando da greve após o feriado.

Independentemente da nota ter sido “oficial” da UDC, o fato é que ela significa muito menos do que aparenta. O primeiro ponto está no tamanho da associação. Em meio a uma categoria muito diluída (com dezenas de entidades de “representação”), a ameça de um grupo de parar é muito pouco para cravarmos que haverá uma nova greve nacional. Junte isso ao fato de que a UDC não teve grande participação nas negociações de quando ocorreu a greve de maio.

Ao buscarmos sobre outras lideranças dos caminhoneiros (as que lideraram o movimento grevista), pudemos perceber que a grande maioria não está disposta a entrar em uma nova greve. A Abcam afirmou que marcou uma reunião para tratar do reajuste do preço mínimo do frete (reivindicação da categoria) que seja proporcional ao aumento do diesel e que fará o possível para evitar uma greve.

A Unicam foi além. Além de ter publicado que a ANTT reajustou o preço da tabela do frete mínimo para compensar as perdas com o aumento do diesel, afirmou que “Entidades de caminhoneiros negam boatos sobre nova paralisação”. A CNTA também negou conhecer qualquer movimento grevista em nota oficial e lembra que a greve só seria possível de ser instalada após assembleia oficial.

Já deu para a ver que a nota da UDC teve pouca adesão no meio. Some isso ao fato de que o “líder” da UDC (que não tem site, nem página. Apenas um grupo no Facebook) já negou que haverá, com certeza, greve. “ATENÇÃO NÃO HÁ NENHUM MOVIMENTO DE PARALIZAÇÃO PROGRAMADO COM DATA MARCADA ATÉ QUE ESGOTE TODAS AS CHANCES COM À ANTT.”, diz a mensagem.

Já deu para entender? A história que aponta que haverá uma greve dos caminhoneiros após o feriado de 7 de setembro não procede. Metade da “agitação” está sendo feita com áudios falsos e antigos. A outra metade, que vem de um movimento que pede a greve, já teve o ímpeto freado por outras entidades (que já se dizem satisfeitas com a ANTT) e pelo próprio líder do grupo. Ou seja: é mais um boato que circula online (pelo menos por enquanto).

PS: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, no Facebook e WhatsApp no telefone (61) 991779164

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

3 comentários em “Nova greve dos caminhoneiros vai acontecer após o feriado #boato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)