Manifestação “patriótica” e tragédias dão o tom das fake news da semana

Neste A Semana em Fakes, Edgard Matsuki, editor do Boatos.org, fala sobre os principais boatos dos últimos dias. Manifestação pró-Bolsonaro e tragédia deram o tom da desinformação da semana.

Já falamos na semana passada que, desde quando a CPI da pandemia foi instaurada no Senado, fake news sobre a Covid-19 deram uma arrefecida (foram quatro nos últimos sete dias). Em um cenário no qual a desinformação está se “desviando” do tema, voltamos a um cenário muito parecido com período “pré-coronavírus”.

Em termos de fake news, a semana pode ser dividida em duas partes. Na primeira, as manifestações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro foram o principal pano de fundo para notícias falsas. Três delas tentavam superdimensionar o protesto que (assim como outros) juntou apenas um grupo que, nem de longe, representa o pensamento dos brasileiros.

Uma das notícias falsas apontava que a Globo havia admitido que o protesto havia sido o “maior da história”. Outra apontava para uma foto que, na realidade, era da JMJ de 2013. Uma terceira apontava, ainda, que a manifestação pró-Bolsonaro havia virado capa do The New York Times (com direito à manchete “Brazil Whants to be free”). Houve, ainda, um boato que apontava que manifestantes estavam sendo “pagos” para participar dos protestos.

A semana tinha tudo para ser tomada pelo tema “manifestações pró-Bolsonaro”. Porém, três tragédias acabaram também tomando espaço no mundo das fake news. A primeira foi após o ataque em Santa Catarina que resultou em cinco mortes. Não demorou muito para uma fake news apontar que o autor do ataque tinha “#forabolsonaro” no perfil do Instagram.

A segunda tragédia foi a morte do ator Paulo Gustavo. Não demorou muito para surgir uma tese de que Bolsonaro havia comemorado a morte do ator. Por fim, a ação policial na favela do Jacarezinho não resultou apenas em diversas mortes (até o momento da redação deste texto, 29) como também em fake news. Até o momento, desmentimos duas (aqui e aqui). Mas há uma tendência de crescimento.

E este é o cenário atual no “mundo da desinformação”. Enquanto fake news sobre a Covid-19 estão cada vez mais escondidas (o que é uma boa notícia, mas pode ser apenas sinal do mar recuando antes de um novo tsunami), boatos sobre hard news e política vão, aos poucos, ganhando espaço na internet. A dúvida é: voltamos para 2019 ou estamos avançando para 2022 na pauta das fake news?

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos sete dias foram, em ordem decrescente, Cacau Show, Tribunal Constitucional Militar, Adidas, Paulo Gustavo, Boticário, Ivermectina, Seguro defeso, Embraer, Argentina e Paulo gustavo.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos 7 dias foram, em ordem decrescente, que a Cacau Show estaria dando brindes de Dia das Mães no WhatsApp, que a O Boticário estaria dando esses brindes, que a manifestação pró-Bolsonaro foi a maior da história, que a Engemax estaria contratando profissionais e que o dono da Volpato Engates havia feito um relato sobre a Argentina.

No Twitter, a matéria com maior engajamento foi a que desmentia que a manifestação pró-Bolsonaro havia sido a maior da história. A mesma matéria foi a com maior engajamento no Facebook e no Instagram.

No Telegram, o texto mais visto é o que falava sobre a capa do The New York Times sobre a manifestação pró-Bolsonaro. Por fim, no YouTube o vídeo mais visto foi também sobre a manifestação de Bolsonaro ter sido a “maior da história”.

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles e Portal T5 (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet