Nova regra do WhatsApp gera onda de desinformação sobre o aplicativo

Neste A Semana em Fakes, Edgard Matsuki, editor do Boatos.org, ressalta como a atualização nos termos de uso no WhatsApp tem gerado uma onda de informações erradas sobre o aplicativo.

Muita gente está preocupada com o uso do WhatsApp (aplicativo de mensagens mais popular do Brasil) desde o início do ano. Na época, a empresa que faz a gestão do serviço comunicou uma mudança nos termos de uso: o usuário teria, a partir de certa data, que aceitar o compartilhamento de alguns dados o Facebook. O anúncio gerou protestos e adiamentos (a data inicial para a vigência das regras era 8 de fevereiro e foi passada para 15 de maio) e, claro, fake news.

As mesmas notícias falsas que circularam em janeiro voltaram a circular com força na última semana. A prova disso está no volume de pesquisas de internautas dentro do Boatos.org. A pesquisa de termos relacionados à palavra WhatsApp ocupou 7% do total de pesquisas. Só como comparação, a palavra “vacina” esteve em 5% das pesquisas e “Covid” em 3% das buscas.

Dois foram os principais boatos que circularam na última semana. Um deles distorcia o que poderia ocorrer com as novas regras. No texto falso (desmentido aqui), chegava ser dito que as novas regras fariam com que o Facebook acessasse as mensagens dos internautas e até pudesse fotografar as pessoas a qualquer momento. Obviamente, não é verdade. Explicamos, inclusive, em vídeo:

A segunda informação falsa que circulou online apontava que haveria um jeito do internauta “driblar” as novas regras. Para tantos, precisaria apenas compartilhar um texto que começaria com “Eu Não Autorizo”. A tese não só foi desmentida no Boatos.org como é uma nova versão de uma corrente falsa que já circulou no Facebook e Instagram. Também desmentimos em vídeo aqui:

Para além da desinformação em si, o fato da pauta “WhatsApp” ter mais destaque do que outras questões mais vitais mostra que as fake news não só falam sobre questões globais. Em alguns casos, as mentiras alcançam muitas pessoas apenas falando sobre algo que está ao alcance de suas mãos.

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos sete dias foram, em ordem decrescente, WhatsApp, Whatsapp, Jacarezinho, Ivermectina, Adidas, Coronavac, Bolsonaro, Engemax, Coca Cola e Vacinação.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos 7 dias foram, em ordem decrescente, sobre a mensagem “Eu não autorizo do WhatsApp”, sobre a informação falsa que apontava que uma mãe de um jovem morto no Jacarezinho havia posado com um fuzil na mão, que a informação falsa que Engemax estaria contratando profissionais, sobre uma falsa corrente de uma mãe que teria pedido 12 milhões de visualizações em um vídeo e sobre um vídeo falso atribuído a policiais no Jacarezinho.

No Twitter, a matéria com maior engajamento foi a que desmentia o vídeo atribuído à mãe do jovem no Jacarezinho. A mesma matéria foi a com maior engajamento no YouTube, no Facebook e no Instagram.

Por fim, no Telegram, o texto mais visto é o a Semana em Fakes da semana passada (que falava sobre boatos sobre as manifestações pró-Bolsonaro e tragédias).

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles, Portal T5 e Conexão Marília (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet