Mãe precisa de 12 milhões de visualizações para conseguir tratamento para filha #boato

Boato – Mãe gravou um vídeo falando sobre a doença da filha. Para conseguir o tratamento, ela precisa de 12 milhões de visualizações e pede o compartilhamento.

Já fazia algum tempo que não aparecia na internet aquele velho boato que pedia o compartilhamento de fotos de crianças doentes para que ela “ganhe doações por visualização e tenham o tratamento pago”. Em pleno 2021, esse tipo de história voltou a circular na internet.

Nas imagens, uma mãe mostra o problema da bebê, identificada como Eloá. Ela aponta, no final, que é importante compartilhar o vídeo para que “cheguem logo aos 12 milhões”. Não demorou muito para surgir mensagens apontando que o tratamento seria pago se o vídeo alcançasse 12 milhões de visualizações. Leia uma das mensagens que circula online:

Quem puder ajudar…vamos lá Essa mãe só está pedindo para repassarmos este vídeo!!! Eles precisam de 12 milhões de visualizações, para conseguirem o tratamento da filha. Vamos ajudar !!!

Mãe precisa de 12 milhões de visualizações para conseguir tratamento para filha?

É claro que, com um pedido desses, muita gente iria compartilhar a informação. Infelizmente, o caso é real e, infelizmente, não é com 12 milhões de visualizações que a bebezinha do vídeo vai ter um tratamento pago.

Como falamos no início do texto, esse tipo de boato é um clássico no mundo das fake news. Já desmentimos algumas vezes histórias que apontavam que o WhatsApp daria R$ 1 por cada compartilhamento de foto de bebês (aqui, aqui e aqui) ou que o Facebook paga o tratamento mundo afora de crianças com vídeos virais que têm problemas de saúde. Temos até um vídeo que fala sobre esse tipo de fake:

Ao procurar pelo caso em questão, chegamos à história da menina Eloá Resene Caprali, de Ibirama (SC). A bebê foi diagnosticada com AME Tipo 1 e precisa de um remédio caríssimo para fazer o tratamento. O tratamento custa R$ 12 milhões.

Há até uma página do Facebook que faz a campanha para a menina conseguir o dinheiro para o tratamento. Na última atualização, a família tinha conseguido R$ 677 mil. Ou seja: não se trata “apenas” de compartilhar o vídeo. Se você quiser ajudar a menina Eloá, tem que doar até que ela consiga juntar R$ 12 milhões.

É importante citar que o vídeo que está circulando online foi publicado na própria página da campanha para a arrecadação de fundos. Porém, em nenhum momento a mensagem que acompanha o vídeo pede 12 milhões de visualizações para pagar o tratamento da menina.

Resumindo: a história que aponta que uma mãe vai conseguir pagar o tratamento de uma bebê se chegar a 12 milhões de visualizações em um vídeo é falsa. A criança tem uma doença, mas ela não vai conseguir pagar o tratamento apenas com visualizações. Se você quer mesmo ajudar, faça mais do que isso.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3aIzl5T
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3wa3LY1

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet