“Kit gay”, “boneca trans” e “mamadeira de piroca”: por que as fake news sobre sexualidade arrebatam e enganam tantas pessoas?

Depois da circulação de novas e recorrentes notícias falsas sobre questões sensíveis envolvendo sexualidade, Edgard Matsuki, editor do Boatos.org, analisa por que essas fake news (mesmo sendo obviamente falsas) fazem tanto sucesso.

Cena 1: na campanha eleitoral de 2018, um sujeito que não se identifica fala, em tom de bravata, que o PT iria distribuir uma mamadeira com um bico em formato de pênis nas escolas Brasil afora dentro do (inexistente, por sinal) “kit gay”. O que poderia ficar apenas como “papo de boteco” acabou se espalhando como verdade absoluta (sem dúvida alguma com a ajuda de impulsionamentos automáticos) nos “WhatsApps” Brasil afora. Mais uma vez, era um boato sem sentido que foi desmentido pelo Boatos.org e outros veículos de mídia (de checagem ou não).

Cena 2: na última semana, uma mulher indignada aponta que uma empresa brasileira de produtos infantis lançou uma boneca transexual (com roupa de menina, mas com órgãos genitais masculinos). O conteúdo, novamente, se espalha entre grupos conservadores na internet e se mostra falso. A própria fabricante desmentiu que produza qualquer brinquedo do tipo e “mata a charada”: pegaram a roupa de uma boneca “menina” e colocaram em um “boneco menino”.

Poderíamos citar muitos outros exemplos de fake news que tentam apontar para “escândalos” da sociedade (existem casos de “projeto de lei da esquerda do incesto” até “a Mônica com um peru”), mas só o que citamos já dá para mostrar que o tema “sexualidade” + “esquerda” sucesso na internet. A prova está aí: Bolsonaro está eleito e até hoje tem gente que diz que alguns políticos têm como, principal objetivo, sexualizar “as criancinhas”.

Na realidade, mensagens falsas como essas atendem a um público muito especial: conservadores puritanos (pelo menos na teoria). São com histórias assim que grupos políticos conseguem manter a fidelidade de algumas pessoas e, em alguns casos mais extremos, até as cegar, literalmente, pelo medo.

Para manter o medo ativo é preciso criar, periodicamente, denúncias (mesmo que sejam falsas) de que há oposicionistas políticos ou pessoas devassas na sociedade querendo atacar a “moral e bons costumes”. O pior é que, em muitas oportunidades, a estratégia dá certo.

Imagine qual é o efeito que notícias como essas têm ao chegar (seja diretamente ou por meio de um comentário “boca a boca” de alguém do seu grupo social) a uma senhora com um nível de escolaridade baixo, que não acompanha noticiários e que tem como principal hobby ir à sua igreja ou congregação uma (ou mais) vez por semana? É lógico que ela vai, no mínimo, se indignar e se propor a fazer o possível que situações como essas se concretizem (até jogar o seu voto em quem tem como principal proposta evitar o kit gay nas escolas).

Com as eleições de 2022 se aproximando e o cenário acirrado que se avizinha, é mais do que certo que histórias como essa vão aparecer na internet. O que podemos fazer? Às plataformas, vale ficar alerta. A quem é atingido por desinformação, vale criar uma estratégia desde já. À mídia e serviços de checagem, vale se preparar para o volume de fake news e, principalmente, não minimizar o poder danoso deste tipo de conteúdo. Por fim, a você vale pensar mil vezes antes de aceitar aquele discurso fácil de “kit gay”, “mamadeira de piroca” ou “boneca transexual”.

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, Vale gás, Boneca,  Vale gas, Pfizer, Boneca cotiplas, Ivermectina, Novas multas de trânsito, Pfizermectine, Lula e Novas multas.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, sobre a notícia falsa que apontava que a Cotiplás iria lançar uma boneca transexual, que um general chamado Tácito Cavalcanti iria assumir o Ministério da Defesa, que o PT e o MST destruíram casas em Santa Cruz do Capibaribe (PE), que o cantor Thiaguinho havia iniciado um relacionamento com o jogador de vôlei Bruninho e que o Brasil havia aprovado o valor de novas multas a partir de hoje.

No Twitter, no Facebook e no Instagram, o conteúdo com maior engajamento era o que desmentia que o MST e o PT haviam destruído casas em Santa Cruz do Capibaribe. No Telegram, a notícia mais lida foi o A Semana em Fakes da semana passada (sobre boatos recorrentes). Por fim, no YouTube, o conteúdo mais visto era o que desmentia que Tácito Amaral havia assumido o Ministério da Defesa.  

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles, Portal T5, Conexão Marília e O Anhanguera (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet