O melhor do Boatos.org em 2020, por Kyene Becker

Dando início à nossa retrospectiva 2020 das fake news, Kyene Becker escolhe os cinco boatos que mais a impactaram no ano. Lista tem queimadas, café, eleições e pandemia. 

O ano de 2020, de longe, não foi nada daquilo que imaginamos durante a comemoração de Ano Novo. Os pedidos de paz, alegria e momentos felizes foram sobrepostos por uma pandemia, mortes, descrença, queimadas, polarização política e muitas fake news (que prejudicaram bastante a adoção de medidas protetivas contra a Covid-19 e, infelizmente, seguem fazendo estrago na sociedade). Se uma pandemia com quase 200 mil vítimas apenas no Brasil não bastasse, nosso país ainda assistiu de camarote o Pantanal queimar, as confusões envolvendo as eleições presidenciais nos Estados Unidos e as tentativas de fake news mudarem as eleições municipais brasileiras. Para relembrar tudo o que aconteceu neste ano triste e encerrar de vez 2020, nossa equipe preparou uma lista especial. Vem conferir a minha!

Confira a retrospectiva completa

Assista ao “Top 2” em vídeo

5) Ibama coloca fogo na mata para culpar o governo Bolsonaro, mostra vídeo #boato

Assim como em 2019, 2020 também ficou marcado pelas queimadas no Brasil. Assistimos de camarote o Pantanal matogrossense em chamas. A situação causou tanto impacto que o Brasil chegou a ser criticado por diversos países e a sofrer ameaças de sanções comerciais. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de queimadas no Pantanal aumentou 210% em 2020. E é claro que as fake news sobre o assunto chegaram com força.

De acordo com uma história que andou circulando nas redes sociais, um vídeo mostraria funcionários do Ibama colocando fogo na mata para culpar o governo Bolsonaro. As imagens mostram diversos homens identificados ateando fogo na beira de estradas. Apesar de todo o alarde, tudo não passou de um mal entendido.

Na realidade, os homens, que eram funcionários do Ibama, estavam realizando o chamado “manejo de fogo”. A atividade é realizada antes dos períodos de seca e tem como objetivo evitar grandes queimadas no futuro. Vale lembrar que esse tipo de manejo é amparado por lei e estava sendo feito da maneira correta. Para mais detalhes, clique aqui.

4) Vacina contra a Covid-19 vai modificar o DNA das pessoas e nos transformar em seres geneticamente modificados #boato

Nada mais atual do que as fake news sobre as vacinas contra a Covid-19. Além da doença ter tomado conta do mundo todo, ela também se tornou o assunto mais comentado no mundo das fake news. E as informações falsas sobre vacinas só vieram para ser a cereja do bolo, que contou com chás e curas milagrosas, orientações esdrúxulas e perigosas e delírios coletivos sobre evitar o uso de medidas protetivas.

Em agosto de 2020, uma história dava conta que a vacina de mRNA contra a Covid-19 seria capaz de modificar o DNA das pessoas e nos transformar em seres geneticamente modificados (o que seria irreversível). O vídeo que acompanhava a publicação afirmava que Bill Gates estaria por trás de tudo e que a vacina poderia transformar linhas de células humanas em propriedade patenteável (haja paciência para assistir 20 minutos disso!). Na realidade, tudo não passou de puro desconhecimento do processo de desenvolvimento e ação de uma vacina mRNA, faltas em aulas de Biologia no ensino médio e associação a grupos antivacina. Como explicamos no texto, uma vacina mRNA não é capaz de alterar o DNA, porque sequer interage com o nosso código genético.

Na realidade, uma vacina mRNA (a mesma que está sendo usada na Inglaterra) apenas induz o nosso organismo a produzir uma proteína específica do SARS-CoV-2 (novo coronavírus), o que leva o nosso sistema imune a aprender a se defender do agente estranho (como se fosse em uma invasão real). Com isso, criamos barreiras de defesa contra o vírus. E é só. Se isso não bastasse, o assunto se desdobrou em outras histórias, como aqui e aqui. Para mais detalhes, clique aqui.

3) Apenas três países (Brasil, Cuba e Venezuela) usam urnas eletrônicas nas eleições #boato

Em 2020, também tivemos eleições municipais no Brasil. E, nesse ano, enfrentamos as fake news sobre esse período de um jeito diferente. Uma parceria entre o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e diversas agências de checagem (entre elas, o Boatos.org) resultou em um ótimo trabalho no enfrentamento à desinformação sobre as eleições (valeu, Coalizão!). Nesse processo, um dos assuntos mais recorrentes no mundo das fake news foi a desconfiança sobre o uso das urnas eletrônicas (que já vem sendo atacada há algumas eleições).

De acordo com uma história que circulou nas redes sociais, apenas três países (Brasil, Cuba e Venezuela) usariam urnas eletrônicas nas eleições. Após uma rápida pesquisa, descobrimos que isso não é verdade. Ao todo, 26 países ao redor do mundo utilizam sistemas eletrônicos para votação em eleições presidenciais, como Bélgica, França e Nova Zelândia. Cuba sequer usa um sistema eletrônico em suas eleições (por lá, o sistema segue sendo a cédula de papel). Para mais detalhes, clique aqui.

2) Café moído e embalado à vácuo é feito com sangue de boi #boato

E quem diria que uma lenda urbana que já circula há anos por esse Brasilzão teria tanto destaque em um ano conturbado e cheio de assunto? Para completar, essa foi a matéria mais lida de 2020 no Boatos.org. De acordo com a história, os cafés moídos e embalados à vácuo seriam feitos com sangue de boi. Segundo a publicação, isso seria feito para acrescentar peso e volume ao produto final. Entretanto, a história não tem nada de verdade. Para começo de história, a própria Anvisa possui regulamentos e resoluções que não permitem a presença de qualquer produto de origem animal no café.

Foi aí que investigamos mais e descobrimos que toda a história pode ter surgido após uma entrevista de uma empresária brasileira que afirmou que “café brasileiro de supermercado é sangue de boi”. Não por conter o aditivo especial, mas sim por uma comparação com o vinho Sangue de Boi (para fazer uma alusão à baixa qualidade). Pode beber o seu café com tranquilidade! Para mais detalhes, clique aqui.

1) Revista de Virologia afirma que pH do novo coronavírus é ácido e que devemos comer alimentos alcalinos #boato

Sem sombra de dúvidas, a pandemia da Covid-19 tomou o debate mundial. Por aqui, não foi diferente. Foram mais de 500 textos dedicados a desmentir histórias falsas relacionadas à Covid-19, à pandemia ou ao novo coronavírus. Por esse motivo, o top 1 não poderia ser outro. De acordo com a história que circulou nas redes sociais, uma revista de Virologia teria dito que o pH do SARS-CoV-2 (novo coronavírus) é ácido e, por isso, deveríamos comer alimentos alcalinos para eliminá-lo do organismo.

Após ler o texto, ficou evidente toda a confusão e a falta de noções básicas em Biologia e Química. Sabe aquelas coisas que a gente aprende no ensino médio e acha que nunca vai usar na vida se não trabalhar diretamente com aquilo? Pois é. Esse tipo de conhecimento poderia ter diminuído e muito o caráter viral da mensagem. A história cita pHs altíssimos e maiores do que a tabela padrão (como o do abacate, apontado como 15,6).

Além disso, descobrimos que uma leitura equivocada sobre uma pesquisa de 1991 foi a grande responsável pela confusão (ela tratava sobre hepatite em camundongos). Se isso não bastasse, nosso organismo consegue se autorregular, evitando que ele fique muito ácido ou muito alcalino. Ou seja, de nada adianta comer mais alimentos alcalinos para “equilibrar” o organismo, uma vez que ele já faz isso sozinho. Infelizmente, a explicação não foi suficiente para evitar que elementos dessa história seguissem causando desinformação e acabamos desmentindo outras histórias que usaram informações contidas nesse texto, como aqui e aqui. Para mais detalhes, clique aqui.