É melhor não tomar a vacina porque ela altera DNA e causa “homossexualismo” #boato

Boato – Vacina contra Covid-19 vai reduzir população mundial, alterar código genético e causar “homossexualismo”. Por isso, é melhor não tomar. 

Nos últimos dias, notícias de que uma vacina contra a Covid-19 pode ser realidade, ainda em 2020, deixou muita gente esperançosa. Mas a realidade é que as coisas não são tão simples assim e, muito provavelmente, só teremos uma imunização em massa apenas em 2021.

Os apontamentos sobre as fases finais de testes das vacinas não trouxeram apenas felicidade. Há por aí quem não tenha gostado nada da informação. E já existe até quem esteja se pronunciando contra a imunização.

Com isso, diversas histórias começaram a ser compartilhadas nas redes sociais. Uma, em especial, nos chamou a atenção. De acordo ela, um “doutor” teria gravado um áudio onde faz uma “denúncia” contra a segurança das vacinas. Segundo o áudio, o homem afirma que a vacina é uma ferramenta comunista para reduzir a população mundial, que altera o DNA humano e causa o “homossexualismo”. Confira trechos da transcrição do arquivo:

Confira o desmentido em vídeo:

“Eu vou fazer aqui um esclarecimento, que desde o início, eu me comprometi a ajudar o povo de São Simão, como eu ajudo o país todo, no meu canal, a orientar a população, a saber o que tá acontecendo, o que é certo e errado, eu vou fazer o mesmo aqui pela população de São Simão também. Eu já falei muitas vezes sobre essa história dessa vacina. Essa vacina é uma pauta comunista, tem como objetivo reduzir a população mundial, matar seres humanos. Então, não é vírus que mata ninguém, nunca ninguém morreu nesse mundo por causa de um resfriado e ninguém morre de resfriado nesse mundo. Todo mundo foi enganado e nós estamos alertando e avisando isso. A Organização Mundial de Saúde tá repetindo tudo que o presidente Bolsonaro falou lá no início, que essa porcaria desse resfriado não mata ninguém, que o que mata é esse controle populacional, desemprego, fome, miséria. É isso que mata, mas o povo brasileiro tem um fetiche e um desejo por ser controlado pelo Estado e fica aceitando o uso dessa máscara. Aí, ontem, o governador, esse canalha desse governador de São Paulo, esse comunista, filho de um terrorista comunista, que foi expulso do país porque era um terrorista comunista, né? Esse pai do Dória. E esse Dória, ontem, disse que ia obrigar todo mundo, em São Paulo, no estado inteiro, a tomar essa vacina. E salafrário nenhum, canalha nenhum, vai me obrigar tomar uma vacina que eu não quero. E graças a Deus, pelo nosso bem, né? Graças a Deus, nós temos hoje o presidente Bolsonaro, esse enviado de Deus mesmo, para salvar esse país. E o presidente Bolsonaro já veio e disse que esse salafrário desse governador não vai obrigar ninguém a tomar nada. Então, eu não vou dar vacina na minha família ou em um filho meu. Eu não tenho mais a minha filha, infelizmente, porque, né? Perdi minha única filha, mas eu aconselho vocês a não fazerem isso. Isso é uma vacina que altera o código genético. Vocês vão comprometer a vida dos seus filhos e netos. Vocês vão causar síndromes perigosas, que vão destruir os seus filhos e netos. Inclusive, no sentido de fertilidade, de homossexualismo. Então, se você quer o bem dos seus filhos, não vacine seus filhos. Eu estou fazendo meu trabalho. Estou divulgando aqui, exatamente, a fala do presidente da República. Não existem provas científicas que essa vacina funciona ou deixa de funcionar. Leva em torno de 15 anos para uma vacina ser produzida, qualquer um que toma essa vacina hoje está servindo de cobaia. Cobaia. Agora, os cientistas sérios no mundo, esses que realmente se preocupam com o bem-estar do povo, da população mundial, esses já disseram que a vacina vai alterar o código genético, o RNA, e as pessoas que tomarem vão passar a ter problemas gravíssimos de saúde. Os filhos e os netos vão ter problemas graves, porque ela vai alterar o código genético. Quando o seu filho for ter o filho dele, ele vai nascer com problemas, justamente, porque a vacina está modificando. Então, o menino pode deixar de ser menino e vai virar menina, menina deixa de ser menina e vira menino e  nessa linha. Fora outros problemas graves que a gente já sabe por aí, como o câncer e tudo mais. Então, eu estou fazendo o meu papel, estou repetindo aqui as palavras do presidente Bolsonaro. Ninguém pode ser obrigado por Estado, por governo nenhum, a tomar qualquer tipo de vacina que nem comprovação científica tem. E vou repetir, leva 15 anos para desenvolver uma vacina. Essa porcaria dessa vacina chinesa foi feita ontem, por comunistas, por uma maldita ditadura comunista que exterminou, de propósito, 70 milhões de pessoas, que matou 70 milhões de pessoas de propósito, dentro do próprio país, matou chineses. Os Comunistas mataram 70 milhões de chineses de propósito, antes de dominar o país. E esse governo comunista, agora, que matou 70 milhões de inocentes do próprio povo quer obrigar você a tomar essa porcaria dessa vacina. Então, ouça o que eu digo, porque eu não ganho nada com essa história a não ser orientar e alertar a população brasileira. E, graças a Deus, o presidente Bolsonaro não está mancomunado com essa máfia desses governadores todos, que querem obrigar o povo brasileiro a tomar essa vacina. Então, não tome essa porcaria dessa vacina, não dê essa porcaria dessa vacina para os seus filhos. É o conselho que eu dou. Deus abençoe todos vocês”.

Áudio acerta ao dizer que é melhor não tomar vacina, que ela altera DNA e causa homossexualidade?

A informação caiu como uma bomba nas redes sociais e já conta com milhares de compartilhamentos em apenas uma publicação. Apesar disso, a história não passa de um monte de balela.

A verdade é que a história de hoje apenas reproduz um montão de informações falsas já desmentidas aqui no Boatos.org. Para facilitar a compreensão, vamos apresentar todas as explicações por partes. Então, continue lendo.

1) “Vacina é uma pauta comunista e tem como objetivo diminuir a população mundial”

Para ser bem objetivo, essa história é mais velha do que a minha avó (e é mesmo). Lá em 1904, a chamada Revolta da Vacina fez com que muitas pessoas saíssem às ruas para protestar contra a obrigatoriedade da vacina contra a varíola (mesmo que milhares de brasileiros estivessem morrendo ou sobrecarregando hospitais por conta da doença). As fake news da época causaram embates armados entre Exército e população civil e acabou fazendo com que o índice de vacinação contra a varíola despencasse.

E ao que tudo indica, o movimento antivacina segue firme e forte. Apesar disso, os argumentos utilizados por eles não fazem o menor sentido. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras vezes a afirmação de que as vacinas têm o objetivo de reduzir ou monitoras a população mundial. Você pode conferir aqui, aqui, aqui e aqui. Basicamente, o argumento cai por terra sem muito esforço. Se isso realmente estivesse acontecendo, então, teríamos milhares de mortos. Além disso, as mortes iriam ocorrer após as vacinações. Ou seja, seria extremamente óbvio todo o plano. Para completar, não temos nenhum dado, estudo ou algo do tipo que comprove o “plano maquiavélico” do Estado. Se isso não bastasse, a vacina seria uma prova física. Seria fácil analisar e chegar à uma relação (se ela existisse, claro). São inúmeras variáveis e riscos. Ninguém, em sã consciência, seria tão burro a ponto de tentar fazer algo assim.

2) “Não é vírus que mata ninguém, nunca ninguém morreu nesse mundo por causa de um resfriado”

Essa história de que o SARS-CoV-2 não mata ninguém também é antiga e circula desde o início da pandemia. A equipe do Boatos.org já explicou essa teoria aqui. Em resumo, a Covid-19 não só mata, como mata muito. Dados de diversas instituições ao redor do mundo provam isso e basta um clique para encontrar todos eles. Ou seja, a fala contraria tanto a Organização Mundial da Saúde, quanto estudos publicados em revistas científicas e instituições renomadas de pesquisa, como a Universidade Johns Hopkins (que reúne dados sobre a Covid-19 de todo o mundo, servindo como referência para diversas instituições e governos). Como é possível ver, a Covid-19 não se trata de um “resfriadinho”, é real e já fez milhares de vítimas ao redor do mundo.

Além disso, a afirmação de que ninguém nunca morreu por causa de um resfriado é absolutamente falsa. Gripes e resfriados comuns podem matar sim, especialmente se a pessoa possuir um sistema imunológico debilitado. Segundo dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), cerca de 650 mil pessoas morrem por doenças respiratórias relacionadas à gripe por ano.

3) “A Organização Mundial de Saúde tá repetindo tudo que o presidente Bolsonaro falou lá no início”

Além da afirmação estar completamente fora da realidade, ela já foi desmentida aqui, aqui e aqui. Toda a teoria surgiu a partir de uma interpretação completamente equivocada de falas de representantes da OMS. Aqui no Boatos.org já explicamos que a Organização Mundial da Saúde mudou de posicionamento apenas em relação ao uso de máscaras. E isso só ocorreu após evidências científicas mostrarem que o uso poderia beneficiar mais pessoas. Em relação ao isolamento social, a OMS nunca mudou de posicionamento. Desde o início da pandemia, a organização recomendou o isolamento em casos onde os governos não conseguissem aplicar testes em massa. Além disso, a organização nunca recomendou que o isolamento fosse adotado como única medida de proteção. De acordo com a OMS, quando um governo não puder testar em massa e isolar os infectados, o isolamento deveria ser adotado e associado a outras medidas. Ou seja, a OMS nunca concordou com Bolsonaro e muito menos o presidente do Brasil concordou com a organização. Exemplo disso são os diversos ataque de Bolsonaro à OMS, bem como as respostas da OMS ao presidente do Brasil.

4) “[…] o povo brasileiro tem um fetiche e um desejo por ser controlado pelo Estado e fica aceitando o uso dessa máscara”

Essa história de que a máscara não funciona também começou a circular no início da pandemia. A decisão do uso da máscara não caiu do céu, ela foi embasada em estudos científicos sobre a disseminação do vírus. Isso porque ela representa uma barreira física ao vírus do SARS-CoV-2. Além disso, pesquisas recentes mostraram que o uso da máscara pode sim reduzir a transmissão do novo coronavírus.

5) “[…] esse canalha desse governador de São Paulo, esse comunista, filho de um terrorista comunista, que foi expulso do país porque era um terrorista comunista”

Vou confessar para vocês que essa história é nova para mim. O pai de João Doria, João Agripino Dória, foi deputado federal e teve seu mandato cassado pela ditadura militar, em 1964. Ele sofreu exílio político e precisou se mudar com a família para a Europa. Após dois anos em Paris (França), a família retornou ao Brasil. Em uma declaração, o governador de São Paulo afirmou que seu pai perdeu quase tudo durante o exílio. Durante o trabalho como deputado federal, João Agripino Dória defendia o presidente deposto João Goulart e se posicionava contra o imperialismo, levantando posicionamentos nacionalista e de esquerda. Apesar disso, não existem provas de que ele era comunista. Aliás, é importante destacar que, durante o período da ditadura militar no Brasil, toda e qualquer pessoa que se posicionava contra o governo militar era taxado de “comunista”. Se isso não fosse suficiente, diversos estudiosos brasileiros apontam que a ameaça comunista nunca existiu no país e foi apenas um argumento usado pelos militares para sustentar o golpe político.

6) “[…] nós temos hoje o presidente Bolsonaro, esse enviado de Deus mesmo, para salvar esse país”

Apesar da enorme convicção do “doutor”, precisamos concordar que as ações e os números mostram que Bolsonaro passou longe de salvar o país. Já somamos mais de 154 mil mortes e 5 milhões de infectados. Se isso não bastasse, os números da doença no Brasil se sustentaram no topo ao longo de diversos meses. Se Bolsonaro for mesmo um enviado de Deus, então Deus está agindo para proporcionar o próprio apocalipse em terras tupiniquins.

7) “[…] vacina vai alterar o código genético, o RNA, e as pessoas que tomarem vão passar a ter problemas gravíssimos de saúde, […] como o homossexualismo e a troca de sexo”

Eu já perdi as contas de quantas vezes precisei explicar que as vacinas não alteram o código genético e não causam problemas em pessoas que possuem a recomendação para se vacinarem. As vacinas, simplesmente, não possuem essa função. Já desmentimos essa teoria aqui, aqui e aqui. No Brasil, o Instituto Butantan já confirmou a segurança da vacina CoronaVac (a “vacina chinesa”). Essa vacina utiliza um vírus inativado, igual a vacina contra a raiva ou gripe. Essa tecnologia, inclusive, é considerada uma das mais seguras no mundo. Uma vacina que utiliza o vírus inativado não é capaz de produzir sintomas da doença e o que ela faz é “enganar” o organismo. O corpo humano acredita que o vírus (que está morto) representa um perigo ao organismo e começa a produzir uma resposta de proteção (que vai gerar a imunidade).

Já a afirmação de que a vacina poderia causar “homossexualismo” e a “mudança de sexo” de crianças, além de completamente absurda, é total homofóbica e transfóbica. No Brasil, a homossexualidade não é mais considerada “desvio sexual” desde 1985. E muito menos é uma opção, mas sim uma orientação sexual. Já a transexualidade diz respeito à identidade de gênero, isto é, como a pessoa se identifica. Transexuais são pessoas que não se identificam com o gênero biológico, ou seja, com o gênero com o qual nasceu e, por isso, passa pela chamada redesignação sexual. Como é possível ver, nenhum dos dois casos pode ser afetado por vacinas. É algo muito mais complexo.

8) “Ninguém pode ser obrigado por Estado, por governo nenhum, a tomar qualquer tipo de vacina que nem comprovação científica tem”

A vacinação obrigatória não só pode, como já acontece no país. No caso de crianças e adolescentes, o ECA garante a vacinação de jovens até 18 anos. Se os pais não o fizerem, o Estado tem o direito de exercê-lo. Já no caso de adultos, a lei nº 13.979, promulgada no dia 6 de fevereiro de 2020 (pelo próprio presidente Jair Bolsonaro), garante a vacinação compulsória (obrigatória) da população. Já sobre a comprovação científica, isso é o que não falta. Não só no Brasil, como no restante do mundo.

9) “[…] não tome essa porcaria dessa vacina, não dê essa porcaria dessa vacina para os seus filhos. É o conselho que eu dou”

Você já ouviu aquele ditado que dizia: se conselho fosse bom, a gente não dava, vendia? Pois é. Ainda mais um conselho desse! Lembra da Revolta da Vacina que citamos no início do texto? Com todo o ocorrido, muita gente deixou de se vacinar contra a varíola. Mas 4 anos depois, a conta veio. Em 1908, o Rio de Janeiro (RJ) enfrentou a pior epidemia da doença em toda a história. A história está aí para não deixar mentir. A vacinação não protege apenas você, mas também outras pessoas, pois ajuda a conter a disseminação do vírus. Testes durante todo o processo de desenvolvimento da vacina já demonstraram que essa forma de imunização é segura, ou seja, a vacinação é a maneira mais concreta de podermos retornar à normalidade. Para completar, as afirmações utilizadas pelos grupos anti-vacina não se sustentam e mais: colocam a vida de muita gente em risco.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2QvB43t
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK