Médico de Cabo Frio afirma que vacina contra Covid-19 mata #boato

Boato – Em vídeo, médico de Cabo Frio (RJ) afirma que vacina contra Covid-19 mata e que colega médico morreu após tomá-la.

E vamos de vacina contra a Covid-19! Se as coisas já andavam tensas apenas com a possibilidade de aprovação de uma vacina contra a doença pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com o início da vacinação as coisas ficaram ainda mais intensas.

Intensas na questão da quantidade de desinformação. O conteúdo, infelizmente, segue o mesmo (confundindo muita gente por aí e prestando um verdadeiro desserviço à sociedade).

Nos últimos dias, um vídeo começou a fazer sucesso nas redes sociais. Segundo a história, um médico da UPA da Secretaria de Saúde de Cabo Frio (RJ) teria afirmado que a vacina contra a Covid-19 pode matar. Nas imagens, o homem afirma que perdeu um amigo médico, chamado João Pedro, por causa da vacina Coronavac. Confira:

Texto:Médico da UPA da secretaria de Cabo frio afirma que a vacina covid-19 mata ! Transcrição: “Boa tarde, meus amigos. Mais um aí, TV Peixoto, a luz da verdade. Eu agora vou estar passando para vocês um vídeo, de um médico, de uma UPA, lá da Secretaria de Cabo Frio. Neste vídeo, esse médico, ele está afirmando, ok? Que a vacina que está na secretaria do Butantan, ela mata! E ela afirma também que já matou um amigo com nome de João Pedro. Vou passar agora para vocês esse vídeo, de um médico, lá de Cabo Frio”.

Médico de Cabo Frio afirma que vacina contra Covid-19 mata?

A informação viralizou nas redes sociais, em especial, no Facebook, no WhatsApp e no YouTube. Apesar disso, a história não passa de balela.

Basta olhar para a publicação para encontrar os equívocos. A mensagem apresenta as principais características de fake news, como o caráter vago (o nome do médico não é citado, ele não diz em qual UPA trabalha e muito menos informa o sobrenome do tal João Pedro), extremamente alarmista, os erros de português e a falta de fontes confiáveis.

Além disso, o que a equipe do Boatos.org mais tem feito nesses últimos meses é desmentir histórias falsas envolvendo as vacinas contra a Covid-19, como a que dizia que o médico Anthony Wong teria sido envenenado pela China por ser contra a vacina. Também a que indicava que a vacinação da enfermeira Mônica Calazans teria sido uma farsa, uma vez que ela já havia sido vacinada contra a Covid-19 e, por fim, a que apontava que a enfermeira Khalilah Mitchell teve paralisia facial após tomar a vacina nos EUA.

Pois bem, dessa vez, não foi preciso ir muito longe para desmentir toda a farsa. O mesmo vídeo já foi checado pela equipe do Boatos.org há alguns meses. A diferença é que, na história de hoje, o vídeo foi editado e re-postado nas redes sociais. O homem que aparece nas imagens sequer é médico. Na realidade, ele é um enfermeiro na cidade de Cabo Frio (RJ). Se isso não bastasse, ele já publicou diversos outros conteúdos (devidamente verificados por outras agências de checagem e classificados como falsos!).

Além disso, as afirmações feitas ao longo do vídeo também não procedem. A primeira delas é sobre o médico João Pedro. De acordo com o enfermeiro, o médico teria morrido por causa da vacina. Isso não é verdade. João Pedro fazia parte dos testes da vacina de Oxford/AstraZeneca e sequer chegou a tomar o imunizante. Durante o estudo, o médico tomou uma dose de placebo e, infelizmente, acabou falecendo por complicações da Covid-19.

A segunda afirmação falsa é a de que não existem vacinas aprovadas pela Anvisa. No 17 de janeiro de 2021, a Anvisa aprovou, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac (uma parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac) e de Oxford/AstraZeneca.

A terceira afirmação equivocada é a de que o governador de São Paulo, João Doria, estaria obrigando a população a se vacinar sem o imunizante ser aprovado em testes. Nenhuma vacina será aprovada pela Anvisa se não conseguir um bom resultado em termos de eficácia (mínimo de 50%) e segurança. Sem a aprovação nos testes e pela agência reguladora (Anvisa), a vacina jamais chegará ao público.

Por fim, há ainda a afirmação de que o governo irá vacinar apenas metade da população. A outra metade receberia apenas uma dose de placebo. Isso não é verdade! Se um governo anuncia a vacinação contra a Covid-19, significa que toda a população será vacina com o imunizante. O uso do placebo ocorre apenas durante os testes para os pesquisadores terem uma margem de comparação controlada (se a vacina realmente faz diferença, quanto protege em relação a quem não se vacinou, os efeitos colaterais etc). Dessa forma, toda a vacinação ocorrida após a aprovação da vacina pela Anvisa será com o imunizante (e não com doses de placebo).

Em resumo: a história que diz que um médico de Cabo Frio teria afirmado que a vacina contra a Covid-19 mata é falsa! O homem que aparece no vídeo, na realidade, é um enfermeiro na cidade de Cabo Frio (RJ). Além disso, o conteúdo do relato não é real. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK