Dr. Heider do Hospital Adventista de Belém condena uso de máscaras em áudio no WhatsApp #boato

Boato – Dr. Heider do Hospital Adventista de Belém (PA) defende o não uso da máscara e diz que já há medicamentos eficazes contra a Covid-19.

A pandemia da Covid-19, com certeza, obrigou os brasileiros a adotarem novos hábitos, como o uso das máscaras. Bastante comum em países asiáticos, como o Japão, o uso da máscara se tornou popular, especialmente, no início dos anos 2000, após o surto da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

Em meio ao surto do novo coronavírus (SARS-CoV-2), a máscara deixou de ser apenas um item obrigatório para profissionais da saúde. No Brasil, diversas cidades já exigem o uso do acessório para entrar em lugares públicos.

Porém, ainda há quem discorde do uso da máscara e apoie a livre circulação do vírus (e das pessoas) para se criar anticorpos. Nos últimos dias, por exemplo, um áudio tem feitos sucesso nas redes sociais. De acordo com o material, o médico Heider, do Hospital Adventista de Belém (PA), teria afirmado que os brasileiros não deveriam usar máscara, porque precisam contrair o vírus para criar imunidade ao mesmo. Segundo ele, o Brasil já teria medicamentos comprovadamente eficazes contra à Covid-19, o que seria suficiente para manter apenas o isolamento de pessoas do grupo de risco. Por fim, ele também dá dicas de saúde e prescreve vitaminas de forma indiscriminada. Confira:

Mensagem: “Este áudio e uma fonte segura,  Dr Heider do Hosp Adv de Belem! Ele vai mudar o pensamento de todos sobre o uso das máscaras e outros detalhes”.

Transcrição: “Olá, meu nome é Heider, sou médico e hoje é dia vinte e três de abril de dois mil e vinte. Eu tô fazendo esse áudio por um questionamento. Por que usar máscaras? Primeiro, vamos entender para que elas servem. Máscaras diminuem a transmissibilidade de patógenos pelas vias aéreas superiores de quem as usa. Numa cirurgia abdominal, por exemplo, nós utilizamos para que gotículas que saem da nossa expiração não caiam dentro da cavidade estéreo da pessoa que tá sendo operada. Então, numa epidemia viral, se todos usarem máscaras, diminui-se a disseminação do vírus entre as pessoas, correto? A resposta é sim. Porém, numa epidemia viral, nós sabemos de duas coisas. Primeiro, o vírus é um parasita e, enquanto houver pessoas susceptíveis a ele, leia-se sem imunização, ele permanecerá causando doença. Segunda coisa, uma epidemia viral só acaba quando mais de noventa e cinco por cento da população estiver imunizada e só há duas maneiras disso acontecer: vacinação em massa, que precisa de protocolos rígidos para ser liberada, assim, normalmente, demora anos ou o que chamamos de imunização comunitária, quando todos são expostos ao vírus e criam, por si só, anticorpos contra ele. Se numa epidemia viral não houvesse nada pra fazer, se estivéssemos simplesmente que esperar, o uso de máscaras obrigatório à população diminuiria o contágio, prolongaria o tempo de prevalência da doença e a imunidade seria conseguida devagar, até que uma vacina pudesse imunizar a todos e acabá-la. Porém, isso não acontece hoje. Temos medicações comprovadamente eficazes e muito conhecidas em epidemias virais. Ivermectina, Hidroxicloroquina Azitromicina, anticoagulantes, corticoides e antirretrovirais. Especificamente, na epidemia da Covid-19, se essas drogas forem utilizadas de forma competente, diga-se, por uma equipe de saúde treinada e ainda no início dos sintomas, na prática, teríamos redução drástica das internações e formas graves da doença. Diante desse cenário, eu pergunto pra você: por que, então, usar máscaras? Por que é politicamente correto? Apenas pra postergar uma epidemia desnecessariamente, fazer com que ela fique mais tempo conosco, mesmo podendo dizimá-la mais rapidamente? Sabe, gente, o que falta nesse país chamado Brasil é vontade de salvar pessoas. A politicagem de governadores, prefeitos, deputados, senadores e até juízes está matando pessoas que poderiam ser salvas, se essas medicações fossem distribuídas em todas as portas de entrada da saúde, postos de saúde, UPAs e hospitais e a população fosse orientada procurá-las no início, repito, no dos sintomas, mas, ao contrário disso, a orientação é só procure o serviço de saúde quando apresentar sintomas graves. Com isso, as medicações já não terão a eficácia esperada, pessoas precisarão de respiradores e muitos morrerão. Será que algum dos governadores, prefeitos e seus assessores que pegaram o coronavírus seguiram essa orientação? É claro que não. Trataram de tomar as medicações no início dos sintomas e estão todos curados hoje. A hipocrisia política não tem limites neste país. A população tá sendo enganada. Está apavorada, em confinamento, deixando a economia do país quebrar, acreditando em uma mídia e políticos hipócritas que pregam o terror, enquanto saqueiam as finanças do país a seu bel prazer. Isso tudo acobertadas por decretos de calamidade pública, onde lhes é conferido o poder de receber dinheiro federal, ou seja, dos nossos impostos e gastá-los sem prestação de contas. Os que elegemos como representantes e que deveriam estar nos protegendo são, exatamente, os que nos empurram para a cova. Mas voltando à epidemia, os que deveriam estar isolados são as pessoas do grupo de risco de adquirirem a forma grave da doença: idosos, grávidas, imunodeficientes, transplantados, fumantes e pessoas que possuem doenças crônicas. Esses, obrigatoriamente, deveriam estar isolados por decreto. A isso, chama-se isolamento vertical. Os demais cidadãos precisam se expor ao vírus. Eu vou repetir: precisam se expor ao vírus, porque muito provavelmente terão poucos sintomas ou uma forma leve da doença e, se tiverem sintomas mais fortes, tem as medicações disponíveis e assim acaba-se com a epidemia. Máscaras não ajudam em nada disso. Respeito os que querem usá-las, mas se acham que estão mais seguros com elas, cobrindo-lhes o rosto, estão mais uma vez enganados. Precisamos sim reforçar nosso sistema imunológico e enfrentar o vírus. Fazemos isso com oito remédios naturais: 1) Ar puro: obtemos isso respirando fundo de dia, junto às plantas, junto à natureza. 2) Água pura: devemos beber, pelo menos, três litros de água por dia, a hidratação é muito importante. Se for água de coco natural, melhor ainda. 3) Sono: muita gente dá pouco valor a sono, mas devemos dormir pelo menos oito horas por noite. Quem é que faz isso, né. 4) Exercício físico: fazer exercícios moderados, sem exageros, mas com a constância, todos os dias, pelo menos um pouquinho. 5) Boa alimentação: comer muitas frutas, verduras, legumes e castanhas. 6) Expor se à luz solar: pegar, pelo menos, quinze minutos de sol por dia. 7) Temperança: evitar sobrecarga, seja de trabalho, estudos e mesmo lazer. tudo que é demais faz mal e, por fim, o 8) Confiança em Deus: confie sua vida a Ele. Ninguém ama mais você do que o seu pai celestial e, por fim, se ainda for necessário suplementar a vitamina D3, eu, particularmente, recomendo às minhas pacientes 25 mil unidades, uma vez por semana, e vitamina C, eu gosto muito do seu comprimido quinhentos miligramas por dia, exceto para os que possuem problemas renais. Se você tiver sintomas gripais fortes, como coriza, febre moderada, tosse, mal-estar ou perceber que o seu olfato ou paladar estão alterados, procure imediatamente o auxílio de um médico da sua confiança. Não tome remédios sem um acompanhamento médico. Que Deus abençoe a todos nós”.

Dr. Heider do Hospital Adventista de Belém condenou uso de máscaras em áudio no WhatsApp?

A história viralizou nas redes sociais, especialmente no contexto atual, onde há uma forte ala que pede pelo isolamento vertical (e contrariando as autoridades em saúde), acreditando ser uma forma de não colapsar a economia. Mas será que essa história de que o Dr. Heider do Hospital Adventista de Belém (PA) teria gravado um áudio condenando o uso de máscaras é verdade? Não é!

Vamos aos fatos! A publicação apresenta quase todas as características de fake news na internet. Ela é vaga (não forneceu mais detalhes sobre o tal Dr. Heider), alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

Além disso, o histórico de informações falsas sobre autoridades que, supostamente, distribuíram dicas sobre a Covid-19 é vasto! A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que a OMS teria afirmado que o isolamento social aumenta a contaminação da Covid-19. Também a que indicava que o Hospital John Hopkins teria feito uma lista com 19 dicas sobre a Covid-19 e, por fim, a que apontava que o Complexo Hospitalar Niterói (CHN) estaria repassando as orientações da Fiocruz sobre o novo coronavírus.

Como se isso não bastasse, o sujeito do áudio fala sobre diversas informações já desmentidas aqui no Boatos.org e por outros cientistas, como o isolamento social prejudicar o quadro de Covid-19, o uso da vitamina C e D e de medicamentos que ainda estão sendo estudados contra a Covid-19.

Vale lembrar, de acordo com os nossos desmentidos, que o isolamento social e o uso da máscara servem para retardar a taxa de transmissão e também para não colapsar o sistema de saúde. Com isso, se achata a curva de contágio e ajuda a ganhar tempo (para que todos tenham acesso aos leitos de terapia intensiva caso seja necessário ou ela descoberta de um tratamento).

Segundo nossos desmentidos, ao contrário do que diz o suposto Dr. Heider, os remédios citados ainda não estão comprovados. Todos estão em fase de testes, apresentando bons ou maus resultados. Portanto, as pesquisas precisam de tempo para trazer contribuições mais abrangentes. E, infelizmente, até o momento, não existe um remédio capaz de conter o avanço do vírus.

Ainda de acordo com os nossos desmentidos e também com a OMS, o isolamento vertical não é uma opção, uma vez que o vírus já se mostrou bastante letal em todas as faixas de idade e, inclusive, em pessoas sem histórico de doenças. Bem como em locais onde, supostamente, os idosos estariam isolados, como em asilos. Além disso, no Brasil, seria quase impossível isolar apenas essas pessoas, já que existe um grande número de famílias que moram em muitas pessoas e em espaços pequenos.

Para esclarecer toda essa história, resolvemos entrar em contato com o Hospital Adventista de Belém (PA). Por meio de seu canal oficial de comunicação, a instituição afirmou que o tal Dr. Heider não faz parte da equipe de hematologia do Hospital. O Hospital Adventista de Belém ainda destacou que o posicionamento do homem não reflete o pensamento da instituição sobre o assunto. Leia:

Boa tarde. O médico mencionado não faz parte da equipe de hematologia do hospital. O conteúdo do áudio não reflete o posicionamento do hospital sobre o assunto. Obrigado pelo contato. [O médico mencionado] Não faz [parte do quadro do Hospital]. 

Atualização: por meio de contatos de leitores descobrimos mais informações sobre o autor do áudio e a história dele. De fato, foi um médico que publicou a informação. O nome dele é Heyder (e não Heider). Apesar de já ter trabalhado no hospital citado, é médico em Goiás. E há uma informação mais importante ainda: o médico reviu o seu posicionamento (assim como muitas autoridades em saúde) e se posicionou favoravelmente ao uso de máscaras. Veja o que ele escreveu no Facebook: 

Queridos internautas: Quem publicou que sou hematologista e que trabalho no Hospital Adventista de Belém, ERROU. Não sou hematologista e não trabalho no HAB. Não represento nenhum hospital e nenhuma instituição religiosa. Meu áudios refletem uma opinião PESSOAL. É verdade que publiquei um áudio EQUIVOCADO condenando as máscaras e dizendo que deveríamos nos expor logo ao vírus para acabar com a epidemia. Manteria minha opinião se a COVID19 fosse uma virose como as outras que já vimos. Porém, depois de me inteirar melhor e conversar com um colega médico intensivista que está na ponta do atendimento ao Corona Vírus, RETIFIQUEI minha posição, como todo bom cristão e honesto deveria fazer. Não vejo nenhuma desonra em mudar de posicionamento ou conduta quando isso mudará muitas opiniões erradas pela sua informação. Muitos médicos renomados erraram também sobre a COVID19. Errar é humano. Quem nunca errou que atire a primeira pedra. Permanecer no erro, sim, é lamentável. Precisamos SIM nos proteger ao máximo deste novo vírus que está causando muitas mortes, porque simplesmente ainda não sabemos tudo sobre ele. Vamos TODOS usar máscaras e fazer a higiene das mãos. Dessa forma, diminuiremos a transmissão do vírus até que a medicina descubra uma cura definitiva ou alguma droga 100% efetiva contra ele. Até lá, se você tiver sintomas como perda do olfato e do paladar, procure um médico da sua confiança e peça a ele para receitar as medicações que estão evitando que muitos tenham a forma grave da doença e precisem ser internados e intubados. Não são todos que usando essas medicações evoluem bem, mas uma boa parte. Então vale à pena tentar. Que Deus nos guarde e abençoe a todos.

Em resumo: a história que diz que o Dr. Heider do Hospital Adventista de Belém (PA) gravou um áudio condenando o uso de máscaras no Brasil é falso! Não sabemos se o homem é, de fato, um médico ou tem esse nome. Porém, ele não pertence ao quadro de funcionários do Hospital Adventista de Belém. Não compartilhe, lembre de lavar bem as mãos e, se possível, permaneça em casa. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Otkv5l
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)