Áudio que fala sobre exame Dímero-D e vacinas conta “a verdade” sobre imunizantes #boato

Boato – Vacinas contra a Covid-19 causam trombose e embolia pulmonar. Teste Dímero-D pode identificar o efeito colateral e salvar vidas. Além disso, é melhor pegar Covid-19 do que se vacinar. 

Junto com a nova onda da Covid-19 ao redor do mundo, também temos enfrentado uma série de fake news na internet que buscam atacar a credibilidade e a segurança das vacinas contra a Covid-19. O movimento (conforme previsto aqui) está sendo suscitado em um momento no qual a Anvisa está decidindo sobre vacinação de crianças.

Nas últimas semanas, vimos diversas histórias falsas que afirmam que as vacinas não são seguras, que os imunizantes podem causar vários problemas irreversíveis de saúde e que a nova variante Ômicron seria mais severa em pessoas vacinadas.

E a história de hoje não é diferente. De acordo com uma publicação que está circulando nas redes sociais, as vacinas contra a Covid-19 seriam responsáveis pela ocorrência de casos de tromboses. Ainda segundo o áudio de 14 minutos (pelo amor de Deus) que acompanha a história, o exame Dímero-D poderia identificar essa reação causada pelo imunizante.

No arquivo, uma mulher conta uma suposta história que teria ocorrido com o marido dela. Ela diz que ele foi “obrigado a se vacinar” e ela resolveu fazer o exame Dímero-D nele. O exame saiu, de acordo com ela, alterado por causa da vacina, o marido foi internado, mas se salvou. A seguir, ela fala que é recomendável fazer o exame todas as semanas porque as vacinas seriam perigosas.

A partir daí, a mulher resolve metralhar os ouvidos de quem a escuta com uma infinidade de informações bombásticas que a pretensa especialista (que se autointitulou “propagandista médica”) teria sobre a vacina (que na realidade, é parte do compilado dos negacionistas mais lunáticos que tanto prejudicam o combate da Covid-19). São tantos os tópicos que vamos falar apenas na segunda parte do texto.

Áudio que fala sobre exame Dímero-D e vacinas conta “a verdade” sobre imunizantes?

A informação viralizou rapidamente nas redes sociais, em especial, no WhatsApp. Apesar disso, a história não tem um pingo de verdade. A explicação fica por conta da origem das informações utilizadas no áudio. E para facilitar a leitura, resolvemos separar as principais afirmações falsas em tópicos. Vamos lá!

Antes disso, precisamos frisar para alguns pontos. O primeiro é que o áudio, apesar de parecer apenas um relato emocionado de uma “esposa que salvou o marido dos males das vacinas”, parece ser um ataque planejado às vacinas. A história, real ou não, serviu apenas para martelar uma série de fake news sobre os imunizantes (muitas delas já desmentidas no Boatos.org e em outros locais). Dito isso, vamos às partes.

Fake #1 – Exame Dímero-D é recomendado para todos que tomam a vacina porque vacinas causam mais trombose do que a Covid-19.

Para começar, não há qualquer comprovação de que a história citada seja real. O áudio não cita o nome das pessoas envolvidas, nem a data na qual a situação ocorreu e muito menos outras informações importantes que possibilitariam a checagem da veracidade da história. E mesmo que a história seja real, não existe qualquer evidência de que o resultado do exame Dímero-D tenha relação com a vacina (ainda mais após a mulher apontar que já tinham se passado 30 dias da aplicação da segunda dose).

Infelizmente, nas últimas semanas, o movimento antivacina tem tentado disseminar o medo entre a população. Os negacionistas utilizam ideias como “a vacina causa trombose” para desestimular as pessoas a se vacinarem. Entretanto, o risco de uma pessoa vacinada desenvolver trombose é muito menor do que o de uma pessoa infectada com Covid-19 desenvolver a mesma condição. Em agosto de 2021, um artigo publicado no British Medical Journal (BMJ) mostrou que pessoas não-vacinadas e infectadas pela Covid-19 têm 200 vezes mais chances de ter trombose venosa do que as pessoas vacinadas.

Além disso, de acordo com os estudos realizados pelos laboratórios e com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maior parte da população terá apenas reações leves a moderadas. Algumas pessoas sequer vão apresentar efeitos adversos após a vacinação. São poucos os casos onde as reações serão graves e vão precisar de cuidados médicos. A Fiocruz, inclusive, separou os sintomas que merecem atenção e indicou que a pessoa procure imediatamente o médico caso apresente algum deles.

Se isso não bastasse, o próprio Instituto Butantan já destacou que a síndrome de trombose com trombocitopenia (baixa contagem de plaquetas), relacionada às pessoas que utilizaram vacinas de vetor viral, é rara e específica. Segundo o Instituto, não existe nenhuma contraindicação da vacina para pessoas com trombose sem trombocitopenia (com plaquetas normais).

Fake #2 – Temos que tomar vitamina C, D, Zinco e fazer o exame Dímero-D todas as semanas

Não existe qualquer orientação médica para alguém fazer isso. Ao longo da pandemia da Covid-19, essa história de que tomar vitamina D, vitamina C e zinco poderiam prevenir o novo coronavírus se espalhou na internet. A justificativa seria que essas substâncias poderiam aumentar a imunidade. Entretanto, a equipe do Boatos.org já desmentiu essa informação. Segundo o desmentido, a automedicação pode causar problemas para a saúde, bem como o uso indiscriminado de substâncias, que podem levar a um quadro de hipervitaminose. Além disso, outros hábitos são necessários para manter a imunidade em dia.

Já o exame de Dímero-D não é indicado para qualquer caso. O Dímero-D é um produto da degradação de fibrina e a avaliação da sua dosagem no organismo é utilizada para identificar quadros de trombose. Em relação à Covid-19, esse tipo de exame é indicado em casos graves da doença, que podem causar quadros trombóticos. Apesar disso, outros exames são necessários para comprovar um quadro de trombose. De acordo com o serviço de checagem da Reuters, um resultado elevado no exame Dímero-D pode ser causado por outros fatores e não pode ser usado como prova da presença de coágulos sanguíneos. Ainda segundo a Reuters, o exame também não é indicado para pessoas que acabaram de se vacinar.

Além disso, a equipe do Boatos.org também já desmentiu a história de que as vacinas poderiam causar fibrina no sangue. Segundo o desmentido, as vacinas são seguras e os casos de trombose ocasionados após a vacinação de algumas pessoas são infinitamente menores do que os causados pela própria Covid-19.

Fake #3 – A vacina é um caminho sem volta porque vai matar todos (!!!)

A velha afirmação dos negacionistas que depois de vacinado, não existe mais volta e você terá que lidar com as consequências do imunizante no seu organismo. A equipe do Boatos.org já desmentiu essa teoria (maluca!) por aqui. Na oportunidade, a história apontava que 30% dos vacinados iriam morrer dentro de 3 meses. Como explicamos por aqui, a informação surgiu em um site negacionista que compartilha fake news e foi traduzida para o português, sem o menor rigor ético e científico.

Se isso não bastasse, o tal “doutor” citado pela mulher não é uma fonte confiável. A equipe do Boatos.org já desmentiu outras histórias referentes ao “doutor”. Segundo o desmentido, mesmo tendo o título de médico, ele é um negacionista e não se apoia em evidências científicas para fazer suas afirmações. Recentemente, o YouTube retirou um vídeo da plataforma onde o médico aparecia falando mentiras sobre as vacinas e a Covid-19.

Fake #4 – As pessoas inteligentes preferem pegar Covid-19 e tomar o kit do que se vacinar

Dados brasileiros mostram que as chances de alguém que não se vacinou ser hospitalizado após contrair a Covid-19 é 257 vezes maior do que aqueles que tomaram a vacina. Já o risco de morte é quase 60 vezes maior entre aqueles que não tomaram o imunizante. Ou seja, “pagar para ver” não é lá uma decisão muito sábia.

Se isso não bastasse, a mulher mistura diversas fake news em alta no mundo negacionista para embasar seu ponto de vista. A equipe do Boatos.org já desmentiu todas elas, como a que dizia que o kit Covid pode prevenir a doença, a que apontava que as vacinas são experimentais e a que indicava que a pandemia é uma farsa e as vacinas são puramente comerciais.

Fake #5 – A variante Ômicron não existe. O que está ocorrendo é um efeito colateral das vacinas, do alumínio e do óxido de grafeno. Em Israel, pessoas estão morrendo aos montes por causa das vacinas

Novamente, a mulher usa um monte de abobrinhas para tentar assustar as pessoas. Se o mundo todo tivesse acordado, na verdade, todos já estariam vacinados e a pandemia controlada. A informação sobre Israel não tem o menor embasamento e se sustenta em uma história falsa, já desmentida pela equipe do Boatos.org.

Já a afirmação sobre a variante Ômicron é absurda. Para saber que se trata de uma variante, cientistas realizam um processo chamado de sequenciamento genético (para saber se a infecção é decorrente de variantes já conhecidas ou novas). Além disso, até o momento, os laboratórios responsáveis pelas vacinas contra a Covid-19 já afirmaram que, no geral, os imunizantes devem proteger contra casos graves e mortes, mas sua eficácia está ameaçada. E nem temos o que dizer sobre a variante Ômicron ser “efeito colateral da vacina”. A afirmação é absurda e irresponsável. Na realidade, a variante Ômicron é fruto da não vacinação.

Além disso, a mulher ainda afirma que a proteína Spike “não é brincadeira” e é responsável por destruir tudo dentro das pessoas. A proteína Spike é a responsável pela ligação do vírus às células do nosso organismo. De fato, não é brincadeira. Entretanto, ela não é adquirida por meio das vacinas. Alguns imunizantes usam a proteína Spike para ensinar o organismo a se defender das infecções e não são capazes de desenvolver a doença. Por outro lado, uma boa chance de fazer com que a proteína Spike “destrua tudo” é não se vacinar.

Se isso não bastasse, a mulher ainda fala sobre a suposta presença de óxido de grafeno e alumínio nas vacinas. Já desmentimos essa história aqui e aqui.

6) Sai da TV e vem se informar pelos áudios incríveis do WhatsApp. Aqui você vai saber que Haia e Nuremberg estão de olho no genocídio da vacinação

É melhor se informar pelo WhatsApp do que pela televisão? Não faz o menor sentido. A mulher afirma que por ter se infectado pela Covid-19, possui o sistema imune 7 vezes mais forte do que quem se vacinou. A informação é leviana e não tem comprovação científica. A vacina é uma maneira de adquirir anticorpos sem sofrer com os sintomas da doença (que pode se desenvolver para um quadro grave e sequer dar a oportunidade da pessoa ficar imune). É a velha história: você prefere se imunizar de forma tranquila ou à base da paulada?

Já a resposta da pergunta sobre “por que se imunizar” é simples: quando atingirmos um número satisfatório de pessoas imunizadas, a doença será controlada. Caso contrário, seguiremos vivendo lockdowns atrás de novas variantes. Em relação ao passaporte sanitário, de fato, ele não evita que pessoas fiquem doentes, mas proporcionam uma maior segurança para as pessoas que frequentam o espaço. Estudos mostram que vacinados transmitem o vírus por menos tempo, além de apresentarem sintomas leves da doença ou não apresentarem sintomas. Já a história de Nuremberg foi desmentida aqui.

Em resumo: a história que diz que o exame Dímero-D poderia salvar vidas por mostrar supostas tromboses após a aplicação da vacina é falsa! Médicos já afirmaram que o exame, de maneira isolada, não pode ser prova da existência de coágulos. Além disso, também destacaram que outros fatores podem alterar o resultado do exame. O áudio também não apresenta outras informações, o que torna inviável a checagem da história sobre o homem que supostamente teria tido trombose após tomar a vacina da Pfizer. Se isso não bastasse, a mulher do áudio usa diversas outras fake news para disseminar suas ideias negacionistas e assustar as pessoas. A realidade é que a mulher apenas usou a história para atacar a credibilidade das vacinas, o que é revoltante e absurdo. Ou seja, a história não passa de balela!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso