Vacinas causam fibrina no sangue de todos vacinados e crianças não devem ser vacinadas #boato

Boato – Análises microscópicas mostram que vacina causa fibrina no sangue e, por isso, crianças e adolescentes não devem se vacinar.

Nas últimas semanas, a farmacêutica Pfizer anunciou dados positivos sobre a vacinação contra a Covid-19 em crianças. Após a realização de um estudo conduzido pela empresa, a Pfizer conseguiu comprovar a eficácia e segurança do imunizante em crianças entre 5 e 11 anos, com a apresentação de dosagens mais ideais para esse público.

Com isso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, aprovou o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças. No Brasil, a empresa apresentou os dados do estudo e deve pedir, em breve, o registro definitivo da vacina para crianças.

Em meio a esse debate, uma história ganhou repercussão nas redes sociais. De acordo com ela, as vacinas causariam fibrinas no sangue e, por isso, não deveríamos vacinar as crianças. Segundo a história, após tomar a vacina, as pessoas começariam a apresentar oxidação das hemácias, aglomeração de glóbulos brancos e um processo trombótico, com excesso de fibrinas. Confira:

Versão 1: Eu confesso pra vocês que eu estou muito impactada, muito impactada em saber que a vacina, quem tomou a vacina vai ter que se tratar o resto da vida. Assim como eu. Eu tomei a vacina. Através da microscopia ontem, eu pude conferir no meu sangue no microscópio várias fibrinas. A vacina, a proteína Spaker, que eles chamam, ela libera na corrente sanguínea várias fibrinas, causando coagulação no sangue. Por isso que muita gente vem a óbito, muita gente dá problema no coração, né? Infarto do miocárdio, é… várias outras doenças vêm se desenvolvendo, devido à quantidade de fibrina. Então, assim ó, pra mim, eu fiquei muito impactada. Eu era o meu sangue. E realmente, assim, o que o pessoal falava e a gente não acreditava muito ou tava em cima do muro, né? E vacinei, eu vacinei pra conferir e ontem eu pude ver a realidade.

A gravidade do problema. E não é hoje, na verdade, muitas pessoas vão passar por isso, tão passando por isso e dizendo: ah, não, eu tô passando por isso numa boa. Tomei a vacina e tô bem, não tive nenhum efeito colateral. Mas agora você pode não ter efeito colateral e daqui a um ano? Daqui 2 anos? Daqui 3 anos? As consequências vão ser graves, gente. Então, eu vou fazer um pedido aqui pra vocês: não vacinem as crianças, não vacinem os adolescentes. Eles têm a imunidade boa, a imunidade deles é alta, né? Na maioria das crianças. Eles têm a defesa imunológica boa. Então, não façam isso com as crianças, porque muita família vai chorar, como já está chorando”

Versão 2: “Depoimento de alguém que tomou a vacina e foi estudar sobre o assunto. Ela viu seu sangue no microscópio e é o que tem no sangue de todos os vacinados!!! Pelo RESTO DA VIDA!!! NÃO VACINEM AS CRIANÇAS E JOVENS!!! VOCÊS ESTÃO MATANDO OS PRÓPRIOS FILHOS!!! Quem tomou a vacina, vai ter que se tratar pelo resto da vida, como ela. #hidromolecular #fibrinas #sangue Meus sentimentos a todos os enlutados por esse plano diabólico. Pense. É de graça!”. Versão 3: “New photo posted in FRAUDEMIA: ‘Dr. Pedro Garcia, médico português, analisando o SANGUE de 16 pacientes “VACINADOS”, em 9/10/2021. A seguir, EFEITOS observados comum a todos, em MICROSCOPIA de Campo Escuro. Fig. 1: OXIDAÇÃO externa nas hemáceas (glóbulos vermelhos), com espaiques. 2: Oxidação INTERNA nas hemáceas, com espaiques internos. 3: Hemáceas ENGATADAS UMAS NAS OUTRAS, fenômeno chamado de “roleau”. 4: Existência de muitas entidades retas brilhantes. Fenômeno INÉDITO na literatura médica. Logo, o óxido de grafeno das vacinas será considerado um fato. 5: Aglomeração de glóbulos brancos EM EXCESSO no sangue. Esta ANORMALIDADE deve-se a uma ação de resposta emergencial do sistema imunológico a algo não identificado pelo médico. 6: Processo TROMBÓTICO: agregação PLAQUETÁRIA, OXIDAÇÃO e AGLOMERAÇÃO de hemáceas e EXCESSO de fibrinas, indicativo de COAGULAÇÃO.’”.

Vacinas causam fibrina no sangue de todos vacinados e crianças não devem ser vacinadas?

A informação se espalhou rapidamente nas redes sociais, em especial, no Facebook e no WhatsApp. Apesar disso, a história não é verdadeira. A explicação fica por conta da falta de noção em Medicina e Biologia de quem criou a história.

Não é de hoje que o movimento antivacina e grupos políticos têm tentado emplacar histórias falsas para justificar suas teorias insanas, mesmo que isso coloque a vida de muitas pessoas em risco. Isso ocorreu durante os surtos recentes de sarampo e de febre amarela no Brasil. Agora, com a pandemia da Covid-19, essas pessoas têm trabalhado em dobro para desacreditar a eficácia das vacinas e desinformar sobre os efeitos colaterais dos imunizantes. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras fake news sobre o assunto.

Para começo de história, precisamos explicar o que seria a tal fibrina citada no texto.  A fibrina nada mais é do que uma proteína que atua na resposta a quadros hemorrágicos ou nos quais haja um grande extravasamento de sangue. Ela desempenha um papel bastante importante no processo de coagulação. Quando uma pessoa sofre uma lesão, um alerta é enviado ao nosso corpo e ele inicia a produção de fibrina. Ao se entrelaçar, a fibrina que parece um longo fio forma uma malha ao redor do ferimento e estanca o sangue. Isso ocorre porque essa malha captura hemácias, leucócitos e plaquetas para formar um coágulo.

Dito isso, vamos ao que interessa. Primeiro, a proteína que compõe o SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19, é a proteína Spike. E não “Spaker”. Vale ressaltar que o nome da proteína Spike foi amplamente divulgado na mídia ao longo da pandemia e é um antigo conhecido de pesquisadores, biólogos, biomédicos e médicos (especialistas com autoridade para falar sobre o assunto). Uma pessoa que não sabe sequer o nome da proteína que faz parte do vírus, com certeza não deve ter a mínima noção de  produção de fibrinas no sangue. Se isso não bastasse, ao procurar pelo nome do evento citado no vídeo, não encontramos nada. Pelo contrário, descobrimos que o termo é utilizado em tratamentos estéticos e em teorias místicas quânticas na internet.

Segundo, essa história de efeitos colaterais graves causados pelas vacinas contra a Covid-19 não é de hoje. E ao contrário do que aponta a publicação de hoje, a maior parte das pessoas terá efeitos colaterais leves, como dor no local da injeção, febre, fadiga, dor de cabeça, dor muscular, calafrios e diarreia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os efeitos colaterais ocorrem nos primeiros dias após a aplicação da vacina. Ou seja, não dá para ter efeito colateral da vacina depois de 2 ou 3 anos.

Terceiro, se uma vacina realmente causasse fibrina, levando à formação de coágulos e, futuramente, trombose, com toda certeza não seria aprovadas pelas principais agências de saúde do mundo. Sequer seriam aprovadas nos testes de segurança durante o desenvolvimento dos imunizantes. Além disso, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) atestou que as vacinas são seguras, gerando anticorpos para nos proteger da doença. Nada mais do que isso.

Quarto, as chances de alguém vacinado desenvolver coágulos e trombose é infinitamente menor do que alguém que seja infectado pela Covid-19. A informação vem de um estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, publicado em abril de 2021. Segundo os estudiosos, quando comparados, o risco de desenvolvimento de coágulos é 8 a 10 vezes maior entre aqueles que não se vacinaram e acabaram infectados pela Covid-19.

Por fim, não vacinar crianças e adolescentes (quando isso for permitido) é um erro. Muitos dos jovens já retornaram às aulas presenciais e estão em contato com crianças e adolescentes de diversos lugares. É importante ressaltar que diversos jovens já morreram por causa da Covid-19 no Brasil. Além disso, imunizar esse grupo também ajuda na construção da imunidade coletiva (uma vez que mais pessoas estarão vacinadas e, consequentemente, a circulação do vírus irá diminuir ainda mais) e a evitar novas variantes.

Em resumo: a história que diz que as vacinas causam fibrinas no sangue e, por isso, não devemos vacinar crianças e adolescentes é falsa! A história não tem a menor lógica. A pessoa que aparece no vídeo não sabe nem falar corretamente o nome da proteína Spike (mas acha que entende de análise microscópica de sangue). Além disso, a história se sustenta em outras fake news e teorias malucas de grupos antivacina. O que temos para concluir é: a vacina é segura e as chances de você desenvolver coágulos pela Covid-19 é de 8 a 10 vezes maior do que tomando a vacina (segundo um estudo da Universidade de Oxford, publicado em abril de 2021). Ou seja, a história não passa de balela!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso