Jean Wyllys mandou matar Bolsonaro, tem ligação com Adélio e é investigado pela PF #boato

Boato – O real motivo de Jean Wyllys renunciar ao cargo de deputado foi descoberto. Ele mandou Adélio Bispo matar Jair Bolsonaro e está sendo investigado pela Polícia Federal.

A penúltima semana de janeiro de 2019 foi agitada em termos de notícias. Uma das que mais causou impacto na internet foi a decisão do deputado federal Jean Wyllys de renunciar ao cargo por causa de ameaças que recebeu em redes sociais. Não demorou muito para o anúncio gerar comentários e, claro, boatos. E é de um deles que vamos falar hoje.

De acordo com textos no Facebook, Twitter e WhatsApp, postagens em blogs e vídeos no Youtube (um dos principais foi um publicado por uma jornalista que foi candidata pelo PSL a deputada federal), o real motivo para Jean Wyllys renunciar ao cargo é uma investigação da Polícia Federal que aponta que ele é o principal suspeito de ter mandado Adélio Bispo matar Bolsonaro. Nas nossas pesquisas não foram poucos os “originais” que apareceram na internet. Para organizar a história, resolvemos fazer uma “linha do tempo” sobre as publicações.

As primeiras informações ligando a renúncia do deputado ao caso Adélio se deram em mensagens “soltas” em redes sociais (é amigo, quase sempre é assim) no mesmo dia do anúncio. As mensagens se confundiram com outros boatos contra Jean Wyllys (como a de que ele estaria fugindo do país por causa de uma acusação de desvio de verbas em movimentos sociais). Logo após os primeiros comentários, alguns “jênios” resolveram “compilar” os comentários. São esses textos mais “encorpados” que costumam ser compartilhados e copiados (e são os que viralizaram). Dois se destacaram:

Versão 1: Jean Wyllys quer fugir do Brasil porquê a Polícia Federal descobriu que, no dia 06 de setembro de 2018, Adélio Bispo Diniz – o bandido que esfaqueou Jair Bolsonaro – tinha registrado presença no gabinete do deputado do PSOL em Brasília, local onde ele sempre se encontrava com Jean Wyllys que agora tem 12 suspeitas de ser o mandante da tentativa de assassinato ao novo presidente.

Por isso, ele inventou a estória de que está sendo ameaçado de morte e precisa escapar do Brasil antes do dia 31 de janeiro quando expira a imunidade parlamentar. Ele já está na França e tudo indica que vai pedir asilo politico pelo envolvimento direto com o bandido Adélio, pois os investigadores da Polícia Federal já tem as informações de que nos últimos dias, Jean Wyllys não parava em lugar algum com o objetivo de fazer “cortina de fumaça” pra *PF*. 

Versão 2: Bomba, Bomba: Jean Willys, está querendo fugir do País, simplesmente pq a PF e a Inteligência do Exército, descobriram que o Deputado, é o MANDANTE da tentativa de Homicídio de Bolsonaro, que no mesmo dia e horário, o Adélio estava em Brasília indo no gabinete de Jean Willys, seria o álibi perfeito. Com as investigações chegando a ele, com mais de 12 pontos de congruências. O bicho vai pegar. Por isso a saída e solicitação de asilo, a despedida a Lula no dia 16/01, etc. Ou os Comunistas acham que ele iria perder um mandato de Deputado Federal de graça?

Melhor do que um “textão”, só um “videozão”. E foi esse o outro conteúdo que viralizou na internet. Publicado (como dito antes) por uma jornalista que foi candidata pelo PSL a deputada federal, uma “live” de cerca de 40 minutos aponta o “real motivo” para a fuga de Jean Wyllys.

Dentre as acusações e “provas” contra o deputado no vídeo (que não será publicado aqui, mas pode ser acessado aqui ou aqui), há um depoimento de um intervencionista e as seguintes, dentre outras, acusações (todas baseadas nos textos que viralizavam em redes sociais):

1) Jean Wyllys iria perder a imunidade parlamentar no próximo mandato. 2) A Polícia Federal está só esperando que ele perca a imunidade para prender ele como principal suspeito. 3) Adélio iria visitar Jean Wyllys no dia da facada (como sempre fazia com ele Gleisi Hoffmann, Maria do Rosário e Manuela D’Ávila). 4) Washington Quaquá desistiu da vaga de deputado para dar o cargo para Jean Wyllys. 5) Jean Wyllys foi um dos deputados que mais gastou verba de gabinete. 6) Ela vai fugir para o México pela Bolívia.

Se você acha que a história parou por aí, está enganado. Depois da live da jornalista (que tivemos o desprazer de ter que assistir toda), começaram a surgir postagens em blogs que sempre compartilham fake news simpáticas à direita “valorizando o conteúdo” e “jogando na cara” que “Jean Wyllys mandou matar Bolsonaro”. Destacamos algumas chamadas e mais um versão do texto aqui:

Versão 1: BOMBA! Jornalista descobre o real motivo da renúncia de Jean Wyllys ao mandato. Versão 2: URGENTE: Jean Wyllys pode ser o principal mandante da tentativa de assassinato de Jair Bolsonaro diz Jornalista. Versão 3: Jean Wyllys é suspeito de mandante do atentado ao Bolsonaro e quer asilo fora do Brasil. Versão 4: O cerco se fecha contra Jean Wyllys! Ligações fortes do deputado com Adélio Bispo. Versão 5: Jornalista apresenta provas de que Jean Wyllys seria o mandante de facada em Jair Bolsonaro.

Texto: Jean Wyllys é o mandante de Adélio Bispo para matar BOLSONARO. No dia 6 de setembro 2018 o atendendo contra a vida de BOLSONARO, foi registrado a presença de Adélio no gabinete de Jean Wyllys no mesmo dia. Adélio frequentava o gabinete e também os gabinetes de Maria do Rosário, Manuela D’Ávila, Gleisi Hoffmann.

Jean Wyllys até o dia 30 de Janeiro ele tem o foro privilegiado, a partir do dia 1 de Fevereiro todos os deputados não terão direito ao foro privilegiado, por isso ele está fugindo, com a conversa de que está sendo ameaçado, é mentira vai vira foragido político e pedir refúgio para países Comunista.

Ele pretende fugir para Cuba passar um tempo por lá e depois seguir para o México o objetivo dele é manter foragidos em países a onde o governo é Comunista. No dia 16/01/19 Jean Wyllys foi se despedir do presidiário de LULA , com ele leva uma carta do Lula para facilitar sua fuga nos países Comunistas.

Jean Wyllys mandou matar Bolsonaro, tem ligação com Adélio e quer fugir do país?

É fascinante (se não fosse trágica) a forma que essas histórias se espalham na internet (vocês podem ver mais detalhes sobre a circulação do conteúdo neste post do Monitor do Debate Politico no Meio Digital). Mas será mesmo que esse tsunami de informações que circularam na internet são reais? A resposta é não. Para você entender tudo, vamos aos fatos.

Para começar, vamos a uma análise “geral” do conteúdo postado em forma de texto. Como é de se imaginar, elas carregam algumas das principais características de boatos online. São vagas (via de regra), alarmistas, com erros de português (principalmente no nome do deputado, que foi tratado como Jean Willis, Jean Willys, Jean Wyllis, Jean William, Jean Willians, Jean Wilis, Jean Willian, Jean Wilys etc), pedidos de compartilhamento (em muitos casos) e não citam fontes confiáveis.

Só isso já seria motivo para as pessoas não compartilharem o conteúdo sem uma busca mais acurada. Como muita gente compartilhou sem checar a informação, a gente checou. E como era de imaginar, não há uma fonte confiável (entenda que “textão” sobre política em rede social não pode ser fonte confiável) que ateste a história de que Jean Wyllys inventou que está sendo ameaçado. Ao contrário, há notícias que apontam o contrário disso (inclusive essa que aponta que PF está investigando as ameaças).

Também não achamos nada que ateste que ele esteja na França, que ele seja investigado pela PF e que tenha envolvimento com Adélio ou mesmo que a visita seria ao gabinete dele. Não há uma fonte oficial que confirme isso (no caso da “visita”, há até um desmentido sobre a presença dele). Tudo “brotou do nada”.

Ao analisar o vídeo e postagens subsequentes, chegamos a mais pontos que fortalecem a tese de que é uma fake news. O primeiro deles é que a premissa de perda de imunidade parlamentar é falsa. Não houve mudanças nas regras de imunidade parlamentar e sim no foro privilegiado. Vale dizer que não são mudanças “a partir de 2019”.

Esse fato elimina a tese da Polícia Federal estar “esperando o fim da imunidade” para prender Jean Wyllys. Se ele fosse considerado culpado, já poderia estar preso (nem que fosse por uma prisão preventiva).

Também são falsas as acusações de ligações de Adélio com Gleisi, Maria do Rosário e Manuela D’Ávila (que já foram tema de desmentidos no Boatos.org), de que Washington Quaquá desistiu da vaga de deputado para dar o cargo para Jean Wyllys (algo que teve como base essa outra fake news) e que Jean Wyllys foi um dos que “mais gastou” na Câmara (o que pode ser comprovado pelos gastos dele). Como o deputado já está fora do país, a tese de fuga pela Bolívia também está eliminada.

Para terminar, uma análise sobre os posts de blogs que “promoveram” o vídeo e a tese de que Jean Wyllys mandou matar Bolsonaro. Além de tudo que falamos da tese ser baseadas em informações inventadas sem provas ou em outros boatos, há ainda um “histórico” nestes sites de compartilhar fake news (muitas delas, inclusive, contra Jean Wyllys). Ou seja: só há um reforço do boato.

Resumindo: muita gente compartilhou e acusou, mas pouca gente checou que as informações são falsas. Nem a Polícia Federal está investigando Jean Wyllys nem há qualquer prova de que ele tenha alguma participação na facada de Bolsonaro e que esse seja o motivo da renúncia. Quando você pensar em uma “grande fake news” para um case, pode usar essa como exemplo.

PS: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, no Facebook e WhatsApp no telefone (61) 991779164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

17 comentários em “Jean Wyllys mandou matar Bolsonaro, tem ligação com Adélio e é investigado pela PF #boato

  • 31/01/2019 em 19:21
    Permalink

    Só acho estranho vcs não terem divulgado o nome da “jornalista” que divulgou essa fake news. Embora eu imagine quem seja. E se for mesmo, ela já tem/teve uns processinhos rolando contra ela, justamente por ficar espalhando boatos.

  • 29/01/2019 em 17:24
    Permalink

    Eu acredito q ele está envolvido sim.pode ter um acima dele mas como capacho q é está envolvido e pretende fugir do Brasil pq Bolsonaro vai caçá_lo com a verdade e ele sabe disso.l

  • 29/01/2019 em 01:39
    Permalink

    Eu assisti os 40 minutos de vídeos, pq uma jornalista colocaria a cara e a coragem junto a um comandante do exército pra inventar historinhas? Tem dó né, se fosse tudo mentira, com certeza agora já teria uma processo correndo contra ela, o que não há.

  • 28/01/2019 em 19:18
    Permalink

    Muda o nome do site.. boatos.org para certezas.org

  • 27/01/2019 em 23:08
    Permalink

    Boatos esquerdando como sempre.

  • 27/01/2019 em 22:39
    Permalink

    A hashtag #boato deveria ser colocada no início do titulo… Quando compartilhamos no Facebooko título não aparece todo e fica parecendo que estamos compartilhando a própria fake news! Hoje um compartilhamento meu foi excluido de um grupo por isso, o pessoal só lê o pedaço que aparece do titulo e ja comenta dizendo que é fake!

  • 27/01/2019 em 22:01
    Permalink

    Tem bolsojegue espalhando ESSA MATÉRIA no facebook (onde só aparece o título, se nao clicar) para falar que ele realmente mandou matar.

  • 27/01/2019 em 19:01
    Permalink

    Quem disse que é boato? Como tem tanta certeza que é boato??? A verdade está para aparecer. É este site vai cair por terra pois não está dizendo a verdade. É a Verdade irá calar a boca de muitos.

  • 27/01/2019 em 16:17
    Permalink

    A propósito, este site não é aquele mesmo que no ano passado, afirmou categoricamente que NUCA houve fraude com as urnas eletrônicas da SMARTMATIC no Brasil?

  • 27/01/2019 em 14:56
    Permalink

    Se na época do Regime Militar, o brando, os PEÇONHENTOS fizeram coisas do tipo, nada é impossível!

    Além do mais, a cria do reality show da sodoma global e sua facção partidária não são flores que se cheira!

  • 27/01/2019 em 07:17
    Permalink

    Só uma observação: sugiro que investguem se o Jean Wyllys depositou 50000 reais na conta do advogado do Adélio, pois a mais recente notícia (ou boato?) é essa.

  • 27/01/2019 em 04:10
    Permalink

  • 26/01/2019 em 17:30
    Permalink

    Eu não acredito no boatos.org, eu acredito nos fatos, e contra fatos não há argumentos!

  • 26/01/2019 em 14:21
    Permalink

    Mandou sim senhor.

  • 26/01/2019 em 11:10
    Permalink

    A impunidade é que facilita este tipo de fake news! Esta jornalista precisa ser processada!! No dia que as pessoas começarem a ter que responder por suas ações isso irá acabar!!!

  • 26/01/2019 em 10:19
    Permalink

    Sinceramente não acredito em nada que o Boatos diz “ser boato” vocês são esquerdistas a tempos, trabalham em função da esquerda, espero que tenham a coragem de publicar meu comentário.

Fechado para comentários.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)