Lenovo, da China, comprou a Positivo e vai cuidar das urnas eletrônicas nas eleições de 2022 #boato

Boato – A Positivo, anunciada pelo TSE como empresa responsável pelas urnas eletrônicas nas eleições de 2022, foi comprada pela empresa chinesa Lenovo. Ou seja: a China vai cuidar das urnas.

As eleições de 2020 estão se aproximando, mas temos um palpite aqui no Boatos.org de que elas, em termos de fake news, serão só um “aquecimento” para 2022. A prova disso é que já tem boato falando sobre 2022 circulando por aí. Só para variar, o boato também cita a China.

De acordo com mensagens que estão circulando online, a China será uma das responsáveis pelas urnas eletrônicas nas eleições de 2022. A “conclusão” surgiu quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou que a empresa brasileira Positivo havia ganho a licitação para compra de urnas eletrônicas nas próximas eleições presidenciais. A partir daí, postagens apontavam que a Lenovo (empresa da China) seria a dona da Positivo. Leia:

ATENÇÃO PARA O GOLPE: O TSE informou que a empresa Positivo venceu a licitação para compra de novas urnas eletrônicas de 2022. O valor do contrato é de R$ 799 milhões. O que muitos não sabem é que a Positivo foi vendida para a chinesa, Lenovo.

Lenovo, da China, comprou a Positivo e vai cuidar das urnas eletrônicas nas eleições de 2022?

É claro que não faltou teórico da conspiração já vendo uma fraude das urnas eletrônicas para as eleições de 2022. Mas será mesmo que a informação que aponta que uma empresa chinesa comprou a Positivo é real? A resposta é não. Calma aí que a gente explica para vocês.

O histórico recente de “empresas compradas” pela China já nos deixou desconfiados da informação. Já desmentimos aqui no Boatos.org, por exemplo, histórias que apontavam que empresas públicas, cooperativas, a Azul, “o Brasil”, a “Argentina” e emissoras de TV por aqui foram compradas pelo país. Essa última desmentimos até em vídeo.

Assim como nos outros casos, a informação que aponta que a Lenovo (empresa chinesa) comprou a Positvo é falsa. É fato que a Lenovo (como aponta essa matéria do Estadão na época e citada pelo artigo de checagem do Estadão Verifica) tentou comprar a empresa em 2008. Porém, a negociação não foi bem-sucedida. Tanto o Estadão como a Agência Lupa (que também fez um desmentido sobre o assunto) entraram em contato com a Positivo, que desmentiu que estaria negociando com a Lenovo.

Antes de terminar, mais um detalhe: o boato em questão segue a linha das fake news que questionam a confiabilidade de urnas eletrônicas. Porém, como já explicamos de forma detalhada nesse texto, não há provas de que as urnas eletrônicas sejam fraudadas. Ou seja: o boato em questão está se baseando em uma premissa falsa.

Resumindo: a história que aponta que a Lenovo comprou a Positivo e que vai cuidar das urnas eletrônicas em 2022 é falsa. Apesar de a empresa chinesa ter, no passado, tido intenção de compra, a negociação não foi para frente.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Faip9f
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet