Engenheiro descobriu que apenas hospitais privados descobriram a cura para o coronavírus #boato

Boato – Engenheiro eletrônico estuda o novo coronavírus e descobre que a cura para a Covid-19 está disponível apenas em hospitais privados e tem a ver com cloroquina e estudo italiano.

Entra dia, sai dia e um dos assuntos que ainda persistem em nos assombrar aqui no Boatos.org são as supostas curas milagrosas para a Covid-19. Desde o início da pandemia da doença, esse é um dos temas que mais tem aparecido aqui no site.

O fato é que já estamos fartos desse tipo de história que, além de causar desinformação, também coloca a vida de muita gente em risco. Nos últimos dias, médicos relataram que muitos pacientes asmáticos cogitaram parar de usar seus medicamentos por causa de fake news.

E nas redes sociais, mais uma nova história mirabolante sobre curas da Covid-19 começou a viralizar nas redes sociais. De acordo com uma publicação, um engenheiro eletrônico, do Rio de Janeiro (RJ), teria resolvido investigar a ação do novo coronavírus no organismo humano. Após investigações, ele teria descoberto que a cura da Covid-19 existe, porém, é necessário que o tratamento seja iniciado logo após os sintomas começarem. Além disso, a cura só estaria disponível em hospitais particulares, pois os médicos da rede privada estariam disponibilizando cloroquina para os pacientes. Confira:

“ENGENHEIRO FAZ DESCOBERTA IMPORTANTÍSSIMA E CHOCANTE: O NOVO CORONAVÍRUS TEM CURA PARA QUEM TEM SAÚDE PRIVADA MILHARES DE PESSOAS ESTÃO MORRENDO NO BRASIL VÍTIMAS DA POLITIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA. É O QUE APONTA ESTUDO FEITO POR MÉDICOS BRASILEIROS. A SAÚDE DO POVO A SERVIÇO DA POLÍTICA – DIAGNÓSTICO […]

Por meio de muita leitura e vasculhando tudo que já foi publicado a respeito, inclusive áudios e vídeos por especialistas brasileiros e papers na língua inglesa, fez importantes descobertas: a investigação levou o inquieto estudioso entender o processo pelo qual o Coronavírus ataca o organismo humano, podendo em alguns casos levar a óbito. Para ele, porém, a descoberta mais importante – e que milhares de médicos pelo mundo estão percebendo – é que A covid-19 tem cura, desde que tratada logo nos primeiros sintomas, ou seja, precocemente. […]

Se ministrados adequadamente e no tempo certo, os remédios que são utilizados nos hospitais particulares evitam o agravamento de pessoas contaminadas pelo Covid-19, impedindo que a doença evolua para sua fase grave e letal (fase 3). O engenheiro dedicou longas horas de estudos, ouvindo especialistas de várias partes do mundo por meio de vídeos, publicações científicas, depoimentos de profissionais estrangeiros e brasileiros, principalmente os chamados médicos “de trincheira”, aqueles que aceitaram os riscos do front, e mantiveram contato permanente e direto com pacientes contaminados com o novo Coronavírus. […]”

Engenheiro descobriu que apenas hospitais privados descobriram a cura para o coronavírus?

A informação caiu como uma bomba nas redes sociais e tem causado indignação entre os internautas. Mas será que essa história de que um engenheiro eletrônico teria descoberto que a cura para a Covid-19 já estaria disponível em hospitais privados é real? A resposta é não!

Vamos aos fatos! Para começo de história, o texto segue aquele velho roteiro de fake news na internet. Ele é vago, bastante alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

Além disso, o histórico de cura da Covid-19 é bastante extenso. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras dessas histórias, como a que dizia que a Ivermectina poderia curar a Covid-19. Também a que indicava que o enxofre do alho seria capaz de prevenir e curar a Covid-19 e, por fim, a que apontava que o remédio Annita poderia curar a Covid-19. Fizemos até um vídeo falando sobre esse tipo de fake:

Se isso não fosse suficiente, a história é completamente absurda. Como um engenheiro eletrônico faz uma pesquisa em uma área totalmente diferente da dele? Cada área de estudo possui suas particularidades, com metodologias e análises distintas. Não é possível, simplesmente, decidir se aventurar em outro campo. É necessário estudo e compreensão daquilo que se está fazendo.

Além disso, a palavra “descoberta” traz a impressão de que um estudo, com o devido rigor acadêmico, foi realizado e revisado por pares. Porém, ao procurar pelo tal estudo (que seria uma prova de toda a história), não encontramos nada. O máximo que encontramos foram publicações em redes sociais (o que é muito diferente de um estudo).

Vale destacar que os números e a realidade do mundo mostram que a situação não é bem assim. Se falarmos em Brasil, há registro de mortes tanto no serviço público quanto no privado. Porém, o que difere a diferença na quantidade de mortes entre um serviço e outro não é o uso da cloroquina (até porque esse tipo de tratamento era recomendado apenas em casos graves e, além disso, o paciente precisa aceitar), mas sim a oferta de leitos e a demanda de prestação de serviço (ainda mais em locais onde a saúde já colapsou). Uma reportagem da Fiocruz faz o comparativo entre os tipos de serviço e mostra que a cloroquina é o menor dos problemas em relação às mortes. Isso também mostra a importância do fortalecimento do SUS, já que o sistema público de saúde atende muito mais gente, e com menos infraestrutura, do que o serviço privado.

Uma simples comparação entre Brasil e Estados Unidos também ajuda a derrubar a tese do tal engenheiro. Atualmente, os Estados Unidos é o país com o maior número de mortos. Até bem pouco tempo atrás, o presidente Donald Trump apoiava o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19. E, bem, lá nos Estados Unidos, todo o sistema de saúde é privado. Se nesse contexto (que seria o ideal para a história de hoje), a “cura” não funcionou, no Brasil muito menos.

E tocando no assunto da cura, vale lembrar que ela não existe. Há algum tempo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) vem explicando que falar em cura é algo leviano. Isso porque ainda não temos uma vacina, o vírus pode sofrer mutações e há casos onde pessoas que já se infectaram voltaram a se contaminar com o vírus.

E antes que alguém queira contestar essa informação falando sobre remédios que já foram testados no tratamento da Covid-19, você pode encontrar tudo explicadinho sobre o porquê a cloroquina, a ivermectina e anticoagulantes não são a cura para a Covid-19 aqui, aqui e aqui.

Além de tudo isso, a pessoa que escreveu o texto, no mínimo, faz duas citações erradas (ou equivocadas). A primeira delas é a de que médicos italianos teriam descoberto que 90% das pessoas infectadas por Covid-19 morrem de outras doenças que não uma doença respiratória. Já desmentimos essa história aqui.

O outro equívoco ocorre quando a pessoa cita o protocolo da Dra. Elnara Negri no texto que fala em “cura nos hospitais privados”. É possível ver que a pessoa se contradiz, uma vez que a médica usa o protocolo no Hospital das Clínicas de São Paulo, que é público. Por fim, vamos ignorar todas as outras questões políticas (como as críticas à OMS, governadores etc), senão vamos ficar falando disso até amanhã.

Em resumo: a história que diz que um engenheiro eletrônico descobriu que a cura da Covid-19 está nos hospitais particulares é falsa! O texto não possui provas do que é dito e ainda cita informações falsas já desmentidas aqui no Boatos.org. A cereja do bolo fica por conta de um suposto engenheiro decidir fazer pesquisas na área médica sobre o funcionamento de um vírus no organismo humano. Não caia nessa.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2CZjkqO
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)