7 alertas falsos sobre efeitos colaterais de remédios, vacinas e exames

Confira sete histórias desmentidas pelo Boatos.org que foram muito compartilhadas e deixou muita gente preocupada.

Ter uma vida saudável é o desejo de todos nós. Para tanto, sabemos que é importante manter as vacinas em dia e tomar remédios com orientação médica.

Mas o que fazer quando começam a surgir histórias que apontam que determinado comprimido tem um vírus mortal ou que uma mamografia pode contribuir para um câncer na tireóide? Entrar em pânico? Não.

Esse é o tipo de história que sempre é compartilhada na internet, e ,claro, é mentira. Vamos acompanhar sete boatos relacionados a remédios, vacinas e exames. Confira abaixo:

7 alertas falsos sobre efeitos colaterais de remédios, vacinas e exames.
7 alertas falsos sobre efeitos colaterais de remédios, vacinas e exames.

1-Paracetamol contém vírus mortal

O paracetamol é um velho conhecido dos brasileiros e também é alvo de muitos boatos. Em 2016, o Boatos.org desmentiu uma história envolvendo esse medicamento.

Um texto que circulou nas redes sociais, WhatsApp e blogs dizia que a Rádio Nacional de Angola havia feito um anúncio para que as pessoas não tomassem o novo paracetamol p/500, por conta de um vírus mortal, o Machupo.

Que história assustadora, né? Mas não se preocupe, porque esse é apenas mais um boato de internet. O Boatos.org desmentiu essa história, analisou as características do texto, consultou a página da Rádio Nacional de Angola e ainda provou que a mentira já rola desde 2011. Saiba mais sobre o boato aqui.

Confira o nosso desmentido em vídeo

2-Paracetamol causa morte em pacientes com dengue

E lá vamos nós falar mais uma vez de paracetamol. O remédio se tornou um vilão, por causa das histórias que inventam na internet. Depois do Machupo, agora estão dizendo que o paracetamol causa a morte em pacientes com dengue.

Tudo começou quando um texto que falava de modo alarmante do medicamento e seu uso em pacientes com dengue. De acordo com o texto, o professor informava que o paracetamol destruía o fígado do paciente, agravava o quadro, o que contribuía para uma dengue hemorrágica e posteriormente acarretava a morte.

O Boatos.org apurou e provou que o próprio professor desmentiu essa história em seu blog. Renan Marinho informou que esse texto não foi escrito por ele. Além disso, o Boatos.org analisou outros pontos e mais uma vez provou que tudo era mentira. Saiba mais sobre o boato aqui.

3-Antigripais contêm substância proibida

Quando bate aquela gripe é comum ter um antigripal em casa. Entretanto, há pessoas que vem mudando esse hábito por causa de um boato.

Um texto que circula no WhatsApp e Facebook diz que os remédios para gripe contêm fenilpropalamina. O que é isso? Essa é uma substância que foi proibida no Brasil no ano 2000.

Sobre esse assunto, o Boatos.org mostrou que a própria Anvisa esclareceu que  a substância já não fazia parte dos medicamentos brasileiros. Além disso, o Boatos.org fez uma análise importante: se há mais de 15 anos, os medicamentos passaram por essa proibição, então os medicamentos com essa substância já se esgotaram e os que existem estão vencidos. Concorda?

Outro ponto: o médico citado no boato se pronunciou e informou que a mensagem era falsa. Clique aqui e saiba mais detalhes do boato.

4-Vacina do H1N1 é um veneno mortal

O assunto dessa vez não é medicamento, e sim vacina. No ano passado, o tema central de jornais era a gripe H1N1. O assunto também circulou na internet e algumas ganharam destaque e esse foi o caso de um texto publicado em blogs portugueses e brasileiros.

Segundo o texto, a vacina da gripe é um veneno mortal. A mensagem fala sobre vacinação e sua relação com a síndrome de Guillian- Barret, doença da vaca louca e alto nível de mercúrio. O Boatos.org apurou e desmentiu essa história. Confira os detalhes do boato aqui.

5-Vacina contra gripe tem nível letal de mercúrio

E mais uma vez, a vacinação contra a gripe ganha destaque nos textos boateiros. Um alerta falso dizia que vacina contra a gripe apresenta nível de mercúrio letal.

O boato desmentido acima é bem similar a esse, inclusive os números mencionados são iguais. E é claro que com tantas mentiras é até provável que as pessoas deixem de se vacinar e se proteger contra a gripe. Então, vamos aos fatos.

Em 2015, o Boatos.org desmentiu esse falso alerta e mostrou que o texto já circula na internet desde 2009 e apenas passa por algumas modificações. Outro ponto: O Boatos.org revela que nomes renomados, como Dráuzio Varella relatam a importância da vacinação. Confira detalhes do boato aqui.

6-Vacina contra rubéola causa microcefalia

O assunto vacinação realmente tomou conta da internet. Dessa vez, o boato não envolve a gripe. Em 2015, o Boatos.org desmentiu um texto que envolvia um tema muito polêmico: a microcefalia.

Um aviso que circulou no WhatsApp informava que a vacina de rubéola vencida seria a grande responsável pela microcefalia. E não foi apenas essa mensagem, um vídeo de um homem também compartilhava do mesmo pensamento e ainda informa que a informação foi passada por um “contato na saúde”.

O Boatos.org destacou que a história não apresenta fontes que comprovem tal especulação e ninguém sabe quem é esse tal contato que foi mencionado no vídeo. Confira detalhes do boato.

7-Mamografia causa câncer na tireóide

Como já dito pelo Boatos.org boatos envolvendo câncer são comuns. O comum agora é utilizar o câncer de mama aliado ao câncer de tireóide. Em 2013, o Boatos.org já havia desmentido esse tipo de história. Entre elas, um texto que abordava os perigos da mamografia.

De acordo com a mensagem, um médico em um programa de televisão israelense falou da relação do raio-X utilizado no exame de mamografia com o câncer de tireóide.

Com a popularização do boato, o Instituto Oncologia se posicionou a respeito do assunto e fez um esclarecimento que tranquilizou muita gente. Confira detalhes do boato aqui.

Em 2016, o boato se intensificou e utilizaram até um nome renomado na área da saúde, Dráuzio Varella. E não foi apenas um texto, um vídeo reforçou essa história. Isso mesmo, não foi áudio.

O Boatos.org comparou o vídeo da mulher com o vídeo feito por Drauzio Varella e ficou claro que uma história não bate com a outra, ou seja, foi feito um boato utilizando um nome conhecido e que tem credibilidade quando o tema é saúde. Confira detalhes do boato aqui.