Urnas eletrônicas estão saindo de Brasília com votos já computados #boato

Boato – Dois policiais denunciaram que as urnas eletrônicas fraudadas estão saindo de Brasília com votos computados para as eleições 2020.

Com as eleições municipais prestes a começar, já foi dada a largada para a avalanche de fake news para tentar confundir os eleitores. E, apesar de algumas já estarem manjadas, parece que quem gosta de espalhar hoaxes não se cansa de bater na mesma tecla quando a ideia é convencer a população sobre a segurança do voto nas urnas eletrônicas.

Uma publicação que começou a circular nas redes sociais, especialmente no Facebook, está acompanhada de um vídeo em que dois policiais denunciam que as urnas eletrônicas estão saindo de Brasília supostamente com votos já computados. De acordo com os militares, um funcionário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) responsável por inserir a chave com código de zeramento, coleta e envio de dados dos aparelhos teria notado a adulteração e procurado a polícia.

Segundo eles explicam em vídeo, o representante do órgão teria informado em boletim de ocorrência que, além de o código de zeramento das urnas já ter sido liberado (o que deveria ser feito somente por ele, mas que deu erro quando ele tentou inseri-lo), o código para coleta e envio dos votos (que deveria ser inserido apenas ao fim das eleições) também já teria sido usado.

Além disso, o funcionário teria dito que supostamente tentou resolver a situação junto às autoridades do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), colegas de trabalho e profissionais de TI, mas sem êxito. Confira, a seguir, as versões do texto original das publicações que estão acompanhando o vídeo e que apontam para “fraude nas eleições de 2020”:

Versão 1: Se forem comprovadas as afirmações desses policiais, as eleições de Novembro precisam ser imediatamente suspensas por tempo indeterminado, o ministro no TSE encontra-se sobre suspeição, todas as máquinas precisam ser auditadas, uma nova prática deve ser criada com voto impresso e a fiscalização do exercito, com o máximo de transparência possível para não encorremos no erro e sermos vítimas de mais um golpe. Não esqueçam o Bolsonaro ganhou no primeiro turno, e essa gente é doente é do mal eles não desistem, são muitas pessoas com desvios de caráter acima do normal, é impressionante ! Veja o vídeo 

Versão 2: FUNCIONARIO do TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL de BRASILIA chamou a POLICIA MILITAR e registrou DENUNCIA de que as URNAS ELETRONICAS que estavam sendo INSPECIONADAS para serem usadas nas proximas ELEICOES MUNICIPAIS, se encontram com uma série de ILEGALIDADES. Foram encontradas URNAS que já estao contendo VOTOS de CANDIDATOS. O caso foi encaminhado para a POLICIA FEDERAL. ACORDA ELEITOR!

Versão 3: TAI, PARABENS A POLICIA FEDERAL 80% DOS BRASILEIROS JA DIZEM VOTAR EM BOLSONARO, MAS COM ESSAS URNAS E SISTEMAS ELEITORAIS BRASILEIRO, BOLSONARO NÃO SERA ELEITO SE NÃO RADICALIZAR NAS FISCALIZAÇÕES DE URANAS É CONTAGENS DE VOTOS!!

Versão 4: BRASIL ALERTA Já começou o GOLPE da Esquerda contra as ELEIÇÕES, portanto contra Nós, o Povo Brasileiro, Vejam o Vídeo, e Verão o Perigo que os Policiais nós Alertam, URNAS para VOTAÇÃO já entregues Viciadas para VOTAÇÃO, tudo enviado para Polícia Federal, Brasileiros ou vamos para cima da Esquerda, STF, Congresso para Valer ou acabamos Escravos do Comunismo, Socialismo, Não chorem depois

Urnas eletrônicas estão saindo de Brasília com votos já computados?

O vídeo viralizou no Facebook, principalmente entre eleitores pró-governo, que compartilharam o conteúdo com comentários sobre a suposta adulteração das urnas estar relacionada a um “golpe da esquerda”. No entanto, a informação dada pelos policiais em vídeo não procede.

E desconfiamos disso, a princípio, pelas características da mensagem: é vaga, alarmista (tem o intuito de confundir os eleitores sobre a segurança das urnas), possui erros de português e não cita fontes confiáveis que possam confirmar a denúncia. Em segundo lugar, como falamos no início deste artigo, boatos online sobre as urnas eletrônicas são bastante comuns em período eleitoral.

Inclusive, nossa equipe já desmentiu vários deles, como, por exemplo, o que dizia que a NSA (dos Estados Unidos) teria dito que Bolsonaro ganhou as eleições em primeiro turno e que as urnas foram fraudadas; outro de que a Ursal estaria preparando uma fraude nas urnas eletrônicas para as eleições 2020; e até aquele de que a Lenovo, da China, teria comprado a Positivo e que iria cuidar das urnas nas eleições 2020.

E no nosso caso de hoje, ao contrário do que a mensagem sugere, o vídeo com a denúncia dos policiais não é recente. Ele foi divulgado em 2018 e já foi esclarecido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) naquele mesmo ano. Em nota, o órgão informou que, na realidade, houve um mal-entendido por parte do colaborador, que não soube interpretar os dados por “desconhecimento técnico”, e dos policiais.

E também que tanto o boletim de urna (resultado da urna eletrônica) quanto a zerésima (documento que demonstra que a urna não apresenta votos computados no início da votação) daquela seção eleitoral foram emitidos sem qualquer alteração. A confusão ocorreu na região de Guará, parte da 9ª Zona Eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também emitiu uma nota recente a respeito da circulação do vídeo antigo:

“Recentemente também voltou a circular um vídeo em que dois policiais militares do Distrito Federal fazem um relato de suposta irregularidade em urnas eletrônicas também durante as eleições de 2018. A Justiça Eleitoral averiguou ainda durante a o processo eleitoral e, após apuração do caso, ficou claro que houve, na realidade, “desconhecimento técnico” sobre o ocorrido. O TRE-DF informou que tanto o boletim de urna (resultado da urna eletrônica) quanto à zerésima (documento que demonstra que a urna não apresenta votos computados no início da votação) daquela seção eleitoral foram emitidos sem qualquer alteração. Portanto, o vídeo é resultado de um mal-entendido dos policiais e de um colaborador contratado pelo TRE-DF, responsável pela informação repassada aos militares. Por sua vez, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) iniciou uma investigação que conclui se tratar, na verdade, de problemas relativos à atualização do sistema. E, por considerar que as ações dos policiais reforçaram as fake news relativas à fraude eleitoral, pediu a condenação pelo crime de perturbação dos trabalhos eleitorais. O TRE-DF condenou os dois policiais a ao pagamento de um salário mínimo, cada um, em favor da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace). A respeito da segurança do processo de votação, o TSE destaca que a urna eletrônica, utilizada desde 1996 nas eleições brasileiras, é auditável, além de os sistemas serem abertos para fiscalização e possibilidade de aperfeiçoamento”.

Resumindo: A publicação que está aponta que as urnas eletrônicas estão saindo de Brasília com votos já computados é falsa. Além de o vídeo ser antigo, a denúncia dos militares não procede. O que houve, na verdade, foi um mal-entendido por parte da pessoa que fez a denúncia, por falta de conhecimento técnico, e da polícia.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2QvB43t
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK