Sobrinho de Dilma Vladimir de Paula Brito foi o responsável por atos de vandalismo em Brasília #boato

Boato – Está aí a prova de que foram infiltrados que colocaram fogo em ônibus durante protesto bolsonarista. O responsável é um homem que usou uma máscara que protege contra gás lacrimogêneo chamado Vladimir de Paula Brito. Ele é sobrinho de Dilma Rousseff.

Em meio a narrativa (cada vez mais difícil de defender) de que foram infiltrados em grupos de bolsonaristas que cometeram atos de vandalismo no centro de Brasília no dia 12 de dezembro de 2022, histórias sem pé nem cabeça começam a viralizar na internet. A última delas aponta para uma figura que seria a responsável pelos protestos.

De acordo com mensagens que estão circulando online, o responsável pelos atos de vandalismo é um homem fotografado com máscara que protege de gás lacrimogêneo. Ele seria Vladimir de Paula Brito. Mais do que isso: ele seria o sobrinho da ex-presidente Dilma Rousseff. Leia algumas das mensagens que circulam online:

Confira também: Janja tirou foto com traficante? Saiba a verdade aqui!

Clique e siga o Boatos.org no YouTube

Versão 1: Grande F da P**** Vladimir de Paula Brito – Agente da Polícia Federal, Classe Especial, e atua na área de inteligência. Atualmente é doutorando pela Escola de Ciência da Informação/UFMG, Esp. em Seg Pública pela Escola Superior do MPMG.Ele é o responsável pela arruaça de Brasília

Versão 2: DIVULGUEM O MÁXIMO QUE VOCES PUDEREM! O RESPONSÁVEL POR ARMAR UMA ARMADILHA PARA O BRASILEIROS QUE ESTAVAM EM BRASÍLIA ONTEM Vladimir de Paula Brito LOTADO FOI O AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL NA SR/DPF/MG. ELE É SOBRINHO DE DILMA. ELE QUE ESTÁ COMANDANDO A INTELIGÊNCIA NA ET! @familia_patriota_brasil familia_patriota_brasil DIVULGUEM

Sobrinho de Dilma Vladimir de Paula Brito foi o responsável por atos de vandalismo em Brasília?

As acusações e as imagens foram muito compartilhadas em redes sociais como o Twitter, Facebook, Instagram e WhatsApp. Porém, a mensagem é cheia de informações falsas. O homem da imagem não é o “responsável pelos atos de vandalismo”, não é Vladimir de Paula Brito e tampouco esta pessoa é o sobrinho de Dilma Rousseff.

Antes de falar da história em si, precisamos apontar para alguns fatores que você deve levar em conta quando vir notícias desta natureza. As mensagens têm características de fake news como o caráter vago, o tom alarmista, os erros de português e a falta de citação de fontes confiáveis que comprovem as acusações.

Além disso, não têm sido poucas as fake news que servem para “corroborar” a tese (até o momento, a menos provável) de que não foram bolsonaristas que cometeram os atos de vandalismo em Brasília. Já desmentimos que homens “pagos pelo PT” foram presos, que Black Blocs publicaram fotos indo para Brasília e que homens que atearam fogo em ônibus gritaram “fora, Bolsonaro”.

Falando do caso, vamos por partes. Para começar, o pesquisador da UFMG citado na publicação não é “sobrinho de Dilma” ou, pelo menos, não há qualquer prova deste parentesco. Vladimir de Paula Brito, cujo nome aparece em artigos acadêmicos e também fez parte de um GT do governo de transição, não é mencionado como “sobrinho de Dilma” em qualquer fonte confiável.

Além disso, não achamos qualquer registro de que Dilma Rousseff (que tem três irmãos) tenha sobrinhos com este nome (que, por sinal, nem carrega “Rousseff” como sobrenome). Achamos notícias sobre um sobrinho no Espírito Santo , um no interior de Minas Gerais e um sobrinho-neto que pensa em se candidatar em 2024. 

Além disso, a pessoa que está na foto não é Vladimir de Paula Brito (que sequer se parece com a pessoa que está com a máscara contra gás lacrimogêneo). O homem mostra é, na realidade, é um dentista de Mato Grosso do Sul que participa dos protestos pró-Bolsonaro em Brasília.

Por meio do Instagram, o dentista, inclusive, desmentiu a tese de que tenha sido a pessoa que colocou fogo em ônibus. Ele, que está hospedado em um hotel de Brasília, apontou que usou a máscara contra gás lacrimogêneo porque previu um confronto e que é contra protestos violentos. Detalhe: ele, de fato, é bolsonarista.

Resumindo: a mensagem que circula online é falsa. O pesquisador citado não é sobrinho de Dilma Rousseff, não estava no protesto e a pessoa fotografada com a máscara contra gás lacrimogêneo é um bolsonarista que apontou não ter ateado fogo em ônibus algum.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2oQa6tD
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet