Índios invadiram a governadoria da Bahia para cobrar dinheiro de passeata contra Bolsonaro #boato

Boato – Vídeo mostra o momento em que índios tentam invadir a governadoria da Bahia para cobrar de Rui Costa o dinheiro prometido da passeata contra Bolsonaro em Porto Seguro.

Estamos em um momento no qual qualquer vídeo, mesmo que verdadeiro, pode virar combustível para fake news. A prova disso está na história que vamos tratar hoje e aponta para uma suposta cobrança de indígenas contra Rui Costa.

Um vídeo de indígenas tentando adentrar no prédio da Governadoria da Bahia (sede do governo do estado) está circulando junto com a informação de que o protesto se deu porque eles estariam “cobrando” o dinheiro prometido por Rui Costa para uma participação em um protesto contra Bolsonaro em Porto Seguro. Leia algumas das mensagens que circulam online e assista ao vídeo:

Versão 1: Os índios querendo invadir a Governadoria do PT da Bahia para cobrar o dinheiro prometido na passeata contra o Presidente da República Bolsonaro em Porto Seguro-BA e até agora não apareceu. Confira no vídeo: Versão 2: Foi prometido dinheiro para os Índios na Bahia na passeata contra o Presidente Bolsonaro, logicamente não receberam, deu nisso aí. Isso é que dá acreditar em COMUNISTAS,

Índios invadiram a governadoria da Bahia para cobrar dinheiro de passeata contra Bolsonaro?

O vídeo e a mensagem falando sobre a suposta cobrança se espalharam com muita força (mas muita mesmo) entre simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro. Só que, apesar de o vídeo ser de uma tentativa de invasão à Governadoria da Bahia, a história que circula por aí é falsa.

Não é de hoje que mensagens (que, assim como a hoje, tem características de fake news como o caráter vago, alarmista, os erros de português e a falta de citação de fontes confiáveis) tirando vídeos de contexto circulam por aí. O Boatos.org, por exemplo, já desmentiu histórias que apontavam que milhões de pessoas participaram do “lançamento da candidatura de Bolsonaro”, que Alexandre de Moraes fez “ameaças do STF” e que Lula havia sido recebido com gritos de “ladrão” em Guarapuava (PR). Assim como nos outros casos (e assim como falamos neste A Semana em Fakes), a mensagem que circulava online nada tinha a ver com o vídeo em questão.

Ao buscar mais detalhes sobre o ocorrido, descobrimos que se tratou de uma manifestação organizada durante a 4ª edição do Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia. A reivindicação dos povos indígenas era por diálogos relativos a territórios, educação e saúde indígena.

Nenhuma fonte confiável apontou que se tratava de uma “cobrança de propina” por causa de um protesto contra Bolsonaro em Porto Seguro (protesto que ocorreu durante visita do presidente à cidade por conta das comemorações do descobrimento do Brasil). Ao buscar de onde surgiu a tese, chegamos às redes sociais ligadas a Bolsonaro. Detalhe: não há qualquer prova de que informação seja real.

Resumindo: ao contrário do que apontam as mensagens que circulam por aí, o protesto de indígenas na sede do governo da Bahia não se deu por conta de “cobrança de dinheiro por protesto contra Bolsonaro”. Tratou-se de uma marcha ocorrida durante um encontro entre diversas etnias indígenas e tinha outras pautas.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet