Chineses compraram 10% da área da Bahia para construir “China Tow Bahia” #boato

Boato – O governador Rui Costa e o vice João Leão venderam 10% da área da Bahia para a China. A intenção é construir uma cidade chamada “China Tow Bahia”.

Desde quando começou a pandemia da Covid-19 e teses falsas apontavam que o coronavírus seria uma “farsa para a China dominar o mundo”, não faltaram notícias falsas sobre “compras” que a China teria feito no Brasil durante a crise sanitária. A mais nova aponta para uma “super compra” na Bahia.

Um texto aponta que o governador do estado, Rui Costa, e o vice, João Leão, teriam confirmado que vão vender 10% da área do estado para a China. A área seria destinada para a construção de uma cidade chamada “China Tow Bahia”. Leia a mensagem que circula online e aponta para uma notícia sobre um “empreendimento chinês”. Leia:

O Governador Petista Rui Costa e o vice-governador da Bahia, João Leão (PP), confirmaram os projetos. Eles venderam aos Chineses uma área territorial equivalente a 10% do Estado da Bahia, e já conseguiram autorização junto ao STF para fazer o desmatamento e planejamento para construção da nova cidade. Os chineses vão construir, de forma discreta e minuciosa, uma nova cidade que se chamará China Tow Bahia. Essa cidade será habitada por chineses.

De acordo com o colunista Levi Vasconcelos, do jornal A Tarde, será uma cidade com edifícios de até 30 andares em um ambiente em que o esgoto é 100% coletado e tratado, com portões fechados para controle de entrada de pessoas e com vasta Costa marítima para receber navios Chineses, além de um belo aeroporto interno. O que a Bahia ganha com isso: *Nada*, quem ganhou foram os políticos da Bahia e os Ministros do STF. A Bahia e alguns Estados no Norte e Nordeste sempre atrasados, votam na esquerda e vivem de lascando. O povinho burro.

Rui Costa vendeu 10% da área da Bahia para chineses construírem “China Tow Bahia”?

Não demorou muito para a mensagem se espalhar com toda força entre redes sociais (inclusive de pessoas de fora da Bahia). Apesar do buzz da história, é falsa a informação que aponta que a China comprou 10% do estado.

O histórico de “coisas que a China comprou” já nos deixa muito desconfiados da informação. Nos últimos tempos, desmentimos fake news que falavam sobre compra de “diversas empresas paulistas”, da Unimed, empresas de tecnologia, redes de TV e até “30% das empresas do ocidente”.

Assim como nos outros casos, a informação que aponta para 10% de compra da Bahia é falsa. O próprio serviço de checagem do governo da Bahia desmentiu a venda de 10% do estado para chineses. Leia:

A mentira desta vez pode até parecer piada, mas não tem nada de engraçado, é crime. É completamente enganosa a mensagem que está sendo compartilhada sobre a suposta venda de 10% do território da Bahia para chineses. O conteúdo tem viralizado no WhatsApp com o claro objetivo de confundir as pessoas e atacar o governador Rui Costa, o vice-governador João Leão e o Supremo Tribunal Federal (STF), que são citados na fake news.

Na tentativa de garantir credibilidade ao conteúdo mentiroso, o autor da mensagem cita o jornalista Levi Vasconcelos, que publicou em sua coluna no Jornal A Tarde, em 9 de maio de 2021, informações sobre a implantação de um empreendimento chinês na Bahia. Na coluna, o jornalista identifica os proprietários da área de interesse dos asiáticos. Esses terrenos não são de propriedade do Estado da Bahia. Dois dias depois da publicação da coluna, o governador Rui Costa – em transmissão ao vivo nas redes sociais – também fez referência ao projeto e afirmou, na ocasião, que ainda não estava confirmado este investimento estrangeiro na Bahia.

O que existe na realidade, segundo a Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan), são estudos técnicos, ainda em fase embrionária, para a possível concepção de um projeto para prospecção de investidores, nacionais ou internacionais, para desenvolvimento de diversos projetos nas cidades que serão impactadas pela ponte Salvador-Ilha de Itaparica, nas regiões do Recôncavo, Baixo Sul, entre outras, tendo como referência as cidades inteligentes da China, modelo de cidades tecnológicas que têm mostrado bons resultados do ponto de vista de sustentabilidade, mobilidade urbana, e uso da tecnologia para facilitar o cotidiano da população.

Como vocês puderam ver, assim como em tantos outros locais, há, sim, um desejo de investimento por parte de chineses em uma área que pertence à iniciativa privada. Mas isso não tem nada a ver com compra de 10% da Bahia ou mesmo criação da “China Tow Bahia” (até porque o nome, se fosse real, deveria ser “China Town”).

Resumindo: a história que aponta que a China vai comprar 10% do território da Bahia é falsa. Não há nada sobre a venda ou construção de uma cidade chamada “China Tow Bahia” e a (des)informação foi desmentida pelo próprio governo do estado.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet