Caminhoneiros farão greve em apoio a Bolsonaro e reforma da Previdência #boato

Boato – No dia 26/05, os caminhoneiros brasileiros vão se juntar ao presidente Jair Bolsonaro e realizar uma greve em apoio à reforma da Previdência.

Desde que setores ligados à área da educação começaram a realizar protestos contra medidas tomadas no governo Bolsonaro, aliados do presidente têm se organizado para realizar manifestações de apoio. Depois de muita discussão (que ainda não acabou, mesmo entre “aliados”), a data foi escolhida: 26/05/2019.

Neste contexto, tem começado a circular na internet a informação de que, em solidariedade à reforma da Previdência e a Bolsonaro, caminhoneiros têm se organizado para entrar em greve. Em alguns casos, foi dito que o “desejo deles” é parar o Brasil. Leia algumas mensagens que circulam online (publicada em blogs, redes sociais e WhatsApp):

Versão 1: “Caminhoneiros” se junta e diz que estará dia 26 junto com os Brasileiros. Caminhoneiros vão partir Unidos juntos com diversos movimentos nesse dia 26 para apoiar Bolsonaro. Versão 2: “ Os Caminhoneiros vão fazer uma ” “greve ” em apoio ao nosso presidente.”

Versão 3: Paralisação geral dia 26/05/2018 greve dos caminhoneiros #forastf Versão 4: Greve dos caminhoneiros dia 26/05/2019 contra STF,senadores, deputados Versão 5: Greve geral dia 26/05/2019 Caminhoneiros vão aderir.

Caminhoneiros farão greve em apoio a Bolsonaro e reforma da Previdência?

É claro que informação iria invadir as redes sociais. De cara, vimos duas reações. 1) A empolgação de “bolsonaristas” com o anúncio da greve. 2) O medo da população de mais uma greve. Só tem um detalhe, a história não procede. Vamos aos fatos.

Toda essa confusão se deu por causa de um telefone sem fio que um áudio de apoio às manifestações do dia 26 gerou. Gravado por um dos “líderes dos caminhoneiros”, o áudio chega a falar em “fechamento do Congresso e do Supremo” e, de acordo com a Folha de S. Paulo, foi compartilhado até com o próprio Bolsonaro.

A junção da “marcação das manifestações” e do áudio que viralizou fez muita gente acreditar que uma nova greve, desta vez em apoio a Bolsonaro, viria por aí e as consequências foram as publicações que viralizaram. O que nem todos notaram é que há alguns detalhes que entregam que a informação não procede.

O primeiro deles está na representatividade da pessoa que gravou o áudio (que, por sinal, não fala nada em greve dos caminhoneiros e sim “desabafa” sobre “o que está acontecendo”). Mesmo que ele estivesse convocando a classe para “parar o Brasil” no dia 26, provavelmente, não teria sucesso.

O motivo é simples: para que uma greve ocorra não basta a vontade de uma liderança. É preciso acordo entre os muitos líderes que existem entre os caminhoneiros. E, ao buscar sobre qualquer movimentação entre outras entidades da classe (inclusive as que lideraram a greve de 2018), nada encontramos sobre a tal greve em apoio a Bolsonaro.

O segundo deles é lógico. Apesar de muita gente achar que os caminhoneiros realizam “greve” com objetivos políticos (retirar um presidente, pedir intervenção militar ou qualquer outro), a realidade é que as paralisações acontecem por causa de pautas relacionadas à classe. Ou seja: sempre que você vir alguma informação apontando que caminhoneiros vão parar para apoiar algum político (seja ele quem for), desconfie.

O motivo final está no histórico. Desde que ocorreu a greve (de verdade) dos caminhoneiros, não foram poucos os alarmes falsos de paralisação. Neste ano, já falamos de ameaças em março e abril. Assim como nos outros casos, “alguém” soltou na internet a ideia, muita gente se assustou, mas, no final, nada aconteceu.

Resumindo: a história que aponta que os caminhoneiros estão organizando uma nova greve só para apoiar o presidente Jair Bolsonaro é falsa. Apesar do barulho que estão fazendo, não há qualquer movimentação das lideranças da classe que aponte para uma troca da pauta “corporativa” pela pauta “política”.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)