Brasil deixou de comprar gás natural da Bolívia e Venezuela #boato

Boato – Com a construção do Campo do Azulão pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Bento Albuquerque, o Brasil deixou de comprar gás natural da Bolívia e Venezuela.

Não é de hoje que boatos de “obras incríveis” do governo federal têm circulado na internet. A mais nova aponta para uma obra que seria responsável por fazer o Brasil deixar de ser dependente do gás natural da Bolívia e Venezuela.

Um vídeo que mostra a inauguração do Campo do Azulão (no Amazonas) está sendo acompanhado por uma mensagem que aponta que, com a obra, o Brasil teria deixado de comprar gás natural da Bolívia e Venezuela. Leia o texto que circula online (e tece elogios ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque):

Adeus à compra de gás da Bolívia e Venezuela. Parabéns Bolsonaro! Parabéns Ministro Bento Albuquerque (almirante da Nossa armada)! Alguém viu isso na mídia? Isso a Globo não mostra, mas deve dizer q estão destruindo a floresta

Brasil deixa de comprar gás natural da Bolívia e Venezuela?

Apesar de o conteúdo estar circulando com força em redes sociais em maio de 2021, trata-se de uma notícia falsa que circula na internet desde 2020 e, inclusive, já foi desmentida na internet. O próprio tempo se ocupou de “desmentir a tese”.

Só para reforçar o que foi dito no início, vamos relembrar algumas vezes em que notícias falsas falavam de “grandes obras” do governo Bolsonaro. Desde o início de 2019, já desmentimos boatos que falavam sobre, por exemplo, uma grande ponte em Ilhéus (BA), uma ferrovia que atravessaria o Nordeste brasileiro e a “maior ponte ferroviária” da América Latina.

E, assim como nos outros casos, a mensagem que circula na internet não é real. A verdade começa a aparecer quando buscamos mais detalhes sobre a tal obra em questão. Como aponta esse texto, publicado no site do governo do Amazonas, o Campo do Azulão irá suprir a demanda da usina termelétrica Jaguatirica II (que supre a energia elétrica do estado de Roraima). Ou seja: apesar de a obra se mostrar positiva, não vai suprir toda a demanda de gás natural do Brasil.

No ano passado, o Estadão (por meio do serviço Estadão Verifica) apontou que o Brasil continuava importando gás natural. Em todo o ano passado, foram importados 5,2 bilhões de quilogramas líquidos do material da Bolívia. Nestes primeiros meses, foram importados 1,9 bilhão de quilogramas líquidos. Da Venezuela, não foi importado gás natural em 2020 e 2021. Porém, não há registros de compras em anos anteriores ao governo Jair Bolsonaro.

Resumindo: não é verdade que o Brasil deixou de importar gás natural da Bolívia e Venezuela por causa da construção do Campo do Azulão (no Amazonas). O Brasil continua importando o material da Bolívia e não há registros de importação do material da Venezuela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3aIzl5T
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3w3sv3d
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3wa3LY1

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet