Sargento da Guarda Bolivariana atira em coronel e desobedece ordem de Maduro na Venezuela #boato

Boato – Sargento da Guarda Bolivariana atira em coronel por se recusar a reprimir povo venezuelano a pedido do presidente Nicolás Maduro.

Se tem uma coisa que a onda de fake news sobre a Covid-19 tem feito, essa é o repentino desinteresse na política dos nossos países vizinhos, como Venezuela e Bolívia. E com isso, não sabemos se comemoramos a redução de determinadas informações falsas ou se choramos pela enorme quantidade de desinformação sobre a Covid-19. Mesmo assim, ainda há informações falsas que insistem (mesmo sem o volume de outrora) por aí. A de hoje é um exemplo.

Trata-se de um vídeo (que não iremos exibir aqui) que seria de uma discussão entre dois integrantes do Exército da Venezuela, enquanto o restante do batalhão acompanha atentamente. De acordo com a história, as imagens mostrariam um sargento da Guarda Bolivariana discutindo, em espanhol, com um coronel do Exército.

Após diversas ofensas mútuas, segundo a publicação, o sargento sacou o fuzil que estava pendurado em seus ombros e atirou no rosto do coronel, que caiu no chão imóvel. De acordo com a publicação, a situação teria ocorrido porque a Guarda Bolivariana teria se recusado a reprimir o povo, desobedecendo ordens do presidente venezuelano Nicolás Maduro. Confira:

“Os militares estão se recusando a maltratar o povo morto de fome. O regime de Maduro esta quebrando de dentro para fora. Sargento atirou no coronel. Tropa da Guarda Bolivariana se recusando a ir reprimir o povo: mas isso a Globo não mostra e o Governo Venezuelano faz de tudo pra não vazar”.

Sargento da Guarda Bolivariana atira em coronel e desobedece ordem de Maduro na Venezuela?

A informação deixou muita gente inconformada e bombou nas redes sociais, especialmente, no Facebook e no WhatsApp. Apesar disso, a história não passa de balela.

Já começamos a desconfiar porque, para começo de história, a publicação apresenta as principais características de fake news na internet, como o caráter vago, alarmista e a falta de fontes confiáveis.

Além disso, como dissemos no início do texto, histórias falsas envolvendo a Venezuela e vídeos retirados de contexto são uma constante na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu diversas delas, como a que dizia que a gasolina teria acabado na capital Caracas e carros teriam formado uma fila gigantesca em busca de combustível. Também a que indicava que um vídeo mostraria um navio da Venezuela despejando petróleo na costa do Nordeste brasileiro e, por fim, a que apontava que Maduro teria mandado fechar igrejas católicas e destruir imagens na Venezuela.

Resolvemos, então, buscar por mais informações sobre o assunto na internet, mas não encontramos nenhuma referência sobre o caso. E, bem, convenhamos, se a história fosse realmente verdade, estamparia diversas manchetes ao redor do mundo.

Ao buscar pelas imagens, descobrimos que o vídeo sequer foi gravado na Venezuela. Ao contrário do que aponta a história, o vídeo foi registrado na Colômbia e não tem nada a ver com a realidade.

De acordo com o serviço de checagem da AFP da Colômbia, o carro que aparece ao fundo da tropa esclarece toda a confusão. Segundo o serviço de checagem, o carro possui uma placa amarela, característica das placas de veículos particulares na Colômbia. O site ainda destaca que, na Venezuela, as placas possuem as cores da bandeira venezuelana (amarelo, azul e vermelho) em cima de um fundo branco.

No Brasil, o serviço de checagem da AFP destacou que o vídeo se trata de uma encenação. Na realidade, o vídeo faz parte da campanha “Eu tenho o controle”, promovida pela Direção de Preservação e Integridade (DIPSE) do Exército Nacional da Colômbia. As imagens foram gravadas no dia 18 de fevereiro de 2019. A campanha tem como objetivo proporcionar reflexão sobre questões de autocontrole entre os militares colombianos. Ao longo de 2019, o DIPSE promoveu outras peças audiovisuais para a campanha.

Por fim, ainda no Brasil, o serviço de checagem Fato ou Fake também desmentiu a informação. De acordo com o serviço, a história falsa começou a circular ainda em 2019 e, na época, foi desmentida pelo Exército Nacional da Colômbia.

Em resumo: a história que diz que um sargento da Guarda Bolivariana atirou em um coronel por se recusar a reprimir o povo venezuelano, contrariando ordens de Maduro, é falsa! O vídeo usado na história, na realidade, trata-se de uma peça audiovisual para a campanha “Eu tenho o controle”, promovida pela Direção de Preservação e Integridade (DIPSE) do Exército Nacional da Colômbia. As imagens foram gravadas em fevereiro de 2019 e não representam a realidade. O próprio Exército Nacional da Colômbia desmentiu a história quando ela começou a circular na internet.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

– Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
– Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
– Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
– Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
– Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2XrGSBD
– Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK