Maduro manda queimar lojas maçônicas na Venezuela em 2019 #boato

Boato – Presidente da Venezuela Nicolás Maduro mandou queimar lojas maçônicas no país sob acusação de organização criminosa.

A crise política que assola a Venezuela tem se intensificado nas últimas semanas. Após Juan Guaidó, que recebeu apoio dos Estados Unidos, ter se autoproclamado presidente do país, as relações com o presidente Nicolás Maduro ficaram tensas.

Recentemente, o presidente Maduro acabou expulsando o embaixador da Alemanha na Venezuela, após ele ter se posicionado a favor de Guaidó. E, segundo uma história que anda circulando nas redes sociais, as ações não pararam por aí.

De acordo com a história, Nicolás Maduro mandou queimar lojas maçônicas na Venezuela, como uma retaliação do apoio dos Estados Unidos ao autroproclamado presidente Juan Guaidó. Confira:

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa. Em ação iniciada pela polícia de Nicolás Maduro diversas lojas maçônicas estão sendo invadidas e saqueadas na Venezuela de norte a sul do país, em retaliação a ação dos Estados Unidos da América que apoia o presidente aclamado Juan Guaidó. A decisão de destruir lojas da maçonaria é uma resposta pela atitude de um iniciado, Oscar Perez, piloto militar de helicóptero que ano passado jogou bombas de festim no telhado do STF Venezuelano, em protesto contra o governo.

O Governo Venezuelano em uma incansável “busca e captura” prendeu o irmão Óscar e mais seis integrantes do grupo de rebeldes, mas ao invés de detê-los e julgá-los, executaram todos os sete sumariamente um a um, com um tiro na cabeça; a operação militar está sendo questionada pela maçonaria e organizações dos direitos humanos. Maduro quer banir do território venezuelano toda influência da maçonaria por acreditar ser a sociedade secreta uma organização criminosa.

Maduro manda queimar lojas maçônicas na Venezuela em 2019?

A informação deixou toda a comunidade maçônica revoltada e em alerta, uma vez que Maduro estaria tentando criminalizar a organização. Mas a pergunta que não quer calar é: será que Nicolás Maduro realmente mandou queimar lojas maçônicas na Venezuela? A resposta é não!

Vamos aos fatos! Desde que a crise política na Venezuela se instaurou, o que não falta na internet são fake news sobre a situação. Na verdade, temos várias histórias que misturam um problema real do país com pitadas de mentira.

A equipe do Boatos.org já desmentiu várias dessas histórias, como a história de que Maduro teria mandado prender médicos venezuelanos que aceitaram ajuda humanitária. Também o caso em que Maduro mandou jogar a comida enviada pela ajuda humanitária no lixo e, por fim, a história em que o presidente teria mandado fechar igrejas católicas no país.

Resolvemos procurar por informações sobre lojas maçônicas queimadas na Venezuela ou alguma retaliação parecida contra Juan Guaidó, mas nada encontramos. Outro ponto que nos chama muita atenção nessa história é que um dos sites que ajudou na divulgação da notícia costuma publicar outras fake news, como o fim do auxílio-reclusão anunciado por Paulo Guedes.

Ao buscar pela imagem usada na reportagem e por notícias antigas, descobrimos uma denúncia de 2018. Na época, os maçons venezuelanos reclamavam da perseguição às lojas maçônicas, após a operação que matou o policial e ator Óscar Pérez (um maçom que promoveu ataques contra órgãos públicos e foi morto pela polícia). Mas nenhuma menção sobre lojas queimadas ou Juan Guaidó (que não possuía tanta influência assim na época).

Em resumo: a história que diz que Nicolás Maduro mandou queimar lojas maçônicas na Venezuela é falsa. Um dos principais sites que trabalhou na divulgação da notícia é um velho conhecido que costuma publicar fake news. Além disso, não há nenhum registro de lojas queimadas ou o envolvimento de Juan Guaidó na história. Ou seja, é tudo balela. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)