Forças Armadas do Chile entram em ação, ficam ao lado do presidente Sebastián Piñera e declaram guerra aos socialistas comunistas #boato

Boato – Militares chilenos declaram guerra contra socialistas comunistas do país e declaram apoio ao presidente Sebastián Piñera. 

A insatisfação dos chilenos com a atual Constituição do país, redigida em 1980 (durante o período da Ditadura Militar de Augusto Pinochet), obrigou o governo federal a convocar eleições constituintes para alterar a Constituição.

O pleito ocorreu em maio de 2021 e elegeu os representantes para a Convenção Constitucional, responsável por redigir a nova Constituição, levando diversos representantes de esquerda e de minorias ao poder. Nos últimos dias, a Convenção elegeu Elisa Loncón, acadêmica e linguista de origem indígena mapuche, para presidir a Assembleia.

E todo o contexto no país desencadeou a criação de algumas fake news. De acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, as Forças Armadas do Chile teriam entrado em ação para apoiar o presidente Sebastián Piñera. Ainda segundo a história, os militares teriam declarado guerra aos socialistas comunistas do país. Confira:

“MILITARES EM AÇÃO NO CHILE. FORÇAS ARMADAS DO CHILE FICAM AO LADO DO PRESIDENTE SEBATIAN PIÑERA COMUNICA: ESTAMOS EM GUERRA CONTRA OS SOCIALISTAS COMUNISTAS”.

Forças Armadas do Chile entram em ação, ficam ao lado do presidente Sebastián Piñera e declaram guerra aos socialistas comunistas?

A informação caiu como uma bomba nas redes sociais, em especial, no Facebook. Entretanto, a história não tem nada de verdade. A explicação fica por conta da origem da imagem usada na história e da atual situação política no Chile.

Não é de hoje que histórias falsas que incitam uma intervenção militar circulam na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que o Exército e manifestantes teriam cercado o STF para prender os 11 ministros da corte. Também o que indicava que o Exército teria enviado um áudio bombástico para os ministros do STF falando sobre invasão e, por fim, a que apontava que Bolsonaro teria determinado prontidão do Exército em guerra contra Venezuela.

Ao procurar pela imagem utilizada na publicação, descobrimos que ela não tem nada a ver com a publicação. A imagem foi registrada no dia 20 de outubro de 2019, durante uma declaração do presidente Sebastián Piñera sobre os protestos realizados no país contra o aumento da tarifa do metrô.

Na época, Piñera afirmou que estava em guerra contra um inimigo poderoso, mas não citou “socialistas” ou “comunistas”. Durante a declaração, o presidente chileno ainda afirmou que esse inimigo estaria disposto a usar a violência e a delinquência.

“Estamos en guerra contra un enemigo poderoso, implacable, que no respeta nada ni a nadie, que está dispuesto a usar la violencia y la delincuencia sin ningún límite incluso cuando significa pérdidas de vidas humanas”, afirmó el mandatario en referencia a los disturbios registrados en varios puntos del país.

[Estamos em guerra contra um inimigo poderoso, implacável, que não respeita nada nem ninguém, que está disposto a usar a violência e a delinquência sem nenhum limite, inclusive quando isso significa a perda de vidas humanas].

Na mesma oportunidade, Piñera ainda ressaltou que o general responsável por comandar o estado de emergência no país teria quase 10 mil militares disponíveis para assegurar a paz e controlar os excessos. A declaração gerou revolta no Chile e o presidente teve que voltar atrás, pedindo desculpas em rede nacional.

Além disso, as manifestações registradas na época levaram à implementação de um pacote de medidas sociais, como a redução da tarifa do metrô, da energia elétrica, o aumento de impostos para os mais ricos e o aumento do valor da aposentadoria. Se isso não bastasse, as manifestações também conseguiram a garantia da eleição Constituinte que garantiu a elaboração de uma nova Constituição. A Convenção Constitucional, realizada em 2021, ainda representou uma derrota ao governo Piñera, que não conseguiu eleger um terço do plenário (número necessário para poder negociar as regras da nova Constituição). Ou seja, seria, no mínimo, muita audácia do Exército e do presidente Sebastián Piñera tentar aplicar um golpe militar sabendo da baixa popularidade de ambos.

Por fim, a história de hoje já foi desmentida em outros serviços de fact-checking, como na Agência Lupa. De acordo com a checagem da Lupa, a foto usada na história foi publicada na conta oficial da Presidência do Chile no Twitter como uma tentativa de mostrar poder por parte da Presidência, frente aos protestos.

Em resumo: a história que diz que as Forças Armadas do Chile declararam guerra contra os socialistas comunistas do país, em apoio ao presidente Sebastián Piñera, é falsa! A foto usada na publicação, na realidade, foi registrada no dia 20 de outubro de 2019, durante uma declaração do presidente chileno Sebastián Piñera sobre as manifestações contra o aumento da tarifa de metrô no país. Ao longo da fala, Piñera não citou em nenhum momento “socialistas” ou “comunistas”. Ou seja, a história não passa de balela!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3w3sv3d
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso