Brasil vendeu a Copa do Mundo de 2018 para a Fifa (1) #boato

Boato – Denúncia feita por jogadores da seleção brasileira aponta que o Brasil vendeu a Copa do Mundo de 2018 para a Fifa. Atualizado: já temos a versão que surgiu após a derrota contra a Bélgica e eliminação da seleção na Copa. Confere aí: 

Eis que chegou um momento muito importante para a Copa do Mundo. Se você está pensando que estamos falando sobre o final da primeira fase e os primeiros classificados para as oitavas de final, está enganado. Estamos falando da primeira viralização (existe essa palavra?) do texto que começa com “o escândalo que todo mundo suspeitava”, fala da teoria da conspiração da entrega da Copa do mundo e cita subornos.

A mensagem, que já começou a viralizar no Facebook e no WhatsApp em 2018, aponta que o Brasil vendeu a Copa do Mundo para a Fifa. De acordo com a mensagem, o jogo foi vendido em reunião de Roberto Marim, Tite e o presidente da Fifa, Gianni Infantino, que os jogadores vão receber uma grande quantia e que o Brasil terá o caminho facilitado para o hexa em 2022. Leia duas versões (com pequenas variações entre elas):

Versão 1: O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA! Talvez, isso explique a razão do jogador Renato Augusto ter declarado a seguinte frase: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enojadas”. Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem empatado com a Suíça na Copa do Mundo de futebol, na Rússia. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado: O Brasil VENDEU a copa do mundo para a Fifa. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 17 de Junho (dia do jogo contra a Suíça), em uma reunião envolvendo o Sr. Roberto Marim (na única vez que o presidente da federação brasileira compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Tite e o Presidente da FIFA, Gianni Infantino. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel. A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o hexa-campeonato mundial por sediar a Copa do Mundo em 2046.

A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$700.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) através da FIFA. Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa FPAR nos próximos 4 anos, terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como Cristiano Ronaldo e Neymar.

Mesmo assim, Fred se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Tite a escalar o jogador Fernandinho, dizendo que Fred estava com problemas musculares (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14:15, alterando o prognóstico para problemas estomacais). A sua situação só foi resolvida após o representante da FPAR ameaçar retirar seu patrocínio vitalício ao jogador, avaliado em mais de US$90.000.000,00 (noventa milhões de dólares) ao longo da sua carreira.

 Assim, combinou-se que o Brasil empataria, porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a atuação caísse na desconfiança do povo, e também da Interpol, Neymar estava irreconhecível em campo e não apenas pelo seu corte de cabelo inusitado. O Sr. Gianni Infantino, presidente da Fifa, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial trouxe equilíbrio à copa do mundo. Garantiu que o Brasil teria seu caminho facilitado para o hexa-campeonato de 2022. Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o futebol

Versão 2: O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA! Talvez, isso explique a razão do jogador Alisson ter declarado a seguinte frase: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enojadas”. […]

A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o hexa-campeonato mundial por ser campeão de forma invicta na Copa do Mundo em 2022. […]

Mesmo assim, Neymar se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Tite a escalar o jogador Danilo, dizendo que Neymar estava com problemas na coluna (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14:15, alterando o prognóstico para problemas estomacais). […]

Brasil vendeu a Copa do Mundo de 2018 para a Fifa?

A história está circulando muito, mesmo sem o Brasil não ter, ainda, perdido a Copa (imagina só na eliminação). Mas será mesmo que a seleção brasileira vendeu a Copa do Mundo para a Fifa? É claro que a resposta é não. Para você entender tudo, vamos aos fatos.

Você notou que o nosso título tem um “(1)” no final. Colocamos o número porque temos a desconfiança de que diversas versões diferentes da mesma história vão aparecer até o final da Copa do Mundo (e aí vamos identificar, só por diversão, com (2), (3) etc). E é justamente a quantidade de versões que começa a entregar a farsa.

O mesmo texto circula, sempre com pequenas variações desde a final da Copa do Mundo de 1998. Só no Boatos.org, já desmentimos o mesmo texto (além da versão 98), a versão Copa de 2014 (a Espanha vendeu), a versão Copa de 2014 (2) (Brasil vendeu), a versão eleições 2014 (1), a versão eleições (2) e até versão Paulistão 2017 (a Ponte Preta vendeu). Na versão Copa de 2014 tem até vídeo.

Todos os casos têm algo em comum: sempre começa com uma chamada alarmista, um depoimento de um membro dos derrotados (em 2018 há a versão Allison e a versão Renato Augusto), uma permuta (neste ano há a versão sediar 2046 e a versão ganhar 2022), um suborno, alguém que se recusou (há a versão Neymar e a versão Fred), um substituto (em um texto Danilo, em outro Fernandinho), fala da apatia e, no final, pede compartilhamento.

Não precisa ser um gênio para perceber que a inúmera quantidade de versões com base no mesmo texto, as características de boatos (vago, alarmista, com erros de português, pedido de compartilhamento e sem citar fontes confiáveis) e as informações “furadas” (não existe Roberto Marim, nem as notícias saíram nos jornais citados) fazem a história ser mais falsa do que nota de três reais.

Resumindo: apesar da apatia que se abateu nos torcedores brasileiros, a história (ou pelo menos essa versão) que aponta que o Brasil vendeu a Copa é falsa (apesar de muito divertida). Aguardamos ansiosamente novos desdobramentos do mesmo texto para desmentir ainda nesta Copa.

Em tempo: sentimos falta do denunciante Gunther Schweitzer (que sempre assinava essas denúncias). Será que, assim como o rei Pelé, ele não vai dar as caras na Copa do Mundo da Rússia?

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Um comentário em “Brasil vendeu a Copa do Mundo de 2018 para a Fifa (1) #boato

  • 16/07/2018 em 20:11
    Permalink

    Isso tudo já estava previsto antes de começar os jogos,
    tudo uma vergonha,
    não acredito mais no futebol,
    única coisa que importa pra ELES é somente o DINHEIRO
    Bando de safados, simplesmente
    Eu já descobri de onde os políticos brasileiros se espelham… = na FIFA

    TNC todos!!!!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)