Professor esquerdista assediou menina de 13 anos e apanhou do pai dela #boato

Boato – Vídeo mostra o momento em que pai bate em professor esquerdista que assediou uma sua filha, uma menina de 13 anos.

Há cerca de dez dias, uma notícia começou a chamar atenção na internet. Um vídeo de um professor sendo agredido por um pai de uma aluna viralizou na internet junto com informações preliminares de que a agressão havia ocorrido após ele assediar uma menina de 13 anos.

Enquanto a história ainda estava em investigação, uma nova versão do caso começou a circular na internet. O enredo era igual ao anterior com um “bônus”. De acordo com os textos que circulam por aí, o professor seria um “esquerdista”. Leia alguns dos textos que circulam online, junto com o vídeo (que não será exibido aqui):

Versão 1: Professor esquerdista, defensor da pedofilia, disse para aluna de 13 anos que se não fosse casado, faria s… com ela. O pai foi amaciar a carne do professor. Chama o var, pois não foi nada. Versão 2: Professor esquerdista diz para criança de 13 anos que se não fosse casado faria s… com ela. Aí pai foi lá, explicar pra ele que mexeu com a pessoa errada. Isso vai acontecer e muito, porque não aturamos pedófilos.

Professor que apanhou de pai de menina de 13 anos é esquerdista?

Não demorou muito para a mensagem se espalhar na internet. Só que, ao contrário do que apontam mensagens, não há qualquer indício de que o professor envolvido no caso em questão é um “esquerdista”.

As mensagens em questão já nos deixam muito desconfiados da veracidade da informação. Ela tem características de fake news como o caráter vago, alarmista, os erros de português e a falta de citação de fontes confiáveis.

Além disso, não é de hoje que notícias reais ganham uma conotação política ao ter personagens envolvidos taxados como “esquerdistas”. Já desmentimos boatos que apontavam que pessoas acusadas de crimes eram esquerdistas em exemplos como este, este e este.

Assim como nos outros casos, pegaram uma notícia real e a politizaram. Para chegar à conclusão do caso, buscamos mais detalhes em relação à notícia que fala da agressão em questão.

Como aponta esta matéria do G1, o caso ocorreu na cidade em Cosmópolis (SP). Na ocasião, garota de 13 anos relatou aos pais que o professor estaria a assediando. O pai foi até a escola, agrediu o professor e outros alunos gravaram o vídeo em questão. Essa matéria do UOL aponta que a Guarda Civil da cidade foi chamada para controlar a confusão e tudo que ocorreu, incluindo a acusação contra o professor, será apurada.

Em nenhum dos casos, as matérias que falavam sobre o assunto apontavam para posicionamento político em relação ao professor em questão. A adjetivação de que ele seria “esquerdista” só surgiu posteriormente, em postagens em redes sociais. A informação não foi confirmada em nenhuma fonte confiável. Ou seja: a parte do “esquerdista” fica a cargo de quem compartilhou a versão da informação.

Resumindo: não é possível aferir que o professor que apanhou de um pai e é acusado de assédio sexual é um “esquerdista”. Matérias que falam sobre o assunto não tratam do posicionamento político dele e adjetivo “brotou” em mensagens com viés em redes sociais.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet