João Pedro, jovem morto pela polícia, posa com armas e drogas em vídeo #boato

Boato – Morto em favela, João Pedro de 14 anos posa com armas, drogas e dinheiro em vídeo nas redes sociais. 

A violência no Rio de Janeiro continua mesmo durante a pandemia. No dia 18 de maio de 2020, o jovem João Pedro, de apenas 14 anos, morreu após ser atingido por uma bala de fuzil dentro da casa de um tio, enquanto brincava.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:


Se inscreva no nosso canal no Youtube

 

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): https://bit.ly/3cDxFZE

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Lista no Telegram
https://bit.ly/2VSlZwK

O caso ocorreu durante uma ação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Federal, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ). O corpo do menino só foi encontrado pela família no dia seguinte ao ocorrido, no IML, gerando comoção na internet.

Mas parece que algumas pessoas, de forma bastante cruel, decidiram circular uma fake news com o intuito de “justificar” a morte do jovem João Pedro. Nos últimos dias, um vídeo que mostraria supostas imagens de João Pedro com armas, drogas e dinheiro, com um funk de fundo, começou a ser compartilhado. Segundo as publicações, esse seria o “coitadinho” do João Pedro defendido pelas pessoas na internet. Confira:

Alerta: tenha cuidado com mensagens que imputam crimes a mortos jovens em ações da polícia

Versão 1: “VEJA O ADOLESCENTE, JOÃO PEDRO O COITADINHO QUE O FANTÁSTICO ( REDE GLOBO) ESTÁ DEFENDENDO VEEMENTEMENTE”. Versão 2: “*Joao Pedro, o adolescente “coitadinho”, que está sendo defendido agora no Fantástico*”.

João Pedro, jovem morto pela polícia, posa com armas e drogas em vídeo?

As imagens rodaram as redes sociais e o vídeo foi compartilhado diversas vezes. Mas será que essa história de que João Pedro teria postado com armas, drogas e dinheiro antes de morrer é verdade? A resposta é um sonoro não!

Vamos aos fatos! Para começo de história, a publicação apresenta diversas características de fake news na internet. Ela é vaga, bastante alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

Além disso, infelizmente, diversas informações falsas sobre pessoas que morreram em operações policiais circulam na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que a ex-vereadora Marielle Franco estaria engajada com bandidos e, por isso, foi morta por traficantes. Também a que dizia que o jovem Rafael Canoza, morto na comunidade do Jacarezinho (RJ), teria posado para uma foto com um fuzil e, por fim, a que indicava que um dos jovens que morreu no baile funk de Paraisópolis (SP) teria feito um vídeo segurando uma arma. Neste último desmentido, sobre o jovem de Paraisópolis (SP), existe até uma linha do tempo mostrando algumas das histórias, desde 2015, que já desmentimos por aqui.

Infelizmente, toda vez que uma operação policial resulta na morte de um inocente, não demora muito para esse tipo de história surgir, apresentando justificativa para a morte da pessoa (muitas vezes jovens) e tentando “limpar a barra” dos policiais.

Ao buscar por referências sobre a história de hoje, não encontramos nada. Nem que João Pedro possuía antecedentes criminais e muito menos que o menino tinha envolvimento com o crime.

João Pedro Mattos Pinto, na verdade, era um adolescente normal. Aos 14 anos, João Pedro tinha bronquite e, por isso, estava tomando todos os cuidados durante a pandemia. Ele gostava de jogar video game e sonhava em ser advogado quando crescer. Mas seu sonho foi interrompido por uma bala de fuzil que o atingiu pelas costas.

Ao comparar o menino do vídeo com o jovem João Pedro, podemos notar muitas diferenças físicas entre os dois. Por exemplo, o formato do rosto, dos olhos, das sobrancelhas, do nariz e também das orelhas. Além disso, o estilo do cabelo também não é igual.

Fomos, então, atrás das imagens que aparecem no vídeo. Para nossa (não) surpresa, descobrimos que as fotos não tem nada a ver com o jovem João Pedro. O vídeo montagem foi compartilhado no dia 1 de maio de 2020 (bem antes da morte de João Pedro) em uma página do Instagram. Na publicação, o texto indica que o menino atende pelo codinome de Sementinha. A publicação estimula a denúncia, caso ele seja visto pelo bairro. Já as fotos podem ser encontradas em alguns perfis no Twitter. No dia 11 de maio, por exemplo, uma página chegou a compartilhar diversas fotos que aparecem no vídeo e pediu para que as pessoas levem o menino à delegacia caso o vejam.

Em resumo: a história que diz que o jovem João Pedro, morto no Complexo do Salgueiro (RJ), teria posado com armas, drogas e dinheiro é falsa! Ao comparar os traços físicos de João Pedro com o menino que aparece nas imagens, é possível ver as diferenças físicas entre os dois. Além disso, o vídeo montagem já circula na internet desde o dia 1 de maio de 2020 e indica que o menino das fotos se chama Sementinha. Ou seja, nada a ver com o jovem João Pedro. Sendo assim, não compartilhe esse vídeo. Além de cruel, ele não passa de uma mentira. Toda nossa solidariedade à família de João Pedro! #JoãoPedroPresente

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3df26qp
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)