Variante Ômicron XBB da Covid-19 não é detectada em testes e é mais mortal #boato

Boato – Notícias de Singapura alertam que a variante Ômicron XBB da Covid-19 é mais mortal do que as anteriores (5 vezes mais mortais do que a Delta), têm sintomas diferentes e não é detectada por testes.

Estávamos até hoje há mais de um mês sem nenhuma fake news sobre a Covid-19. O tabu foi quebrado hoje e está sendo derrubado de vez. Tudo graças à descoberta de uma nova subvariante da Ômicron: a Ômicron XBB.

De acordo com uma mensagem que circula online, “notícias de Singapura” haviam revelado que a Ômicron XBB seria mais mortal do que as outras variantes da Covid-19 e que também não seria detectável por testes. Além disso, é dito que os sintomas seriam diferentes de outras variantes (chega a ser cinco vezes mais mortal do que a Delta). Leia a mensagem que circula online:

Notícias de Singapura! Todos são aconselhados a usar uma máscara porque o novo coronavírus variante COVID-Omicron XBB é diferente, mortal e não é facilmente detec tado adequadamente:- Os sintomas do novo vírus COVID-Omicron XBB são os seguintes:- 1. Não tossir. 2. Sem febre. Haverá apenas muitos :- 3. Dor nas articulações. 4. Dor de cabeça. 5. Dor no pescoço. 6. Dor na parte superior das costas. 7. Pneumonia. 8. Geralmente não tem apetite. Obviamente, o COVID-Omicron XBB é 5 vezes mais tóxico que a variante Delta e tem uma taxa de mortalidade mais alta que a Delta.

Leva um tempo mais curto para a condição atingir gravidade extrema e, às vezes, não há sintomas óbvios. Vamos ter mais cuidado! Essa cepa do vírus não é encontrada na região nasofaríngea e afeta diretamente os pulmões, as “janelas”, por um período de tempo relativamente curto. Vários pacientes diagnosticados com Covid Omicron XBB foram classificados como sem febre e sem dor, mas os raios-X mostraram pneumonia torácica leve. Os testes de swab nasais geralmente são negativos para COVID-Omicron XBB, e os casos falso-negativos de testes nasofaríngeos estão aumentando.

Isso significa que o vírus pode se espalhar na comunidade e infectar diretamente os pulmões, levando à pneumonia viral, que por sua vez causa estresse respiratório agudo.   Isso explica por que o Covid-Omicron XBB se tornou altamente contagioso, altamente virulento e letal.   Atenção, evite lugares lotados, mantenha uma distância de 1,5m mesmo em espaços abertos, use uma máscara de dupla camada, use uma máscara adequada, lave as mãos com frequência quando todos estiverem assintomáticos (sem tossir ou espirrar). Este Covid Omicron *”WAVE”* é mais mortal que a primeira onda de Covid-19. Portanto, temos que ter muito cuidado e tomar várias precauções aprimoradas contra o coronavírus.  Também mantenha uma comunicação vigilante com seus amigos e familiares.   Informação salva!

Variante Ômicron XBB da Covid-19 não é detectada em testes e é mais mortal?

É claro que diante uma nova versão do “novo coronavírus”, a história iria se espalhar com todas as forças na internet. Porém, a mensagem que está viralizando por aí é falsa. Não foi revelada por Singapura tampouco tem informações corretas.

A mensagem carrega todas as características de fake news. Ela é vaga, alarmista, tem erros de português, pede compartilhamento e não cita nenhuma fonte confiável. Ou seja: carrega o combo perfeito para uma “boa fake news”.

Ao procurar mais detalhes sobre a história, descobrimos que ela é muito similar a uma fake news que desmentimos sobre a variante Ômicron “tradicional” (que, por sua vez, era similar a um texto sobre a variante Delta). Ou seja: a história falsa está sendo modificada e “re-compartilhada” a cada novidade da Covid-19.

Ao olhar o texto, de cara, podemos encontrar diversas informações falsas sobre a Ômicron XBB da Covid-19. Para começar, ela não é uma “nova variante”. A XBB é uma subvariante da Ômicron. Também é falsa a informação que aponta que ela não é detectável por testes.

Além disso, os sintomas descritos como “novidade” não são da subvariante. Na realidade, os sintomas são similares ao da variante Ômicron: parecidas com a de um resfriado.

Sobre letalidade, também é falsa a informação que a variante é mais letal do que Delta. Na realidade, a vacinação tem feito com que, felizmente, a letalidade da Covid-19 tenha diminuído.

Ao final, o texto tem aquelas recomendações sempre úteis para se evitar a Covid-19 (mas que, infelizmente, já não são tão seguidas): evitar aglomerações, usar máscara e lavar as mãos (faltou alertar para a importância das vacinas).

Ao procurar notícias sobre a Ômicron XBB, o fato mais relevante até o momento é que ela, de acordo com autoridades, ela poderia, junto com a subvariante BQ.1, se tornar prevalente. Porém, não há nada sobre letalidade maior ou mesmo escape de vacinas ou testes.

Resumindo: o texto relativo à subvariante Ômicron XBB que circula online é falsa. As informações estão erradas e a mensagem não passa de uma nova versão de correntes falsas sobre a Ômicron (tradicional) e a Delta.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3sexfTk
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet