Homem ensacado vivo mexe os braços e revela farsa das mortes na pandemia #boato

Boato – Homem é ensacado vivo e dado como morto pela Covid-19 para que as estatísticas da pandemia fiquem infladas, mostra vídeo. 

A disseminação de boatos sobre o novo coronavírus foi, e ainda é, um dos maiores obstáculos no combate à pandemia de Covid-19. Desde o início da pandemia, o que não faltou por aqui foram informações falsas que tentam “embasar” a tese de que as estatísticas de mortes por Covid-19 estão “infladas”.

A última que circula online aponta para um vídeo em que um homem é ensacado vivo e dado como morto pela Covid-19 para inflar as mortes por coronavírus no estado. O vídeo (que não mostraremos aqui por motivos óbvios), mostra a pessoas em uma maca sendo colocado em um saco fúnebre em um hospital. Durante a gravação, os braços do paciente, que estavam acima da cabeça, caem para a maca. O sujeito que narra o vídeo diz que “nitidamente o cara está vivo e que ele está se mexendo”. Leia o que diz a mensagem e a transcrição do vídeo:

HOMEM E SUPOSTAMENTE ENSACADO VIVO (Imagens Fortes) O jornal Planaltina recebeu um vídeo por um seguidor, de um homem supostamente estava sendo ensacado em um hospital vivo. Não sabemos a procedência do vídeo! Aguardando Atualizações.

Transcrição do vídeo: “Saber o que que aconteceu. Dá para ver nitidamente que o cara tá vivo ainda. Ele está se mexendo. Ele levanta os braços e eles ensacam ele vivo. Doparam ele, jogaram algodão no nariz para prender a respiração e na boca e estão ensacando o cara. É assim incrível o que estão fazendo com esse cara. E é muito provável que estão fazendo com muitos por aí a fora, por isso, que eles estão querendo proibir de todas as formas o tratamento precoce porque sabem que a maioria das pessoas vão se recuperar e vão pra casa e aí caí por terra a narrativa deles de que né tá morrendo de coronavírus aquele mundo de gente morrendo de coronavírus. O que é isso cara? Eu to assim passado depois que eu vi esse vídeo por que o tratamento precoce vai recuperar a maioria das pessoas e vai despencar o número de mortes absurdamente, mas eles precisam de uma narrativa”.

Homem ensacado vivo mexe os braços e revela farsa das mortes na pandemia?

É claro que o vídeo viralizou, mas o que quem compartilhou não sabia é que a história está embasada em diversas informações falsas e que divulgar ou compartilhar imagens de pessoas mortas é crime.

Pois bem, o primeiro indício que nos leva ao boato está nas características da mensagem, que é vaga, alarmista e não cita datas e fontes confiáveis. E tem mais! A história segue o enredo de diversos boatos que tentam “embasar” a tese de que as estatísticas de mortes por Covid-19 estão “infladas”, como aconteceu na história de que a TV portuguesa desmentiu a farsa da pandemia, Major Olímpio morreu de AVC e que o borracheiro morreu de acidente mas foi dado como morto pela Covid-19.

Mais uma lida no texto e outro detalhe chama atenção: toda argumentação do sujeito está baseada em informações falsas. A primeira está na afirmação de que há um tratamento precoce contra a Covid-19. Como já explicamos, não há comprovação científica de que o tratamento precoce contra a Covid-19 realmente funcione. Isso porque vários estudos já mostraram que os medicamentos utilizados no chamado “Kit Covid”, que inclui medicamentos como cloroquina e ivermectina, não possuem eficácia comprovada no tratamento, cura e prevenção da doença.

Inclusive, diversos órgãos de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), divulgaram recomendações para evitar o uso do fármaco em casos da doença, devido à “pouca ou nenhuma redução na mortalidade de pacientes com COVID-19 hospitalizados quando comparados ao tratamento padrão”.

A segunda está na de que “estão inflando o número de mortes por Covid-19 no Brasil”. Isso porque as chances de ter subnotificação é bem maior do que supernotificação. A explicação está na falta de testes e monitoramento adequado da doença, como explica o mestre e doutor em epidemiologia e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Paulo Petry, nesta matéria do Jornal Nexo.

Dito isso, saiba que diferente do que é narrado no vídeo não se trata de um homem e sim de uma mulher. A paciente, que aparece no vídeo, foi internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Cidade Operária, em São Luís, no Maranhão. Nesta matéria do Fato ou Fake, do G1, a Secretaria Estadual de Saúde explica que a paciente “faleceu em decorrência de Síndrome Respiratória Aguda Grave por Covid-19 em 9 de março de 2021”.

Mas, afinal, o que explica o movimento no braço da paciente? Na mesma matéria, o infectologista Renato Kfouri explica que o movimento do braço registrado no vídeo é um movimento normal de gravidade. De acordo com o infectologista, os braços apenas escorregam e que isso é característica de um corpo com sinais de óbito.

Resumindo: não é verdade que um homem foi ensacado vivo e dado como morto pela Covid-19 para inflar os números. Primeiro porque não era um homem, segundo porque não houve fraude em seu prontuário, e não existe tratamento precoce (infelizmente). Ou seja, é tudo #boato e uma tremenda falta de respeito com quem já perdeu familiares e entes queridos para o coronavírus.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3tP2fIR
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy