Dipirona da Venezuela está contaminada com vírus mortal #boato

Boato – Áudio no WhatsApp aponta que remédio Dipirona da Venezuela está contaminada com um vírus mortal que causa manchas na pele.

Há vezes que nós, do Boatos.org, sentimos que o nosso trabalho de checagem nada mais é do que enxugar gelo. Falamos isso porque, em alguns casos, boatos que já foram desmentidos voltam a circular graças a pequenas modificações. O caso de hoje é um bom exemplo disso.

Em 2017, desmentimos uma história que circulava em países lusófonos africanos apontando que o paracetamol vindo de Angola estaria infectado com o vírus Machupo. Fizemos isso em texto e no vídeo que pode ser visto abaixo.

No mesmo ano, um “jênio” resolveu “transpor” a história para o Brasil e publicar em um blog de fake News. Em vez de Angola, ele falou em Venezuela. Em vez de machupo,  ele falou em vírus marburg. Mais uma vez, desmentimos em vídeo e em texto.

Em 2018, o texto, igualzinho ao anterior, começou a viralizar em forma de mensagem no Whatsapp e com a foto de uma criança doente e com uma embalagem de “Dipimed”. Novamente,  desmentimos o caso (dessa vez só em texto).

Achávamos que tudo havia acabado até que, em 2019, a mesma história circulou por meio de um áudio de Whatsapp e com a ajuda de uma imagem de uma mulher cheia de manchas no corpo. Leia a transcrição do áudio.

IMPORTANTE!! DIVULGUE ANTES QUE O GOVERNO TIRE ESSE AVISO DE CIRCULAÇÃO! Novo dipirona importado da Venezuela para o Brasil contêm vírus! Rádio Nacional de Venezuela: AVISO URGENTE!!! Cuidado NÃO TOME o NOVO DIPIRONA que vem escrito S/500. É um novo dipirona importado da Venezuela , muito branco e brilhante, os médicos provam que contêm vírus “Marburg”, considerado um dos vírus mais perigosos do mundo. E com alta taxa de mortalidade.

*ALERTE SUA FAMÍLIA E SEUS AMIGOS!*‼ Por favor partilha esta mensagem, para todas as pessoas e familiares. E salve vida das mesmas….. Eu fiz a minha parte, agora é a sua Vez… lembre-se que Deus ajuda quem se ajuda fiquem atentos irmãos.. #REPASSANDO

Dipirona da Venezuela está contaminada com vírus mortal?

Se você chegou até essa parte do texto e assistiu aos vídeos acima já deve saber que o tal anúncio é, além de velho, falso.

Não existe nada de Dipirona infectada da Venezuela. As principais provas disso estão na falta de notícias em fontes confiáveis sobre o assunto (se a denúncia fosse real, já teria virado um escândalo), o histórico da farsa e a fonte que inspirou o “locutor” do áudio (um site de fake news).

Além disso, há um fator lógico no caso: como falamos nos vídeos e nos textos do passado, não há como um vírus sobreviver em um comprimido. E, por fim, a tal Dipirona citada (S/500) não existe.

É importante citar que a própria Anvisa já desmentiu a informação. Em comunicado, disse o seguinte: “A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirma que a notícia que está circulando nas redes sociais sobre a dipirona importada da Venezuela conter o vírus “Marbug” é falsa. Por favor, não compartilhe esta informação.”

Só por desencargo, resolvemos buscar pela foto da mulher com as manchas do corpo. Como imaginávamos, nada tem a ver com Dipirona contaminada ou com Venezuela.

Resumindo: a história que aponta que há uma Dipirona da Venezuela infectada com um vírus mortal era falsa em 2017, continuou sendo falsa em 2018, continua sendo falsa em 2019 e nos arriscamos a dizer que continuará sendo falsa em 2020.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)