China comprou vacina de empresa sueca porque vacina testada em São Paulo não funciona #boato

Boato – China comprou vacina Astra Sêneca, fabricada na Suécia, porque vacina chinesa testada em São Paulo não é eficaz. 

A corrida pela vacina contra a Covid-19 está a todo vapor! São vários estudos em fase avançada e que já mostraram bons resultados. É como diz aquele ditado: tão deixando a gente sonhar.

Algumas pesquisas estão apresentando resultados e testes tão consistentes que outros países já fecharam acordos para a produção da vacina em questão. É o caso da “vacina de Oxford”. Depois do Brasil participar de testes do estudo e fechar um acordo para a produção da vacina no país, foi a vez de um laboratório da China anunciar a mesma decisão. O laboratório chinês acertou um acordo de produção de 100 milhões de doses da “vacina de Oxford”.

A partir daí, um montão de informações falsas começaram a circular na internet. Uma, em particular, fez bastante sucesso nas redes sociais. De acordo com uma publicação, a decisão do laboratório chinês em fechar um acordo para a produção da “vacina de Oxford” seria a prova de que a “vacina chinesa” (a CoronaVac, que está em testes avançados em São Paulo) não funciona. Ainda segundo a publicação, a vacina, na verdade, seria produzida na Suécia. Confira:

Versão 1: “Deixa-me ver se eu entendi, a China compra vacina produzida na Suécia pra imunizar o povo deles, e vende pra são Paulo uma vacina produzida em laboratórios militares chineses. Tem algo nessa equação que eu não consigo entender”. Versão 2: “Se a China fechou acordo para adquirir a vacina da sueca Astra Sêneca, então a vacina fabricada pela própria China NÃO funciona? O que estão aplicando nos brasileiros?”.

China comprou vacina de empresa sueca porque vacina testada em São Paulo não funciona?

A informação caiu como uma bomba nas redes sociais e deixou muita gente alarmada. Mas será que essa história de que a vacina chinesa não funciona, porque a China fechou um acordo de produção da vacina produzida na Suécia é real? A resposta é não!

Vamos aos fatos! Não precisa de muito para perceber que a publicação segue aquele velho roteiro de fake news na internet. Ela é vaga, bastante alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis. A publicação até chega a usar um print de uma reportagem sobre o assunto, mas a matéria não menciona a falta de eficácia da vacina chinesa.

Vale lembrar que, desde que a pandemia da Covid-19 começou, a China tem sido atacada de todas as formas, especialmente, em formato de fake news. Informações falsas relacionadas à vacina chinesa CoronaVac não são novidade na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que a empresa chinesa que fabrica a vacina contra a Covid-19 vendia vacinas falsas. Também a que indicava que a vacina chinesa testada em São Paulo (SP) não foi aplicada em voluntária e tudo não passava de uma farsa e, por fim, a que apontava que o governador de São Paulo, João Doria, teria tomado a vacina chinesa contra a Covid-19 e, mesmo assim, ficou doente.

Basta uma rápida leitura para perceber que alguns detalhes não fazem o menor sentido. Atualmente, estamos em uma espécie de “corrida” por uma vacina. Seis delas já estão na fase três dos testes, ou seja, em estágio avançado. Três dessas vacinas são chinesas (entre elas, a CoronaVac) e uma é inglesa (a ChAdOx1 nCoV-19, também conhecida como “vacina de Oxford”). Nesse cenário, apostar as fichas em apenas uma vacina (que ninguém sabe se terá o melhor desempenho) é insano e irresponsável. Apostar as fichas em apenas uma possibilidade diminui, completamente, as chances de cura. O próprio Brasil é um exemplo. Os governos federal e estaduais estão investindo em diferentes opções de imunização, para garantir que a cura chegue ao nosso país.

Além disso, a desenvolvedora da vacina CoronaVac não é a mesma empresa que fez o acordo de produção da vacina ChAdOx1 nCoV-19. É importante ressaltar que as vacinas são bastante diferentes. A vacina CoronaVac é produzida pela empresa chinesa Sinovac e usa o vírus inativo do SARS-CoV-2 para gerar uma resposta imune do organismo. Esse tipo de vacina é considerada a mais segura e a tecnologia já é utilizada em outras vacinas, como da Influenza e algumas hepatites. A empresa Sinovac é conhecida mundialmente por ter sido o primeiro laboratório a desenvolver uma vacina contra a hepatite A e a H1N1.

Já a vacina ChAdOx1 nCoV-19, desenvolvida por um laboratório ligado à Universidade de Oxford, teve suas doses de testes fabricadas pela empresa italiana Advent-IRBM. Caso ela funcione, será distribuída pela empresa sueco-britânica AstraZeneca. A vacina ChAdOx1 nCoV-19 usa uma tecnologia mais atual, utilizando um adenovírus de chimpanzés que contém a proteína Spike (a qual o vírus SARS-CoV-2 usa para se ligar e infectar as células humanas). Dessa forma, não existe qualquer tipo de ação no sentido de abrir mão de algo para se investir em outra coisa. Até porque sequer as vacinas partem da mesma tecnologia.

O terceiro argumento é que o acordo de produção prevê 200 milhões de doses (mas, até o momento, o laboratório chinês confirmou somente 100 milhões) e a China possui mais de 1,3 bilhão de pessoas. Ou seja, mesmo que a vacina ChAdOx1 nCoV-19 funcione, a China ainda vai precisar de muitas (mas muitas mesmo!) outras doses.

Por fim, além da acusação ser esdrúxula, o fato é que não existem provas de que a vacina CoronaVac não funciona. Muito pelo contrário, estudos têm indicado um bom desempenho na fase de testes. Nesse sentido, o ônus da prova é de quem acusa e já que não temos provas em nenhuma das publicações, acho que já dá para entender que elas não passam de boato.

Em resumo: a história que diz que a vacina chinesa contra a Covid-19 não funciona, porque a China comprou doses da vacina de Oxford é falsa! A história não faz o menor sentido e, pior, não apresenta nenhuma prova. Vale ressaltar que a empresa que fabrica a vacina chinesa CoronaVac não foi a mesma que fechou um acordo de produção da vacina de Oxford. Dessa forma, não existe exclusão de vacinas, mas sim a tentativa de garantia de uma cura e vacinação para a maior parte da população. Isso sem falar no número da população da China que é extremamente grande e, com isso, vai precisar de muitas doses. Ou seja, a história não passa de balela. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Faip9f
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK