Apenas 6% das mortes de pessoas com coronavírus foram, de fato, por Covid-19, mostra pesquisa #boato

Boato – Apenas 6% das mortes de pessoas com coronavírus foram, de fato, por Covid-19, mostrou uma pesquisa norte-americana. O restante dos óbitos se deu por conta de outras comorbidades, como doenças respiratórias ou cardíacas, diabetes ou obesidade.

Um ano quase que perdido por conta da pandemia do novo coronavírus. Desde fevereiro, quando surgiu o primeiro caso aqui no Brasil, nos deparamos com um modo vida totalmente novo para conseguirmos conter o avanço do vírus e evitar um número monstruoso de mortes no país. Por um outro lado, outros vêm demonstrando pouca ou nenhuma empatia em relação ao aumento de óbitos em decorrência da Covid-19, desrespeitando todas as orientações das autoridades de saúde e, ainda, ajudando a espalhar boatos que tentam minimizar as mais de 120 mil vidas perdidas para a doença só aqui no Brasil.

É o nosso caso de hoje. Uma publicação que está sendo compartilhada nas redes sociais, especialmente no Facebook e Twitter, dá conta de que, supostamente, apenas 6% das mortes de pessoas com coronavírus foram, de fato, por Covid-19. A informação seria baseada em uma suposta pesquisa norte-americana, que teria indicado que a maioria das mortes ditas pelo vírus se deu, na realidade, por conta de outras comorbidades, tais como doenças respiratórias (como pneumonia), obesidade ou diabetes, por exemplo. Confira, a seguir, o vídeo que está sendo compartilhado com a informação e o texto original da publicação:

Versão 1: Pesquisa norte-americana mostra que apenas 6% das mortes foram POR coronavírus de fato. O restante sendo COM o covid (comorbidades). Vejam! Versão 2: Pesquisa norte-americana mostra que apenas 6% das mortes foram por CORONAVÍRUS efetivamente. Sendo a pesquisa correta, das 120.828 mortes anunciadas no Brasil, aproximadamente 7.250 são, realmente, devido ao covid-19!!!

Apenas 6% das mortes de pessoas com coronavírus foram, de fato, por Covid-19?

A informação bombou nas redes sociais, principalmente no Twitter, Facebook e Instagram, e rendeu muito debate entre os internautas em relação à supernotificação ou não de mortes em decorrência do vírus.  No entanto, o que foi dito na tal publicação não procede.

Para começar, não é de agora que vemos surgir na internet fakes que tentam minimizar as mortes por Covid-19. Isso vem acontecendo desde o início da pandemia e, inclusive, algumas dessas notícias inventadas ou distorcidas nós já desmentimos aqui no Boatos.org, como aquela história absurda, por exemplo, que dizia que o Brasil não teria 100 mil mortes porque médicos estão oferecendo enterro de graça para quem coloca Covid-19 no atestado de óbito; outra que estava espalhando que, mesmo com a pandemia, julho de 2020 teve menos mortes do que julho de 2019 no Brasil; e, por fim, o boato que apontou que o Portal da Transparência do Registro Civil teria mostrado que não há pandemia de Covid-19 no país.

E assim como nestes casos, ao buscarmos pelo estudo norte-americano citado, encontramos um dado dos Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDCs), e não uma “pesquisa”, como aponta a publicação. Foi a partir dele que grupos conspiracionistas nos Estados Unidos passaram a compartilhar a informação sobre “6% das mortes”, que foi até retuitada pelo presidente Donald Trump e, posteriormente, banida pelo Twitter).

No entanto, não é verdade que os CDCs disseram que “apenas 6% das mortes foram por Covid-19”. A informação foi distorcida para virar boato na internet e até virou pauta em veículos de mídia nos EUA, como nos sites do Miami Herald, da TV Fox de Las Vegas e da TV CBS.

Na realidade, os dados dos CDCs apontaram que 6% das pessoas que morreram de Covid-19 não tinham outras comorbidades apontadas na certidão de óbito do falecido. Isto significa que os outros 94% das pessoas que morreram foram listados como tendo pelo menos uma comorbidade. Em nenhum momento, foi dito que a morte da pessoa foi causada por “diabetes”, “obesidade”, “velhice” ou “pressão alta”. A morte foi, sim causada por Covid-19. O fator de risco “apenas contribuiu” com a morte e não a causou.

Vamos fazer um paralelo: se uma pessoa que tenha problemas respiratórios (asma, bronquite etc.) pega uma pneumonia bacteriana e morre. Qual é a causa da morte? Pneumonia ou o problema respiratório? Pneumonia, certo? Se uma pessoa tem pressão alta e sofre um infarto fulminante. Qual é a causa da morte? Infarto ou pressão alta? Infarto, certo? Por que com Covid-19 seria diferente?

Resumindo: A publicação que dá conta de que apenas 6% das mortes de pessoas por coronavírus foram, de fato, por Covid-19, não é verdadeira. Essa informação foi distorcida de um dado divulgado pelos CDC norte-americano, que dizia, na verdade, que 6% das mortes foram de pessoas sem qualquer comorbidade. Isso é muito diferente do que falar que o coronavírus não foi a causa da morte dessas pessoas ou mesmo que elas “iriam morrer mesmo”.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)