Portal da Transparência do Registro Civil mostra que não há pandemia de Covid-19 no Brasil #boato

Boato – Números que estão no Portal da Transparência do Registro Civil mostram que não há pandemia da Covid-19 no Brasil ao comparar óbitos de 2020 com de outros anos.

Infelizmente, o Brasil tem quebrado, dia após dia, recordes no número de óbitos registrados por Covid-19. No dia 4 de junho de 2020 chegamos à triste marca de mais de uma morte por minuto. Mesmo assim, há ainda gente que insiste que a “situação não é tão ruim assim”.

Publicações recentes usam dados do Portal da Transparência do Registro Civil para embasar a tese de que a Covid-19 não é tão grave assim. A justificativa estaria em dois gráficos. Um deles é o que mostra o registro recente de mortes por Covid-19 (normalmente, menores do que os números anunciados pelo governo) e o comparativo no número de óbitos em março, abril e maio de 2020 com outros anos (2018 e 2019). Leia algumas das mensagens que circulam online:

Versão 1: Não caia nas fake-news a imprensa, que quer calar o nosso direito de acesso à verdade. Veja por vc mesmo a situação de mortes no Brasil. Sim, todos morrem, e isso não deveria ser novidade, não é mesmo? Mas querem instilar o terror em vc e dar o golpe contra sua liberdade. PORTAL DA TRANSPARÊNCIA SOBRE ÓBITOS NO BRASIL Obs.: Esse “portal de transparência” é digno de respeito? Alguém conhece a forma de compilação de dados?

Versão 2: Comparei os números de mortes em Abril nos anos de 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020. NÃO HÁ grande diferença, pelas informações constantes no site. Estranho… Pensei que a pandemia traria um aumento absurdo nos numeros de mortes… Para pensar…

Versão 3: Para quem se espanta com as matérias fúnebres e alarmistas do Jornal Nacional, dizendo que não tem mais onde enterrar os corpos, pergunto: onde enterraram em 2018 e 2019? (Fonte: Portal da transparência do Registro Cívil) Tem alguma coisa errada ou “tô de bobera”

Portal da Transparência do Registro Civil mostra que não há pandemia de Covid-19 no Brasil?

Como vocês viram as manifestações se espalharam com muita força por aí. Mas será mesmo que os números apresentados no Portal da Transparência do Registro Civil são reais? A resposta é não. Neste caso, vamos fazer a explicação em tópicos para explicar os motivos que apontam que as informações no Portal da Transparência do Registro Civil não podem ser utilizados para classificar a Covid-19 como pandemia ou, sei lá, “gripezinha”.

1) Diferença entre casos “no último dia”: vamos começar com o mais simples de explicar. Há muitas pessoas que estão apontando que os números de registro de mortes por Covid-19 no Portal da Transparência de Registro Civil é bem menor do que o número de casos anunciados. Em 04/06, por exemplo, o Brasil registrou 1473 mortes pela doença enquanto o site mostra 308.

Essa diferença não tem nada a ver, como muita gente aponta, com “supernotificação de casos de Covid-19”. Na realidade, a diferença é resultado do prazo para o registro ser feito, enviado e colocado no site (até 14 dias) e também da demora, em alguns casos, da confirmação de morte por Covid-19 (em muitos casos, é preciso fazer um exame no qual o resultado sai apenas após a morte).

É importante citar que o boletim do Ministério da Saúde sobre mortes por Covid-19 não trata das mortes “nas últimas 24h” e sim nas “confirmações de mortes por Covid-19 nas últimas 24h”. Esse é mais um motivo da diferença entre números do Registro Civil e dados do Ministério (se você analisar dados de fins de semana, o Registro Civil mostra mais mortes do que o número anunciado nos boletins do Ministério).

Resumindo “1”: não é possível dizer que a diferença entre mortes registradas em cartórios e anunciadas pelos Ministério da Saúde denota “supernotificação de casos”. Os dados não podem ser comparados por causa dos diferentes prazos entre o registro de mortes pelo governo e pelos cartórios.

2) Diferença entre o número de mortes entre 2020 e outros anos: algumas pessoas estão levantando a informação de que a diferença de número de mortes nos meses de março, abril e maio de 2020 com outros anos “é muito pequena” para falarmos que vivemos uma pandemia. Muitas pessoas não levaram em contra alguns fatores para fazer a comparação.

O primeiro deles também está na demora nos registros dos cartórios. Como estamos no começo de junho, os números de maio de 2020 (que, mesmo assim, mostram um crescimento no número de mortes e mostram, até o momento, 118 mil registros) precisariam de mais alguns dias para serem comparados com os de 2019 (108 mil) e 2018 (90 mil). De acordo com esse levantamento do site Poder 360, mais de 23 mil pessoas morreram por Covid-19 em maio.

O segundo, principalmente relacionados aos meses de abril e março, está no fato (que muita gente não quis enxergar) de que já é possível ver uma diferença no número de óbitos por Covid-19. O Poder 360 apontou que o Brasil teve mais de 5 mil mortes por Covid-19 em abril. Sabe de quanto é a diferença de mortes entre abril de 2020 e abril de 2019? 6 mil mortes.

Resumindo 2: Ao contrário do que apontam textos que circulam online, é possível ver o impacto das mortes por Covid-19 nos meses de março e abril nos registros de óbitos no Brasil. Quando os dados dos cartórios de maio forem consolidados também será possível ver essa diferença.

3) Existe pandemia e poderia ser muito pior: muita gente está reclamando (não sabemos por que) que não há “tantas mortes” por Covid-19 no Brasil e que por isso não “há pandemia”. Além de ser um pensamento completamente equivocado (quem considerar mais de 30 mil mortes “pouco” precisa rever seus conceitos), ele não leva em conta de que “poderia ser muito pior”.

Se tivéssemos seguido, por exemplo, a orientação do presidente Jair Bolsonaro naquele fatídico pronunciamento de 24 de março, o Brasil teria um número muito maior de casos e mortes por Covid-19. Estimativas do início de maio mostram que 40 mil mortes foram evitadas na época por causa da quarentena no estado de São Paulo. Em Belo Horizonte, o número de mortes seria “quadruplicado sem quarentena”.

Resumindo 3: mesmo com todas medidas de isolamento social, ainda tivemos um aumento no número de mortes no Brasil. Se não houvesse quarentena, aí os negacionistas (que, por sinal, não defendem o isolamento) veriam números piores ainda.

Só para passar a régua: toda a retórica que aponta que os cartórios mostram que não há “pandemia no Brasil” caei por terra ao levarmos em conta o prazo estipulado para que os dados sejam colocados no Portal da Transparência do Registro Civil, a diferença (que já é possível de ser vista) no número de óbitos em março e abril e o fato que poderíamos estar em situação pior. Então é isso: se puder, fique em casa e se só tiver bobagem para falar, fique quieto.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3df26qp

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)