STF virou réu e vídeo que mostra abertura de processo foi censurado do Youtube #boato

Boato – Vídeo mostra que ministros do STF viraram réu em um processo. Material teria sido censurado do YouTube e escondido pela oposição.

Nas últimas semanas, os nomes do Supremo Tribunal Federal (STF) e de seus ministros estão dando o que falar. Tanto em Brasília quanto nas redes sociais. Isso porque a instituição máxima de Justiça do país (e seus representantes) têm sofrido diversos ataques com pedidos de fechamento do STF.

No dia 13 de junho de 2020, por exemplo, um grupo bolsonaristas disparou fogos de artifício contra o prédio do Supremo Tribunal Federal, revoltando os ministros da Justiça. Um dos homens que participou do evento (e que já havia se envolvido em outros tumultos) foi preso.

Apesar disso, os ataques contra o Supremo Tribunal Federal (STF) continuam. Nos últimos dias, uma história que está circulando nas redes sociais afirma que o STF se tornou réu em um processo. De acordo com o vídeo que acompanha a publicação, os ministros do STF teriam abusado do poder para constranger críticos da instituição. Ainda segundo o homem que aparece no vídeo, os ministros do STF teriam ultrapassado a linha da democracia e, por isso, terão que responder por seus atos. Confira:

Versão 1: “O STF VIROU RÉU, DIVULGUEM AO MÁXIMO! ANTES QUE OS DITADORES MANDEM RETIRAR. LUTE!!!”. Versão 2: “MUITO IMPORTANTE – O STF VIRA RÉU* – Divulque *ao máximo*; pois, STF mandou retirar o vídeo, já saiu do YouTube. Mas escapou essa cópia para compartilharmos adoidado”.

STF virou réu e vídeo que mostra abertura de processo foi censurado do Youtube?

A informação viralizou nas redes sociais e começou a ser compartilhada diversas vezes, especialmente entre aqueles que não concordam com as ações do STF. Mas será que essa história de que o STF teria virado réu e que o vídeo que mostraria tudo teria sido censurado do YouTube é real? A resposta é não!

Vamos aos fatos! Para começo de história, a publicação apresenta diversas características de fake news na internet. Ela é vaga, bastante alarmista, possui erros de português, pedido de compartilhamento e não cita fontes confiáveis.

Além disso, temos um histórico extenso de informações falsas sobre vídeos, supostamente, retirados do YouTube. A equipe do Boatos.org já desmentiu diversas delas, como a que dizia que o Congresso e o Senado teriam censurado um vídeo da TV Tarobá sobre políticos no Brasil. Também a que dizia que o YouTube teria censurado um vídeo que mostraria um tomataço em frente ao STF e, por fim, a que indicava que o Congresso teria pedido ao YouTube para censurar a apresentação das cantoras Lorena e Rafaela que teriam criticado políticos no Bom Dia Brasil. Temos até um vídeo falando no assunto:

Para completar, o STF não se tornou réu, assim como aponta a mensagem, e o vídeo não é recente. As imagens foram feitas após a decisão do STF de retirar do ar a reportagem “O amigo do amigo de meu pai”, publicada pela revista Crusoé e pelo site O Antagonista, em 2019.

Após a decisão, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) reagiu e disse que apresentaria uma denúncia de crime de responsabilidade contra os ministros Alexandre de Moraes e Dias Toffoli, autores do despacho que proibia a Crusoé e O Antagonista de continuarem veiculando a reportagem em questão. Na época, diversos senadores endossaram a denúncia de crime de responsabilidade.

Entretanto, o pedido de impeachment apresentado pelo senador Alessandro Vieira acabou protocolado ainda no Senado. No final das contas, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que o pedido não era prioridade para a Casa e optou por não dar andamento ao processo. Como não houve andamento do processo e não existem acusações contra o STF na Justiça, o caso acabou arquivado e o STF não se tornou réu.

Vale destacar que esse tipo de pedido de impeachment é relativamente comum (ou, pelo menos, não é incomum) no Congresso. Em 2020, o ano começou com 17 pedidos de impeachment, protocolados no Senado Federal, contra ministros do STF. Os processos seguem parados.

Além disso, os pedidos de impeachment não são exclusividade do Supremo Tribunal Federal. Até o dia 8 de junho de 2020, o presidente Jair Bolsonaro já era alvo de 48 pedidos de impeachment na Câmara dos Deputados que, vale repetir, seguem parados. Ou seja, ninguém é réu apenas por um pedido de impeachment. Para isso ocorrer, o pedido precisa ter andamento e o processo ser instaurado.

Por fim, assim como nos outros casos já citados, o vídeo não foi simplesmente censurado. Uma busca rápida no YouTube mostra que o vídeo pode ser visualizado por lá.

Em resumo: a história que diz que o STF se tornou réu e que o vídeo que mostraria a situação foi censurado pelo YouTube é falsa! Nem o STF se tornou réu, muito menos o YouTube censurou o vídeo. Na realidade, as imagens foram gravadas em 2019, após senadores protocolarem um pedido de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Dias Toffoli por conta de um despacho que proibia a revista Crusoé e o site O Antagonista de veicularem uma reportagem definida como fake news. No final das contas, o processo não foi para frente e acabou arquivado. Quanto ao vídeo, bem, ele continua disponível em diversas plataformas online. Ou seja, a história não passa de balela. Não compartilhe!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2CZjkqO
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)