Homem deu soco e beliscão em Bolsonaro após ataque de Adelio #boato

Boato – Vídeo mostra homem dando um beliscão e um soco no baço de Jair Bolsonaro após candidato do PSL ter sido atacado em Juiz de Fora (MG). Foi um jornalista do PT.

Desde quando o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) levou uma facada em Juiz de Fora (MG) o que não tem faltado na internet é “Sherlock Holmes” fazendo denúncia (pena que as pessoas não se esmerem tanto para desmentir notícias falsas). Para além das teses mais, digamos, óbvias (“foi forjado por causa disso”, “foi o PT por causa daquilo”), pessoas estão sendo acusadas diretamente.

A última história que circula na internet aponta que um homem que estava próximo a Bolsonaro tinha como plano “aumentar os ferimentos” do candidato. De acordo com mensagens que estavam acompanhadas de vídeos em slow motion, esse homem atacou em Bolsonaro. Veja algumas mensagens que circularam online:

Versão 1: SOBRE O CASO DO BOLSONARO Esse cara deu um soco no baço e um puxão/beliscão para agravar o ferimento. Compartilhem até que seja identificado. Covardia desse merda bater em “cachorro morto”. Desumano. Versão 2: ESSE VAGABUNDO DEU UM SOCO NO BOLSONARO DEPOIS DELE FERIDO, OLHA O VÍDEO!

A história não parou por aí. Logo após o vídeo acusatório viralizar na internet, alguns “jênios” até “descobriram” quem seria a pessoa na filmagem. De acordo com mensagens e postagens em blogs, seria Fábio Luiz d’Urso, um “jornalista do PT”. Leia uma dessas mensagens:

Identificado o agressor de camisa marrom no vídeo que deu um soco no Jair #Bolsonaro quando estavam colocando-o no carro para levá-lo para o hospital em Juiz de Fora – MG, trata-se do Jornalista FABIO LUIZ D’URSO do PT Ele já mudou seu perfil no Facebook

Vídeo mostra que homem deu soco e beliscão em Bolsonaro após ataque de Adelio?

Como toda boa (quer dizer, péssima) acusação que circula na internet, o nome do jornalista Fábio Luiz d’Urso e a tese (com ou sem o nome dele) de que um “comparsa” tentou ferir Bolsonaro se espalharam na internet. Só tem um detalhe: a tese (com ou sem jornalista) é falsa. Vamos aos fatos.

Para começar, essa acusação (assim como outras acusações que viralizaram nas redes sociais) segue aquele velho roteiro da boataria: vaga, alarmista, com erros de ortografia, pedido de compartilhamento e sem citar fontes confiáveis. Antes que você pergunte, saiba que “vídeo do zapzap” não é uma fonte confiável.

Junte isso a uma questão lógica que, por si só, não desmente a história, mas ajuda a revelar a farsa: qual é a lógica de uma pessoa querer matar alguém com “beliscões e socos” (que, se fossem socos mesmo, seriam bem fracos)? Você poderia me falar que “seria para piorar a hemorragia interna”. Aí eu te “re-pergunto”: como que iriam adivinhar que o ataque geraria uma hemorragia interna?

Antes que a sua “discussão mental” com o autor desse texto se acirre, eu te informo que, para enterrar a tese, a pessoa do vídeo foi identificada e não tem nada a ver com terrorista. Trata-se de um agente da Polícia Federal que estava prestando segurança a Bolsonaro. A informação foi dada pela própria PF e reforçada pelo filho do candidato, o deputado federal (e candidato a reeleição) Eduardo Bolsonaro (PSL/SP). Leia:

Eduardo Bolsonaro: O homem que supostamente deu um soco em Bolsonaro é um Policial Federal. Não foi um soco, sua mão estava mole, ele estava direcionando o corpo de JB para entrar no carro. A mão está fechada, mas na hora foi desse jeito, sem querer mesmo, podem acreditar. Fiquem tranquilos. Polícia Federal: A PF esclarece que as postagens a seguir não configuram fatos verdadeiros.

Resumindo: a história que aponta que um homem atingiu Jair Bolsonaro com socos e beliscões após candidato ser atacado é falsa. Também é falsa a informação que aponta que se trata de um “jornalista do PT”. A pessoa do vídeo é um agente da Polícia Federal e, de fato, ele só queria ajudar naquele momento.

PS: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, no Facebook e WhatsApp no telefone (61) 991779164.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet