Chefes das Forças Armadas iriam fazer intervenção militar de esquerda para tirar Bolsonaro #boato

Boato – Chefes das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) planejaram intervenção militar para prender Bolsonaro e entregar o governo para a esquerda.

Se há um assunto que volta e meia vem à tona nas páginas do Boatos.org é a intervenção militar. Depois de desmentir o áudio da ministra Damares Alves cobrando dos quartéis intervenção militar, chegamos aqui, mais uma vez, para explicar uma história envolvendo pedidos de intervenção militar.

Circula no Facebook e WhatsApp a informação que os chefes das Forças Armadas iriam fazer uma “intervenção militar de esquerda” para tirar Bolsonaro. O texto pede que os apoiadores de Bolsonaro não apoiem a intervenção militar, pois se trata de uma armadilha. Junto à publicação, circula um vídeo onde o sujeito diz que “estão esperando uma intervenção militar para prender o Bolsonaro” e que o presidente quando descobriu “mandou todo mundo embora”. Leia o que diz a mensagem:

Pessoal, é o comerciante que reuniu meio mundo de gente pra ir pra Brasília pedir a Bolsonaro intervenção militar. Bolsonaro o recebeu e depois da audiência ele, postou um vídeo desesperado, pedindo pra não pedirmos intervenção pois era uma armadilha. E era mesmo! Os 3 generais das forças armadas eram melancias e só estavam esperando hoje nós irmos pedir a intervenção para prender Bolsonaro e entregar tudo pra esquerda. Bolsonaro na segunda demitiu o general que talvez estivesse liderando isso. Na madrugada de segunda pra terça, Azevedo, que foi demitido, reuniu-se com os outros 3, tramando pra prender nosso presidente. Aí, ontem a tarde, Bolsonaro deu um pontapé nos 3 pois o plano era prender Bolsonaro no início do dia de hoje. Graças a.Deus mais uma vez, Deus. guiou. nosso Presidente. Abaixo, o vídeo do Jorge, depois da queda dos generais, explicando tudo. Bolsonaro nomeou 32 coronéis a general. Agora todos estão alinhados com ele. Vejam o vídeo abaixo.

Chefes das Forças Armadas iriam fazer intervenção militar de esquerda para tirar Bolsonaro?

A mensagem fez muita gente acreditar que o presidente Jair Bolsonaro estava prestes a sofrer um golpe das Forças Armadas em conluio com a “esquerda” (seja lá o que isso signifique). Porém, o golpe está na própria informação que, além de falsa, tem como fonte alguém não tão confiável.

Os primeiros indícios do boato estão nas características da mensagem, que é vaga, alarmista e não cita datas e fontes confiáveis. Mas não é só isso. Ao buscar pela fonte da informação, chegamos ao mesmo sujeito que afirmou que o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, assinou o decreto 40.798 que determinava o confisco dos bens de quem descumprir ou criticar as medidas de isolamento. Na época, explicamos que o Decreto 40.798 não falava em confisco de propriedade privada e que há, sim, previsão de punição, mas passa longe de confisco de bens.

Pois bem, já provamos que o sujeito do vídeo não é lá muito confiável. Mas a história não para por aí. A afirmação de que há um plano de “intervenção militar sem Bolsonaro” não faz o menor sentido. Isso porque os próprios membros das forças armadas já afirmaram que não apoiam uma intervenção.

Inclusive, os comandantes das Forças Armadas têm reiterado a interlocutores que não apoiam o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e nem a intervenção militar, conforme aponta o jornal Estado de Minas. Nesta matéria, o Estadão explica um dos motivos da demissão do ministro da Defesa, general Fernando Azevedo Silva. Segundo a matéria, a relação dos dois já vinha se deteriorando há meses devido à recusa do ex-ministro em garantir uma alinhamento das Forças Armadas ao governo Bolsonaro.

Nesta reportagem, o jornal Folha de São Paulo afirma que o presidente decidiu demitir o ministro da Defesa porque estava insatisfeito com o afastamento das Forças Armadas do governo. Inclusive, segundo os interlocutores do ex-ministro, esse é um dos motivos do general ter enfatizado, em sua nota de saída, que considerava ter preservado as Forças Armadas como instituições de Estado.

Resumindo: os chefes das Forças Armadas não iriam fazer intervenção militar de esquerda para tirar Bolsonaro. Isso porque, além da afirmação não fazer o menor sentido, não há provas e tampouco uma fonte confiável que confirme a tese. Quer dizer, tudo boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3tP2fIR
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy