Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > Empresária Tereza Travassos tirou a vida após ser indiciada como financiadora de “patriotas” nas manifestações golpistas #boato

Empresária Tereza Travassos tirou a vida após ser indiciada como financiadora de “patriotas” nas manifestações golpistas #boato

Empresária Tereza Travassos tirou a vida após ser indiciada como financiadora de patriotas nas manifestações golpistas, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Após ser indiciada por pagar ônibus para os “patriotas” irem até Brasília, empresária Tereza Travassos morre por suicídio, no Maranhão. 

O Janeiro Branco acabou de terminar, mas trouxe reflexões e questionamentos importantes sobre a saúde mental, os transtornos e as doenças mentais. Debatendo a importância do tratamento e o fim do tabu em torno das medicações psiquiátricas e das doenças, o Janeiro Branco promove conscientização.

Além disso, as ações de compreensão e informação também falam sobre a importância das mudanças de hábito como parte do tratamento. Infelizmente, o estilo de vida agitado e determinadas condições, como ansiedade e stress, podem acabar intensificando ainda mais o sofrimento mental.

E de acordo com uma história que está sendo compartilhada nas redes sociais, a empresária Tereza Travassos, filha do ex-prefeito de Matinha (MA), teria falecido por suicídio, em São Luís (MA), em janeiro de 2023. Segundo as publicações, o fato ocorreu após Tereza ter sido indiciada por pagar ônibus para os “patriotas” irem até Brasília. Confira:

Vídeo: é falso que a Anvisa esteja barrando entrada de remédios no RS

“A empresária Tereza Travassos, sobrinha da ex-procur-geral de Jus. Fátima Travassos, suicidou-se, jogando-se do 10° andar do prédio onde morava. Se for por causa das perseguições, A CULPA É DOS GENs. TRAIRAS. Ela foi indiciada por ajudar c/ ônibus p/ os patriotas irem à Brasília”.

Empresária Tereza Travassos tirou a vida após ser indiciada como financiadora de “patriotas” nas manifestações golpistas?

A informação viralizou nas redes sociais, em especial, no Twitter e revoltou muitos bolsonaristas. Apesar disso, a história não é totalmente verdadeira. A explicação fica por conta da origem da história e da falta de provas.

Para começo de história, toda a situação é bastante triste e as pessoas não têm o direito de criar e divulgar teorias sobre a morte da empresária. Além de totalmente indelicado, é bastante cruel. Dito isso, as mensagens apresentam caráter vago, extremamente alarmista, erros na grafia do nome da mulher (que se chama Teresa e não Tereza) e não cita fontes confiáveis. Como já explicamos por aqui, essas são características recorrentes em fake news na internet.

Além disso, histórias falsas sobre supostas tragédias com “patriotas” não são novidade por aqui. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que a Dona Nilma Marson teria morrido no “campo de concentração” da Polícia Federal, em Brasília (DF). Também a que indicava que o homem que quebrou o relógio do Palácio do Planalto teria sido morto, em queima de arquivo, pela esquerda e, por fim, a que apontava que um jovem teria morrido após cortar os pulsos para não ser preso pela PF, em Brasília (DF).

Se isso não bastasse, o suicídio não pode ser enquadrado em caixinhas prontas, justamente por se tratar de um caso complexo que envolve sempre mais de um motivo e gera um intenso sofrimento mental. Além disso, toda a história é absurda. Não existe respeito com a vítima (que teve os seus últimos momentos de vida filmados e divulgados) e nem com sua família.

Não cabe aqui discutirmos o que levou a morte por suicídio da empresária Teresa Travassos (não só por ética e empatia, mas também por respeito à família que, talvez, ainda nem saiba o que Teresa estava enfrentando de fato). Porém, não é verdade que ela tenha sido vítima de suicídio porque estava sendo indiciada por pagar ônibus para os “patriotas” participaram das manifestações golpistas, em Brasília (DF). E a resposta é simples: Teresa não consta na lista de indiciados da Polícia Federal e da Advocacia-Geral da União (AGU).

Em resumo: a história que diz que Tereza Travassos teria morrido por suicídio após ser indiciada por pagar ônibus para “patriotas” participaram de manifestações golpistas é falsa! A história que está sendo compartilhada é absurda e não tem nenhum respeito pela vítima ou pela família dela. Além de tudo, as publicações não apresentam provas. Se isso não bastasse, o nome de Teresa não consta na lista de indiciados pela Polícia Federal e Advocacia-Geral da União (AGU). Ou seja, apenas usaram o caso de Teresa Travassos para dar continuidade à história do golpe, sem nenhum pudor ou respeito.

PS: Durante momentos difíceis ou quando nos encontramos doentes, nossa mente pode ser o nosso pior inimigo. Isso porque, nesses casos, nossa mente pode fazer relações ou indicar situações que não são reais. Portanto, quando se sentir angustiado ou sem esperanças, lembre-se que sua vida importa e que existem pessoas que podem lhe ajudar, como o Centro de Valorização da Vida (que pode ser contatado, gratuitamente para todo o Brasil, pelo telefone 188) ou as emergências psiquiátricas nos pronto socorros da sua cidade. Caso sua cidade não possua esse tipo de atendimento, você pode procurar os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) que possuem atendimento 24h. Não deixe de procurar ajuda! Sua dor merece atenção e cuidados. 

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/40erlBS
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso