Homem que quebrou relógio no Palácio do Planalto foi morto em queima de arquivo pela esquerda #boato

Boato – Já começou a queima de arquivo. O homem que foi flagrado quebrando o relógio no Palácio do Planalto foi assassinado em queima de arquivo pela esquerda porque ele era um infiltrado do MST.

Não foram poucas as vezes que falamos que algumas narrativas falsas costumam, mesmo após serem desmentidas, continuar a viralizar na internet graças a “reforços” (com informações falsas, claro). O caso de hoje remonta a destruição do relógio dado a D. João VI e que estava no Palácio do Planalto.

Outro dia, o Boatos.org desmentiu que o sujeito que destruiu o relógio (agora identificado pela polícia como Cláudio Emanoel da Silva Gomes) seria um integrante do MST identificado como “Danilo”. Mesmo assim, a história falsa ganhou um novo capítulo.

Confira também: Janja tirou foto com traficante? Saiba a verdade aqui!

Clique e siga o Boatos.org no YouTube

Um vídeo escabroso de um homem agonizando após sofrer um ferimento gravíssimo que expôs o seu coração está circulando como se fosse de uma queima de arquivo do “militante de esquerda infiltrado entre patriotas”. Não vamos colocar, por motivos óbvios, o vídeo aqui, mas leia algumas das mensagens que estão circulando online:

Versão 1: Queima de arquivo. Esquerda maldita. Mataram o suposto bolsonarista que quebrou o relogio no palacio da alvorada pois sabiam que ele ia falar Versão 2: ERA ESSE O BOLSONARISTA Q ESTAVA 1:30hs QUEBRANDO O RELÓGIO ANTES DA INVASÃO? COMO FÁCIL DESMASCARAR A ESQUERDA !

Versão 3: URGENTE O tal “bolsonarista” que apareceu na invasão quebrando o relógio valioso em Brasília recentemente, sofre tentativa de QUEIMA DE ARQUIVO, sendo encontrado em situação crítica, por algumas pessoas numa área alagada, estando quase m0rt0, muito ferido.

Homem que quebrou relógio no Palácio do Planalto foi morto em queima de arquivo porque era um infiltrado da esquerda?

Não demorou para a história se espalhar entre grupos bolsonaristas e chamar atenção em redes sociais. Porém, assim como é falsa a informação de que o homem era um “infiltrado de esquerda”, é falsa a informação que aponta que o homem acusado de realizar a depredação foi assassinado.

Além de ter quase todas características de fake news (como o caráter vago, o tom alarmista, os erros de português e a falta de citação de fontes confiáveis que comprovem a informação), as mensagens reforçam, no mínimo, duas fake news já refutadas.

Uma delas é a que aponta que o sujeito que quebrou o relógio tenha sido visto com uma camiseta do MST. A outra é a que aponta que a “quebradeira” foi feita uma hora e 30 minutos antes das manifestações golpistas (na verdade, o relógio dado a D.João VI já não marcava as horas corretamente).

Ao buscar pelo vídeo, encontramos a verdade. Na realidade, ele já circula na internet desde novembro de 2022. Na ocasião, foi noticiado que o homem havia sido atacado por uma onça em Manaus. Ou seja: nada tem a ver com as manifestações golpistas, que ocorreram apenas em janeiro de 2023.

Como falamos anteriormente, agora que o sujeito acusado de depredar o relógio foi identificado como Cláudio Emanoel da Silva Gomes. Até o momento, ele (identificado como morador de Catalão, em Goiás) continua foragido.

Resumindo: é falsa a informação que aponta que o homem que depredou o relógio no Palácio do Planalto tenha sido morto. Nem ele é um militante de esquerda infiltrado tampouco o vídeo que está circulando na internet tem relação com as manifestações golpistas de 8 de janeiro.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet