Caminhão rouba urnas em Fortaleza e prova fraude nas eleições 2020 #boato

Boato – Em Fortaleza (CE), cabos eleitorais roubam urnas e colocam em um caminhão após o fim da votação para fraudar eleições municipais. 

Lembram daquele bordão no futebol que diz que uma partida só termina quando acaba? Pois é, parece que a relação entre fake news e eleições está seguindo o mesmo rumo. Mesmo após o primeiro turno das eleições municipais 2020 terem definido a maior parte dos governantes, as fake news seguem com força.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:


Se inscreva no nosso canal no Youtube

 

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/2Z5PgE0

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Lista no Telegram
https://bit.ly/2VSlZwK

E ao que tudo indica, até o segundo turno, as informações falsas sobre o processo eleitoral prometem seguir confundindo os eleitores. E na história de hoje, mais teorias conspiratórias.

De acordo com uma publicação que está circulando nas redes sociais, um caminhão teria sido flagrado roubando urnas, em Fortaleza (CE), após o pleito. Ainda segundo a história, dois cabos eleitorais que vestiam camisetas de um candidato específico teriam saído “de fininho” com as urnas e foram descobertos pela população, que teria chamado a polícia. De acordo com a mensagem, os policiais teriam encontrado uma bandeira do mesmo candidato apoiado pelos cabos eleitorais dentro do caminhão. Confira:

Versão 1: “ROUBO DE URNAS EM FORTALEZA/CE – 2 caba de amarelo (cor da campanha do poste dos Gomes) pegaram um monte de urna e já iam saindo de finim. Prestou não! A negada voou foi em cima. Barraco armado, chamaram a polícia e o diabo a quatro. Aí os caba amarelaram, mas foi de vez. Dentro do caminhão uma bandeira de campanha: advinha de quem?”. Versão 2: “Caminhão com Urnas Eletrônicas foi detido pela Polícia Federal após denúncias de eleitores durante as Eleições”. Versão 3: “FRAUDE NAS URNAS ELEITORAIS CAMINHÃO PRESO EM FORTALEZA COM URNAS ELEITORAIS ADULTERADAS”.

Versão 4: “Olha aí a merda sendo mostrada! URNAS SÃO COLOCADAS NESSE CAMINHÃO E O POVO CHAMA A POLÍCIA… Vai vendo… O PLANO DE PODER GLOBAL POR UM GOVERNO ÚNICO…. ELES FIZERAM COM OS USA FRAUDARAM AS ELEIÇÕES E AQUI ESTÁ NA MESMA SITUAÇÃO! A DIREITA TEM QUE SE UNIR PORRAAAAAAAAA! É GUERRA MESMO! É O BEM CONTRA O MAL TEMOS QUE MOSTRAR QUE NÃO SOMOS IDIOTAS E NÃO SEREMOS SUBJUGADOS! AS URNAS FORAM SIM FRAUDADAS ! VOTO IMPRESSO JÁ!”. 

Caminhão rouba urnas em Fortaleza e prova fraude nas eleições 2020?

A informação caiu como uma bomba nas redes sociais, especialmente, no Facebook e no WhatsApp. O vídeo já foi compartilhado milhares de vezes e tem intrigado os moradores de Fortaleza (CE). Apesar disso, a história não passa de balela.

Basta olhar para as mensagens para perceber que elas apresentam diversas características de fake news na internet, como o caráter vago, extremamente alarmista, os erros de português e a falta de fontes confiáveis.

Além disso, histórias sobre fraudes nas eleições têm ganhado força nas últimas semanas, especialmente, após as eleições presidenciais nos Estados Unidos. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras dessas histórias, como a que dizia que a porcentagem dos candidatos em São Paulo provaria a fraude nas eleições 2020. Também a que indicava que um vídeo provaria que o sistema da urna eletrônica poderia ser fraudado e, por fim, a que apontava que o ataque hacker revela fraude nas urnas eletrônicas com o aval do TSE.

O vídeo, de fato, mostra uma ocorrência após o fim das votações, em Fortaleza (CE), no dia 15 de novembro de 2020. Entretanto, o ocorrido não tem nada a ver com “fraude”.

Na oportunidade, diversas pessoas ligaram para a Polícia Militar do Ceará, após verem dois homens com camisetas amarelas (cor que representaria um candidato à Prefeitura da cidade) carregando as urnas eletrônicas após o fim das eleições. Após a denúncia, todos os envolvidos foram encaminhados à Superintendência da Polícia Federal.

De acordo com a Polícia Federal, tanto o caminhão quanto os dois homens que faziam o carregamento das urnas foram contratados pelo Tribunal Regional Estadual (TRE-CE) para fazer a retirada dos equipamentos após a finalização do processo eleitoral. Ainda segundo a Polícia Federal, nenhuma irregularidade foi encontrada (inclusive em relação à camiseta que, no final, não tinha nada a ver com nenhum candidato) e o veículo foi liberado para seguir até o TRE-CE.

Em nota, o TRE-CE informou que a contratação de veículos para o transporte das urnas eletrônicas após o fim da votação é um procedimento previsto em lei e realizado por meio de licitação. Segundo o TRE-CE, os equipamentos só são liberados após a retirada das mídias de resultado. Dessa forma, no momento da confusão, as urnas já não possuíam nenhuma informação.

“[…] O Tribunal Regional Eleitoral contrata, via processo licitatório, empresas de transporte que se submetem a um edital específico, composto de diversas obrigações, dentre elas o resguardo à neutralidade e proibição de qualquer propaganda eleitoral, dentre outras restrições de direito, nos termos da legislação de regência. O referido transporte é uma dentre diversas situações corriqueiras de coordenação administrativa, amparadas por lei e previstas em toda a logística nacional de recolhimento das urnas eletrônicas, sendo infundada a ilação de que tais equipamentos estavam sendo “furtados” ou levados a locais com finalidade diversa da contratual, muito menos com participação de servidores deste tribunal. Além disso, tais urnas eletrônicas sequer possuíam as mídias de resultado e eram transportadas após a emissão do Boletim de Urna, na própria sessão eleitoral, o que comprova a lisura e organização do processo eleitoral nacional, com ênfase na transparência e eficiência operacional. O fato aqui relatado, não obstante as observações já pontuadas, será objeto de relatório policial Federal que esclarecerá todas as dúvidas atinentes ao caso concreto”.

Além disso, em nota, a área técnica do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou que os dois homens que faziam o carregamento das urnas eletrônicas descumpriram as cláusulas contratuais (que impedem que eles utilizem vestimentas que possam ser identificadas como de algum candidato). O TSE afirmou que um procedimento interno foi aberto para julgar o caso e penalizar a empresa contratada. Vale ressaltar também que as urnas possuem uma arquitetura de segurança que dispensa a custódia, isto é, que elas não necessitem de vigia o tempo todo.

“Internamente foi aberto procedimento para penalizar a empresa por descumprimento contratual (há cláusula proibindo vestimenta que possa ser identificada como de algum candidato) e o motorista/ajudante serão substituídos para o segundo turno. Além disso, do ponto de vista técnico, as urnas têm uma arquitetura de segurança projetada para que não necessitem de custódia, ou seja, não necessitem de alguém vigiando a urna o tempo todo. O hardware criptográfico da urna, a segurança de software e diversos outros mecanismos de segurança, incluindo os lacres físicos, asseguram que os dados permaneçam íntegros e autênticos, ou seja, não há como, sob posse de uma urna, alterar as informações de modo a desviar votos ou ocultar provas de eventual fraude (o que é inviável pela arquitetura da urna)”.

Por fim, mas não menos importante, a teoria de fraude nas urnas não possui nenhuma lógica plausível. Após o encerramento da votação, os votos são impressos em boletins de urna (que são fixados na porta de cada seção) e enviados por meio de um pen drive aos Tribunais Regionais Estaduais (TREs). Dessa forma, não tem lógica roubar uma urna para fraudar votos.

Em resumo: a história que diz que cabos eleitorais teriam tentado roubar urnas eletrônicas para fraudar as eleições em Fortaleza (CE) é falsa! O vídeo que acompanha a publicação é real, mas não tem nada a ver com fraude. Em nota, o TRE-CE informou que as urnas eletrônicas só são liberadas para transporte após a retirada das mídias de resultado e a polícia apontou que não houve qualquer irregularidade. Ou seja, a história não passa de balela. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2QvB43t
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK