Bolsonaro demitiu funcionários que ganhavam R$ 35 mil na empresa do trem-bala que nunca existiu #boato

Boato – Bolsonaro demitiu funcionários que ganhavam R$ 35 mil na empresa do trem-bala que nunca existiu, criada por Dilma em 2010 e que faria o trajeto Campinas (SP) e RJ. Por isso, o presidente é tão odiado pelos petistas.

Oito anos depois, a chamada EPL (Empresa de Planejamento e Logística), criada no primeiro governo de Dilma Rousseff (PT) para construir o projeto do Trem de Alta-Velocidade (TAV), mais conhecido popularmente como trem-bala (que faria o trajeto Campinas (SP) ao Rio de Janeiro), continua dando o que falar nas redes sociais.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:


Se inscreva no nosso canal no Youtube

 

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/2Z5PgE0

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Lista no Telegram
https://bit.ly/2VSlZwK

Isso porque anda circulando por aí uma história que dá conta de que o presidente Bolsonaro teria demitido funcionários que ganhavam R$ 35 mil na empresa do trem-bala, que supostamente nunca existiu, pois sequer saiu do papel. Mesmo assim, a publicação que está sendo compartilhada denuncia que 146 funcionários teriam sido contratados para o projeto, sem concurso público, e que cada um deles supostamente recebia R$ 35 mil de salário, gerando um grande prejuízo aos cofres públicos.

Ao todo, o suposto desfalque seria de R$ 70 milhões causados pela estatal do trem-bala e que, pelo fato de Bolsonaro ter demitido esses funcionários em janeiro de 2019, isto é, logo no início de seu governo, os petistas o odeiam e continuam querendo destruir a sua gestão. Confira, a seguir, o texto original que está rodando online:

Em 2010 a Ex – Presidente DILMA criou uma Empresa Estatal para Administrar o TREM BALA que faria o Trajeto, Campinas / São Paulo e Rio de Janeiro. O Projeto não saiu sequer do Papel, nunca Existiu, mas mesmo assim a Empresa Estatal contratou 146 FUNCIONÁRIOS sem CONCURSOS. Desses 146 Funcionários Contratados, 20 Recebiam mensalmente cerca de R$ 35.000,00. A Empresa mesmo NÃO EXISTINDO deu um Prejuízo aos Cofres Públicos de SETENTA MILHÕES DE REAIS (R$ 70.000.000,00) e os FUNCIONÁRIOS que foram Contratados em 2010, só foram Demitidos em JANEIRO de 2019 pelo PRESIDENTE BOLSONARO Não é por acaso que os ESQUERDISTAS, em especial os PETISTAS continuam Tramando CRIMINOSAMENTE para DESTRUIR o GOVERNO BOLSONARO

Bolsonaro demitiu funcionários que ganhavam R$ 35 mil na empresa do trem-bala que nunca existiu?

Obviamente, a publicação viralizou e não faltou gente para compartilhar a “notícia”, principalmente internautas favoráveis ao governo atual. Mas será mesmo que Bolsonaro demitiu funcionários que ganhavam R$ 35 mil na empresa do trem-bala que nunca existiu e que, por isso, é tão odiado pelos petistas? A resposta é não! E o porquê você confere agora.

Para começar, a mensagem da suposta denúncia carrega todas as características de fake news: é vaga (não diz quando houve a “demissão em massa” desses funcionários pelo presidente), alarmista (tem o intuito de acirrar a polarização política nas redes sociais), possui erros de português e não cita fontes confiáveis que possam confirmar o que está sendo dito.

Em segundo lugar, não é de hoje que surgem na internet boatos sobre “grandes ações de cortes de Bolsonaro”. Inclusive, aqui no Boatos.org, nós já desmentimos vários deles, como, por exemplo, o que dizia que Bolsonaro teria cobrado dívida da Globo de mais de R$ 1 bilhão relacionada à sonegação de impostos; outro de que a Petrobras teria cancelado patrocínio da Fórmula 1 na Globo por ondem do presidente; e uma suposta “benfeitoria” que falava que Bolsonaro teria trazido ao Brasil uma ultrassom que destrói células cancerígenas de Israel.

Mais que isso, ao analisar os dados fornecidos na publicação, temos algumas informações reais e outras falsas. Por exemplo, é fato que o governo do PT tinha o planejamento de criar um trem-bala, que faria o trajeto Campinas (SP)-Rio de Janeiro. Quando Dilma Rousseff ainda era ministra da Casa Civil, em 2009, havia a promessa de que ele seria criado até 2014, para receber turistas na Copa do Mundo aqui no Brasil.

Em maio de 2011, Dilma, já como presidente da República, criou, então, a empresa para tocar o projeto, a ETAV (Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A.). Pouco mais de um ano depois, mais especificamente em dezembro de 2012, Dilma transformou a ETAV na EPL (Empresa de Planejamento e Logística), uma estatal que visava, além de desenvolver o trem-bala, criar um planejamento de mobilidade e infraestrutura de transportes no país.

Como se sabe, o projeto do trem-bala não foi para frente e a empresa, de fato, existe. Então, concordamos que essa parte da história de que está circulando por aí é real. O que não é verdade é todo o restante das informações.

Ao analisarmos as informações sobre os empregados, vimos que o número está errado. Não são 146, como diz a publicação, mas sim, 143. Além disso, não é possível saber o salário de todos, mas, de acordo com a tabela de remunerações da EPL, não é provável que 20 deles ganhem R$ 35 mil (nem mesmo se ganhassem muitas bonificações).

Também não é verdade que a empresa “não existe”. Apesar de o projeto do trem-bala não ter ido para frente, ela toca outras obras pelo país. Se é útil ou dispensável, não somos nós quem irá julgar. No entanto, o próprio ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirma que ela é importante.

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, Tarcísio afirmou que a EPL tem contribuído para a celeridade do processo de estruturação de projetos de concessão de infraestrutura no Brasil, destacando os resultados positivos da empresa: “Todos os arrendamentos portuários que fizemos foram estruturados pela EPL. Só de arrendamento portuário este ano foram R$ 500 milhões de outorga, pagos à vista, por uma empresa que está custando R$ 70 milhões por ano. É só fazer conta. É ser pragmático. Só isso”, disse.

Por fim, vale desmentir também que Bolsonaro não “demitiu funcionários”. Como é possível observar no histórico de quadro de funcionários da estatal, em dezembro de 2018, havia 143 funcionários trabalhando na empresa e, no mês seguinte (o que teria ocorrido as demissões, de acordo com a tal publicação), ainda havia o mesmo número. Inclusive, a quantidade de trabalhadores continua a mesma até os dias de hoje. Ou seja, nenhuma demissão até o momento.

Resumindo: Apesar de a empresa criada para ajudar na criação do trem-bala (projeto que só ficou no papel) ainda existir e ter o orçamento citado (R$ 70 milhões), não é verdade que Bolsonaro demitiu funcionários dela e muito menos que eles ganhavam um salário de R$ 35 mil. Todo o histórico de funcionários e seus salários pode ser visto no site oficial da EPL e não condiz com as informações mencionadas. Portanto, não passa de boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Xmskzm
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK