Alexandre de Moraes vendeu as eleições de 2022 para Lula e o PT em escândalo que todo mundo suspeitava #boato

Boato – Foi divulgado o escândalo que todo mundo suspeitava. Alexandre de Moraes vendeu as eleições de 2022 para Lula e o PT. Roberto Jefferson, jornais internacionais e Gunther Schweitzer fizeram a revelação.

É claro que, em meio a um cenário de insatisfação (injustificada) do resultado das eleições 2022, um texto clássico no mundo das fake news iria circular na internet. Ele aponta para um “escândalo que todo mundo suspeitava” e revelações de fraudes nas eleições 2022.

No texto, que começa com uma citação a Roberto Jefferson, é dito que Alexandre de Moraes vendeu as eleições 2022 para o PT. Isso teria ocorrido em uma trama que envolve nomes como José Roberto Marinho, William Bonner, Frederick Wassef, Geraldo Alckmin e outras figuras da política (além de Lula de Bolsonaro).

A mensagem cita montantes gigantescos em dinheiro. No final do texto, há a assinatura dele: Gunther Schweitzer, da Central de Jornalismo Rede News. Leia a mensagem que circula online:

ELEIÇÕES DE 2022 NO BRASIL 🇧🇷 DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA! Talvez, isso explique o fato do ex-deputado Roberto Jefferson ter declarado a seguinte frase: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu nos bastidores do TSE, ficariam enojadas.” Muitos eleitores ficaram chocados e surpresos com a derrota de Bolsonaro no pleito de 2022. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e do mundo, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e a CBC, e deve sair na grande mídia a qualquer instante.

Fato comprovado: o Alexandre de Moraes VENDEU o resultado das eleições presidenciais para o PT. Os representantes das campanhas dos candidatos foram avisada à 00:00 do dia 29 de Outubro, logo após o debate da Rede Globo, em uma reunião envolvendo o Sr. José Roberto Marinho (na única vez que o ex-presidente da emissora compareceu no estúdio de gravação), o Sr. Cuca Belludo (diretor da campanha do PT), o próprio William Bonner, o Sr. Frederick Wassef (advogado de Bolsonaro), o Sr. Jalim Habbei (advogado de Lula no TSE). Lula permaneceu no lobby do hotel com Janja, enquanto Bolsonaro era entrevistado ao vivo, logo após o debate. A princípio muito contrariado, Alckmin se recusou a participar das conversas, mas a aceitação veio através da promessa de corrupção com a entrega dos lucros da Petrobras de mais de R$ 200 BILHÕES em propina, além da concessão de perdão presidencial aos condenados no Mensalão e no Petrolão, com a vitória de Lula e seu retorno à presidência.

A fraude ao resultado se daria com a alteração interna do algoritmo das urnas eletrônicas feito pelo próprio TSE, para que, com cerca de 80% das urnas apuradas, por volta de 19:00 do domingo, a Rede Globo anunciaria a informação privilegiada de que Lula conseguiu uma “virada inédita na história”, com margem mínima de diferença de menos de 1%, alterando o prognóstico de vitória do Bolsonaro apontado pelas pesquisas DataPovo que estava se confirmando, sendo ultrapassado por Lula apenas nas últimas urnas, confirmando o acordado. O sistema de “auto hacker” feito na sala secreta do Tribunal Superior Eleitoral acordado na reunião ocorreria durante a apuração sem a fiscalização dos militares. A negociata no TSE teve o aval do Presidente da Câmara e do Senado, Arthur Lira, a quem foi prometido a continuidade do “Orçamento Secreto”, sem interferência do STF ou investigações do Ministério Público, garantindo a corrupção durante todo o mandato de Lula, juntamente com PSOL, PCdoB e toda a esquerda. Moraes assegurou que qualquer contestação ao resultado das eleições seria incluída no Inquérito das Fake News no Supremo e censurada imediatamente, retirando qualquer notícia contrária do ar para assegurar a vitória do petista até a posse de Lula.

Assim, combinou-se que Lula venceria as eleições sem o auditamento das urnas e com o reconhecimento imediato do resultado da vitória do PT pelo TSE e pelo Supremo, sem direito à recontagem. A vitória do PT confirmaria o maior escândalo de corrupção da história do Brasil, acertado de antemão nas vésperas da eleição com o STF e o TSE. Assim, o PT teria facilitado o caminho para implantar o comunismo no Brasil e na América Latina, com ensino de ideologia de gênero de Paulo Freire nas escolas e o fechamento de igrejas. Bolsonaro, que absolutamente não participou desta negociação, foi informado pelos militares sobre a fraude eleitoral na madrugada do dia seguinte, por meio de relatório confidencial, para que fossem adiadas as eleições até que fosse realizada a auditoria das urnas pelos militares, que demonstraria a sua reeleição dentro das 4 linhas da Constituição.

Já está no Supremo a ação movida por Lula para que seja confirmada sua posse independente de auditoria das urnas, nas mãos do Ministro Dias Toffoli, indicado ao STF pelo PT, em liminar que selará a farsa das eleições de 2022. Repassem, para que todos possam saber de uma vez por todas a fraude das eleições e sobre todas as sujeiras que rondam o mundo da política. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos! Atenciosamente Gunther Schweitzer Central de Jornalismo Rede News FM RECEBIDO NO GRUPO B-22!!!! URGENTE!!!! Fatos muito graves…Compartilhem antes que o TSE do ditador Alexandre de Moraes censure e derrube o whatsszap DEUS, PÁTRIA, FAMILIA E LIBERDADE

Alexandre de Moraes vendeu as eleições de 2022 para Lula e o PT em escândalo que todo mundo suspeitava?

Não demorou para a história se espalhar com todas as forças na internet e sair deixando o povo indignado pelas ruas Brasil afora. Porém, é falsa a informação que aponta que Alexandre de Moraes vendeu as eleições de 2022 e que tudo foi publicado em um “o escândalo que todo mundo suspeitava”.

Quando nos deparamos com a história, já sabíamos exatamente do que se tratava. O texto em questão é utilizado (sempre com ajustes à ocasião) desde a final da Copa de 1998 (em que o Brasil perdeu para a França).

A assinatura de Gunther Schweitzer veio porque lá em 1998 uma pessoa com esse nome encaminhou a mensagem por email e a assinatura (automática) ficou na mensagem. Falamos sobre isso em um texto escrito desmentindo que a “grande farsa” teria ocorrido na Copa de 2014. Relembre o que escrevemos na época:

Muitas mensagens que circulam na internet apontam para pessoas que nunca existiram. Voltando a mais um exemplo do Boatos.org, teve um hoax que citava um tal de Fritzburg Weisefüder. Não é o caso de Gunther Schweitzer. Ele é um paulistano, personal trainer e que tem uma empresa que realiza eventos esportivos.

Não foi ele que escreveu a mensagem. De acordo com essa reportagem do Terra, ele trabalhava na Volkswagen na época em que recebeu o e-mail da teoria da conspiração da Copa de 1998. O que ele fez foi reencaminhar e colocar a assinatura. A partir daí, foi trocada a função por “Central Globo de Jornalismo” ou “ESPN”.

Gunther diz que nunca sofreu por causa da mensagem e que também não jamais trabalhou como jornalista ou na Globo. Porém, ele diz não duvidar que haja manipulação de resultados em jogos de futebol.

Quem acompanha o Boatos.org consegue ver que os boatos na web são, algumas vezes mutáveis. Ou seja, um texto faz sucesso e é desmascarado. Aí é modificado e faz sucesso novamente. Mais ou menos como um vírus da gripe.

O que há em comum em todas as mensagens é a estrutura da história. Sempre mantém algumas frases impactantes, enredo e, claro, a assinatura do Gunther Schweitzer. Por isso, fica fácil mostrar quais são as partes que mudam ou não no texto.

No primeiro turno das eleições 2022, o Boatos.org desmentiu um boato muito parecido com esse. Relembre o que escrevemos sobre o assunto:

A primeira vez que o tal enredo surgiu na internet foi na derrota do Brasil para a França na Copa do Mundo de 1998. Desde então, a mesma base do texto circula na internet e volta à tona em eventos esportivos (destaque para a viralização do conteúdo após a derrota do Brasil na Copa de 2014 para a Alemanha).

Também em 2014, surgiu uma fake news com o mesmo texto que aponta que o PT havia comprado as eleições de Dilma. Isso não viralizou em 2018 (porque será?), mas voltou à tona em 2020, quando a fake news apontava que Moro havia vendido o inquérito da PF contra Bolsonaro para João Doria.

Em todos os casos, não há qualquer prova de que houve de fato a tal compra e tampouco foi aberto qualquer inquérito para a apuração das tais denúncias de “vendas” (o que, por sinal, não tem qualquer lógica).

Voltando a 2022. Apesar de Roberto Jefferson ser um personagem constante em ataques ao STF e a Alexandre de Moraes, o ex-deputado (que teve a candidatura para presidente cassada) não é o autor de qualquer denúncia desta natureza (que envolve as empresas citadas). Ou seja: tiraram a história “do nada” e deram crédito ao ex-deputado.

Poderíamos dizer ainda que há nomes de pessoas em cargos errados e até de pessoas que já morreram. Mas já deu para ver que a história em questão é falsa e não passa de um amontoado de balelas.

Só por desencargo, resolvemos buscar em alguma fonte confiável se há algum lastro de verdade na história em questão. Como imaginávamos, não havia nada sobre o assunto em nenhuma fonte confiável.

Resumindo: a teoria da conspiração que aponta que Alexandre de Moraes vendeu as eleições para Lula e o PT em um escândalo que todo mundo suspeitava é falsa. Trata-se de um texto antigo e manjado que insiste em circular na internet.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3sexfTk
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet