O melhor do Boatos.org em 2017, por Carol Lira

Inspirada pelo espírito de fim de ano, a repórter Carol Lira mostra os cinco textos que mais gostou de escrever em 2017 no Boatos.org na quarta parte de nossa retrospectiva. 

O ano de 2017 está, finalmente, chegando ao fim. Já foram, até o momento, 354 dias de escândalos políticos, tragédias, zoeiras e boatos. Os dias passam e a velha história do “aconteceu comigo”, “não custa compartilhar” e “leia antes que apaguem” se repete, e assim o ciclo dos boatos continuam.

Não podemos dizer que este é um ano que vai deixar saudade – pelo menos não das pérolas do mundo da boataria. Com uma lista que vai de morte de famosos a bonecos possuídos, este ano as mentes brilhantes da internet não deixaram a desejar.
E eu, prestes a completar dois anos nesse time de loucos por balelas, desmenti muitas dessas falcatruas sem pé nem cabeça. Com vocês os cinco boatos que mais gostei de desmentir em 2017.

Assista: Equipe do Boatos.org escolhe em vídeo, os dez principais boatos de 2017

5) Outubro Rosa e a promoção da mamografia (05/10)

Ocupando o quinto lugar da lista está a história de que a Clínica Bueno teria mamografia a R$ 10 no Outubro Rosa. Esse foi um texto que eu considerei importante desmentir. Isso porque muita gente caiu, inclusive quem precisava. A mensagem começou a circular no WhatsApp e apontava que a Clínica Bueno participava da campanha do Outubro Rosa e oferecia mamografia a R$ 10. Pois bem, ainda que a motivação de quem começou a história tenha sido boa (ou não), saiba que a tal clínica nem existia.

5) Arte, polêmicas e beijo gay (14/09)

Em quarto lugar está dois temas famosos nas páginas do Boatos.org: beijo gay e arte. Essas balelas me fizeram pensar o quanto os boatos servem de argumentos para os nossos preconceitos. Para quem não lembra, há alguns meses, a exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” e a performance “La Bête” do MAM foram acusadas de incitar a pedofilia e, como era de se esperar, o assunto acabou virando pauta no mundo dos boatos.

Em uma das histórias, a mensagem dava conta que a Fátima Bernardes teria dito que a exposição gay tem que continuar, porque é certa, moderna e sadia. Apesar de muitos artistas comentarem o caso, a apresentadora não se manifestou sobre o assunto. Logo depois, chegou a vez de Luis Fernando Verissimo. De acordo com as informações repassadas pela internet, o escritor teria feito duras criticas “aos artistas de hoje”. Mas, no fim, Verissimo nunca disse isso, tampouco escreveu.

Para fechar o trio homofóbico, chegamos na história de que a abertura da nova novela da Globo teria beijo gay e dança de dois homens. Nem precisamos dizer que a história não passava de mais uma falcatrua da internet que pegou carona com os boatos sobre diversidade sexual.

3) Furby é do diabo (19/10)

Mais um da categoria “não acredito que as pessoas acreditam nisso”, a história do pastor que alertou que o boneco Furby, distribuído pelo MC Lanche Feliz, é do diabo, satânico e provoca suicídio me fez pensar no quanto as pessoas são “sem noção” na internet.

Em outubro, um áudio pra lá de bizarro alertava para as coisas obscuras por trás dos saudosos Furbies. A mensagem deixou muitos pais preocupados com o mais novo “passatempo” das crianças. Tudo em vão, porque a história era falsa.

2. Fantasma IML (14/03)

Não pera, nessa lista não poderia faltar a história do fantasma no IML de Cuiabá. Essa história ficou na memória e entrou no segundo lugar dessa lista por ter sido divertida e por causar tanto alvoroço nas redes sociais.

Em março, um vídeo mostrava espíritos vagando no Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá, no Mato Grosso. Nas imagens, um corredor escuro, com as luzes piscando e a porta do hidrante batendo ininterruptamente. Em seguida, um agente de segurança segura uma lanterna enquanto vai se aproximando da porta.

O enredo da história era surpreendente. Porém, tão surpreendente quanto o vídeo era o fato de que ele não passava de mais uma cilada da internet. Na verdade, as imagens eram fruto da velha tática do anzol.

1) Marcelo Rezende e Bacci (28/05)

No primeiríssimo lugar desse top 5 está a história de que Marcelo Rezende morreu e que Luiz Bacci se emocionou no ar ao falar da morte do apresentador. Sem dúvidas essa foi uma das minhas matérias que teve mais repercussão em 2017 e, talvez, esse seja um dos motivos que o levou para o topo da lista. Além do fato de que isso mostrou o quanto o Boatos.org é importante e necessário.

Como já mencionei anteriormente, às vezes parece que a internet tem poderes visionários. Digo isso porque, meses atrás, as mentes brilhantes da internet já davam conta da morte do apresentador. Apesar do número de compartilhamentos (que foram muitos), a história não passou de balela – pelo menos até o anúncio do seu falecimento. Infelizmente, em setembro, o boato acabou se tornando verdade.

Compartilhe este artigo:

Um comentário em “O melhor do Boatos.org em 2017, por Carol Lira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)