Stalin disse “quem vota e como vota não conta nada; quem conta votos é que realmente importa” #boato

Boato – Josef Stalin disse a seguinte frase: “quem vota e como vota não conta nada; quem conta votos é que realmente importa”. 

É claro que a movimentação em torno do voto impresso no Brasil seria um dos assuntos mais comentados nesta semana. O tema voltou à tona após a live do presidente Jair Bolsonaro, no dia 29 de julho de 2021, que pretendia mostrar provas sobre supostas fraudes no processo eleitoral (o que não ocorreu).

Após a transmissão, diversos apoiadores de Bolsonaro iniciaram uma movimentação na internet, exigindo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a adoção do voto impresso nas eleições presidenciais de 2022. Muitos deles chegaram a participar de uma manifestação em prol do voto impresso no país.

E é óbvio que tudo isso não passaria despercebido pelos disseminadores de fake news. Nos últimos dias, uma história tem animado os apoiadores do voto impresso. De acordo com ela, o ex-político da União Soviética (URSS) Josef Stalin teria afirmado que “quem vota e como vota não conta nada”. Ainda segundo a história, Stalin teria dito que o que realmente importa é saber “quem conta os votos”. Confira:

“Voto Impresso Auditável, Já. ‘QUEM VOTA E COMO VOTA NÃO CONTA NADA; QUEM CONTA OS VOTOS É QUE REALMENTE IMPORTA.’ Joseph Stalin, comunista/maior genocida documentado da história”.

Stalin disse “quem vota e como vota não conta nada; quem conta votos é que realmente importa”?

A informação causou um grande burburinho nas redes sociais, em especial, em grupos bolsonaristas no Facebook. Apesar disso, a história não é verdadeira. A explicação fica por conta dos inúmeros desmentidos nos serviços de fact-checking nos Estados Unidos e pela falta de provas.

As histórias falsas envolvendo o voto impresso e fraudes em eleições não são novidade na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que o Exército teria determinado o voto impresso nas eleições de 2022. Também a que indicava que o voto impresso já é regulamentado no Brasil, desde 2002, pela lei 10.408 e, por fim, a que apontava que Bolsonaro teria se beneficiado da fraude de cédulas falsas nas eleições de 1994.

Ao procurar por mais informações sobre o assunto na internet, descobrimos que a história circulou bastante nas redes sociais no final de 2020, durante as eleições dos Estados Unidos. Além disso, a história acabou sendo desmentida em diversos serviços de fact-checking por lá.

De acordo com o site Snopes, a história tem diversas versões e a mais famosa é justamente a que está circulando por aqui. Segundo o serviço de checagem estadunidense, essa versão ganhou notoriedade em 2000, durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos, entre Al Gore e George Bush. Ainda segundo o site, a mesma frase foi atribuída a outras personalidades, como Napoleão.

O serviço de fact-checking do USA Today também desmentiu a história. De acordo com eles, especialistas foram ouvidos e todos indicaram não haver provas de que Stalin teria dito isso. Já o serviço de checagem PolitiFact afirmou que buscas no site Stalin Digital Archive, um espaço organizado pelo Arquivo Estatal de História Social e Política da Rússia e pela assessoria da Universidade de Yale, não encontraram nenhum documento que pudesse comprovar a história.

Por fim, o professor Uri Ra’anan, que trabalhava no Instituto de Estudos em Conflitos, Ideologia e Política da Universidade de Boston e era um especialista em política de países “comunistas”, afirmou que Stalin não era conhecido por falar sobre eleições e nem se preocupou muito com processos eleitorais. Segundo ele, em 1936, o comitê central do Partido Comunista deu três votos a mais para um oponente de Stalin durante uma votação. De acordo com o estudioso, em apenas três anos, dois terços do comitê foram assassinados.

Em resumo: a história que diz que Stalin teria afirmado que não interessa quem vota e como vota, mas sim quem conta os votos é falsa! A história já circula na internet, no mínimo, desde 2000. Segundo os serviços de fact-checking dos Estados Unidos, não existem provas de que Stalin teria afirmado isso. Todos se baseiam em especialistas que estudam a Rússia e no site Stalin Digital Archive, um espaço organizado pelo Arquivo Estatal de História Social e Política da Rússia e pela assessoria da Universidade de Yale. Além disso, a mesma frase já foi atribuída a outras personalidades, como Napoleão. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso